Tradução deste blog

sábado, 24 de março de 2018

EXORTAÇÕES FINAIS EM HEBREUS 12. LÇ.12 EBD 25/03/2018

EBD LÇ. 12  25/03/2018 “EXORTAÇÕES FINAIS NA GRANDE MARATONA DA FÉ”.


O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical,  lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.


PONTOS:
I – A CORRIDA PROPOSTA.
II – CORREDORES BEM TREINADOS.
III – A CORRIDA FINAL, EXORTAÇÕES FINAIS.


A verdadeira adoração  fala com os olhos e com um belo sorriso nos lábios de tal maneira que contagie positivamente quem está por perto


 

 I – A CORRIDA PROPOSTA.      

1.1 O exemplo dos antigos.

“Nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas...”.
                                          
Ao longo dos anos, aplicamos esse texto para explicar à igreja os cuidados que deveríamos ter com nossas vidas, pois o bom testemunho deve valer para não escandalizar os santos e também nos tornar “incólumes” (intocados) por aqueles que nos espiam para ter de que nos acusar de alguma coisa, escandalizando o Reino de Deus.

“Deixemos todo embaraço...”.


1.2 O exemplo de Jesus.

Neste ponto, o comentarista chama a atenção para os problemas da igreja do primeiro século, ou melhor, nos seus primeiros anos de vida, pois o peso judaizante com a rigidez cerimonial, não era fácil migrar para um novo conceito de vida, baseado em que? Nesse momento, formava-se a nova doutrina a que chamamos de doutrina bíblica com os ensinos apostólicos.

Olhar para Jesus  naquele tempo como hoje é fundamental para quem quer viver  o “caminho” sem comprometer a fé pois as heresias de um lado e os ataques insensatos de outro, acabam causando mal estar e afastando pessoas.

Enquanto escrevo, acabo de receber um áudio em que um cidadão com aquele conhecido “cario         quês” atira para todos os lados  tornando a coisa ainda muito pior quando fala que a igreja brasileira está afundada. Respondi para quem me mandou que se fosse um bom ensino apologético seria bem melhor.


1.3 O exemplo da igreja.

Achei rico este comentário da lição,  pois nos mostra que os sofrimentos são pedagógicos e nos ensinam a viver com mais firmeza nos caminhos do Senhor e a Bíblia, no sentido de mostrar que o evangelho não propõe uma vida de facilidades como muitos querem fazer parecer,  que temos a palavra do poder para mudar todos os momentos ruins da nossa vida, mostra a realidade da vida cristã. Montanhas e vales.

Pelo fato de nos esforçarmos em viver a verdade e na Verdade, não somos bem acolhidos e isto já não acontece somente no mundo, por vezes dentro da própria igreja secular, pagamos um alto preço quando nos firmamos na verdade e não abrimos mão dela.

II – CORREDORES BEM TREINADOS.

2.1 Respeitam limites.

Com relação ao pensamento de “certo autor” citado pelo comentarista que ele, considera a santificação conforme usada na epístola, “que é principalmente um termo ritual”, prefiro dizer que é um termo comportamental.

A santificação conforme vista em Hebreus  12:14 “segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” é um comportamento que exige respeito aos limites, tanto do homem que se propõe ao processo quanto deste em relação aos ensinos bíblicos e o próximo.

Há quem exceda nas suas propostas, causando problemas a si aos familiares e aos que vivem por perto, pois os tais, não se conformam em viver suas vidas, querem exigir que outros sigam seus entendimentos.

Cada um tem o seu próprio limite. O que não pode é andar à margem da verdade bíblica.


2.2 Mantém a mente limpa.

O comentarista refere-se a Hebreus 12:15 Tendo   cuidado   de   que   ninguém se  prive  da  graça  de  Deus,  e  de  que  nenhuma  raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem.”.

Sempre usamos o termo “coração” quando queremos dizer que algo está armazenado e precisa ser dissipado com rapidez, para não causar danos. Nada pior que conserva a mente sobrecarregada com problemas que atrasam a carreira e ainda cause danos a pessoas que estão fora do cenário dos nossos problemas. Sempre queremos encontrar alguém que ouça nossas reclamações ou lamúrias.

Lamúrias =  Lamentação interminável que nada constrói, lamento interminável.


2.3 Valorizam as coisas espirituais.


Hb.12:16 “(...) ninguém seja devasso, ou profano, como Esaú, que por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura.”. Esaú (Gn.25:29-34)  é o personagem da bíblia que mais se destaca para mostrar o exemplo de quem não valoriza a vida espiritual.



III – A CORRIDA E EXORTAÇÕES FINAIS.


3.1 Valorizar a liderança.

Valorizar a liderança é a compreensão que tiramos de Hb.15:17 “(...) obedecei aos vossos pastores...”.

A situação está tão difícil nos nossos dias que em muitas ocasiões, um não se dá ao respeito por conta de arbitrariedades cometidas e outros, por endurecimento de coração não respeitam mesmo.

E necessário que quem se proponha a servir no ministério, entenda que é uma vida de renúncias e menos privilégios.

O único privilégio que temos em servir no ministério é que fomos chamados para uma posição de honra entre os fieis e que devemos nos conduzir de tal maneira que o respeito seja uma palavra de ordem para ser cumprida com amor.

3.2 Valorizar a doutrina.

(Hb. 13:9) “Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram.”.

O comentador explica  bem que alimento no texto em questão aponta para questões de ordem material e certamente no tempo, preocupava-se o autor com tudo o que tinha mero caráter ritualístico.

