Tradução deste blog

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

EBD/CPAD 1T 2012 LC.7 "TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE"


LIÇÃO 7 – TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE.
PONTOS A ESTUDAR:
I – PROSPERIDADE NA ADVERSIDADE.
II – PROSPERIDADE NA HUMILDADE.
III – PROSPERIDADE NA CARIDADE E NA UNIDADE.

OBSERVAÇÕES: Não é apenas o texto de Filipenses 4:13, temos o Salmo 91 e outros em que muitos se apegam como se fosse um talismã. Parece fazer parte da natureza religiosa do ser humano, essa busca pelo secreto, pelo escondido e como tem pessoas sabedoras disso, covardemente as empurram ainda mais, com fins lucrativos, para tirar vantagem da situação. Se vocês quiserem saber, podem se rasgar de ensinar, que não entenderão aonde você quer chegar. Você as ensina e elas fazem de conta que aprenderam para não te torturar. A maior virtude de um professor é ensinar a palavra crendo no efeito que ela provoca a curto, médio ou longo prazo na maioria das vezes. Há os casos de irmãos que tem apreciação por algum texto bíblico em especial.

I – PROSPERIDADE NA ADVERSIDADE.
1.1        Escassez e abundância.
A declaração do Apóstolo Paulo, “Sei estar abatido, sei ter abundância, estou instruído” não soaria bem em um programa de televisão, soa como expressão de conformismo como, aliás, Paulo não seria um pregador bem sucedido nos nossos dias, razão pela qual me conformo em também não ser; o sucesso de hoje está sempre em torno do tamanho do interesse de cada um. Sejamos honestos e fieis no ensino da Palavra de Deus.

1.2        Perseguição e rejeição.
Muitas expressões do Apóstolo Paulo, principalmente a segunda carta aos Coríntios 11:16-33,  em função dos que buscavam a sua própria glória, podem soar como a expressão de uma pessoa moída de inveja dos outros, não era o caso do apóstolo, todavia, rejeitado ou não, Paulo demonstrava sempre gratidão a Deus. Quando contou a igreja, quantas chibatadas havia tomado, (IICo.11:24), não queria ele impressionar o povo, mas, mostrar-lhes que a vida cristã, não é um mar de rosas como muitos imaginam e novamente, tornamos a provocar; depende muito do interesse de cada um. Considere o que o autor diz sobre “escapismo triunfalista” que é o mais comum hoje em dia, quando os pregadores passam a ideia que o cristão, não pode ter falta de nada nem sofrer qualquer revés.

II PROSPERIDADE E HUMILDADE.
2.1 O exemplo de Paulo.
Considere o comentário da lição, muito esclarecedor. Quero tão somente lembrar aos professores, que não adianta citar nomes como exemplos. A mídia nos deixa ver que o interesse é comum, no sentido de grandeza. Até muitos pregadores assembleianos, tem atitudes semelhantes aos das igrejas neopentecostais e o perigo é muito grande, segundo o comentador, que nos vejamos como “pequenos deuses”. Pelo menos como filhos prediletos, já está configurado, visto que pregam como se tivessem recebido do céu, toda autoridade par fazer o que fazem, sem se importarem com as regras bíblicas.

2.2 O exemplo de Cristo.
Considere o texto da lição, simples e claro, todavia, quero salientar que muitos entram por caminho errado, por seguir a cartilha de alguns pregadores descontextualizados, como Benny Hinn, R.Soares que é um seguidor de Benny Hinn e tantos outros. Abra uma discussão feia entre os alunos, se você mencionar alguns desses autores e até pastores da nossa igreja, se alimentam dessas literaturas. Funcionam mais como auto ajuda e colocam os crentes acima de toda e qualquer provação, principalmente, na área financeira. A Bíblia precisa ser considerada. Paulo considera os ensinamentos uma regra.
Galátas 6:16 “A todos os que andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sobre eles”.
2Co.10:15p “Não nos gloriando fora da medida, (....), seremos abundantemente engrandecidos entre vós, conforme a nossa regra”.
Temos regra sim. Exceção é somente com Deus e não podemos transformar as exceções de Deus em regras. Algo vai dar errado.

III – PROSPERIDADE NA CARIDADE.
3.1 Amor e caridade.
Considere o texto e veja que de fato o modelo de cristianismo fomentado pela teologia da prosperidade, foge a todos os padrões bíblicos ensinados.
Fl.1:9 “E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo conhecimento”.
Diferente não?
As igrejas neopentecostais, independente do que retiram como resultado dessas investidas, nos leva a pensar que se fossem uma organização não governamental (ONG) voltada para o bem estar social, suas pregações seriam perfeitas. Como igreja, tem muito a desejar por que leva os seus seguidores a valorizarem mais a vida terrena que a celestial, gerando em muitos, frustração e abandono da fé.

3.2 Provisão e gratidão.
Como diz o comentador e com propriedade, o “Tudo posso” de Paulo, conforme o contexto, não é uma manifestação de poder compartilhado com Deus e sim uma demonstração que ele em Cristo, sabe superar todas as dificuldades, sem amarguras, por quanto, sente-se sustentado pelo Senhor, assim, também dizemos: Tudo posso naquele que me fortalece.
Lembremo-nos do texto de  Rm.8:35, leia com seus alunos. “Quem nos separá do amor de Cristo...”.

3.3 A comunhão e a sã doutrina.
A frase do texto da lição é salutar: “A prosperidade genuinamente bíblica,  consolida-se na unidade e na comunhão do Espírito Santo.
Na unidade porque a prosperidade em Cristo, não isola os crentes uns dos outros.
Na comunhão porque esta sempre foi a vontade do Senhor, tão bem praticada pela igreja primitiva.

Com dinheiro ou sem ele, glorifiquemos o Senhor, pois temos como maior riqueza, o vitupério de Cristo e por fim a vida eterna, Hb.11:26.

Nenhum comentário:

Postar um comentário