Com relação a doutrina, mais uma vez recomendo o livro “Declarção de fé das Assembleias de Deus” da CPAD que apresenta ponto a ponto as doutrinas fundamentais necessárias.



3.3 Valorizar a adoração.

Recomendo  leitura em classe deste tópico em que o autor fala de adoração como não tendo qualquer relação com o sacrifício levítico.

Hb. 13:15 fala de “sacrifício de louvor”  que para muitos pode ser o canto de um hino ou canção, mas para nós, louvar e adorar vem da manifestação alegre de uma alma arrependida que não cansa de louvar dizendo: O Senhor é bom, pois me salvou...” fala isto com os olhos e com um belo sorriso nos lábios de tal maneira que contagie positivamente quem está por perto.

No tocante aos cultos o apóstolo Paulo dá uma preciosa receita encontrada em sua carta aos Coríntios 14:26.

“Que fareis pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.”.

Há quem pregue como há quem cante sem o mínimo convencimento de que esteja de fato adorando o Senhor.



                          --- ----------------ooooo---------------------------- 

Peço desculpas pela falta da lição de número 11 que coincidentemente estuda o capitulo 11 de Hebreus acerca da fé e dos heróis da fé.  

Aos Irmãos coordenadores de EBDs:  Não torne a lição, um caderno inútil, fazendo valer os seus argumentos, um estudo à parte desta ferramenta. Recebo muitas reclamações de irmãos frustrados por conta disso. Há quem crie argumentos, tão à parte, que inutiliza até o tema proposto para estudo.

Caro professor, presenteie seus alunos com  a “Declaração de Fé das Assembleias de Deus”. É um material barato e seus alunos irão mostrar gratidão pelo gesto.


                            

segunda-feira, 5 de março de 2018

DÁDIVA, PRIVILÉGIOS E RESPONSABILIDADES NA NOVA ALIANÇA EBD LÇ.10 11/03/2018

EBD LÇ. 10  11/03/2018 “DÁDIVA, PRIVILÉGIOS E RESPONSABILIDADES NA NOVA ALIANÇA ”.


O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical,  lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.


PONTOS:
I – A DÁDIVA DA NOVA ALIANÇA.
II – OS PRIVILÉGIOS DA NOVA ALIANÇA.
III – AS RESPONSABILIDADES DA NOVA ALIANÇA.

É preciso estar muito atento aos ensinos bíblicos. Há quem ofereça "salada mista" e a quem coma sem o mínimo critério de análise do conteúdo.



   
I – A DÁDIVA DA NOVA ALIANÇA.
Esta lição é para quem crê que a salvação precisa ser monitorada frequentemente e isto não representa “mérito” nem exclui a graça de Cristo, pelo contrário, valoriza-a ainda mais.

1.1 Uma única oferta.

Há neste ponto um destaque para a enorme quantidade de animais sacrificados a cada culto judaico e vejamos como tudo isso era visto por Deus e não por que o sacrifício em si não tinha qualquer valor, mas por desprezo a palavra de Deus:

Isaias no capítulo 1 torna público o oráculo divino em que tudo isto não chegava diante de Deus como oferta aceitável; era abominação.  (Is.1:13) e diz o Senhor o que realmente queria do povo (Is.1:16-18).

 As ofertas oferecidas eram sombras de bens futuros e esse futuro era Cristo que com uma única oferta, trouxe a definitiva redenção para os que creem no seu nome.  (Jo.1:12).

 1.2 Um único ofertante.

O capítulo 53 de Isaias mostra o percurso de Cristo até o calvário e assim, um único ofertante com uma única oferta.

(Is. 53:12) “(...) Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.

 13 Uma única vez.

 Em todo o Novo Testamento a teologia cristã aponta para Cristo e quando falamos em teologia devemos nos lembrar que ela existe exatamente por conta da bíblia e não ao contrário.

A razão de falar desta forma prende-se ao fato de haver teologias que consideram o sacrifício perfeito e usam o pensamento humano para descrevê-lo quando a Bíblia se explica pela Bíblia e assim concluímos que:

O sacrifício foi perfeito, mas o homem é imperfeito necessitando tão somente de manter a sua fé e vida íntegras diante de Deus e isto nada tem de “meritório”, nem reduz a graça de Deus,  mas condição comportamental de vida que precisa ser muito bem cuidada ao longo a vida.


(ICo 10:12) “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia.”.


II – OS PRIVILÉGIOS.

2.1 Regeneração.

É oportuno lembrar aos alunos que muito se fala em leis e sacrifícios cerimoniais para justificar a observância de alguns pontos da lei como,  por exemplo, a guarda do sábado.

O que é mantido da lei dos mandamentos, é o fundo  moral mantidos até hoje pela obediência a Palavra de Deus e assim, a regeneração resultou do sacrifício perfeito de Cristo, devendo tão somente serem guardadas as palavras do Senhor no tocante a nossa relação com Deus, lembrando o que o Senhor disse à mulher Samaritana:

(Jo. 4:23) “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.”.


2.2 Adoração.

Diferente da Antiga Aliança quando o povo parava diante do sacerdote que fazia por eles a intercessão, hoje em Cristo, temos acesso direto ao Pai.

Há pessoas que não sabe a quem adorar:

Coloca-se uma cadeira para o Espírito Santo sentar e assim criar intimidade com ele?

Adora-se cada uma das figuras da divindade que não são figuras, mas “entes" e são um único ente?

Não devemos ignorar a doutrina da Trindade, lembrando que o Espírito Santo é Deus, sendo ele próprio, Deus.

Que Jesus é o mesmo Deus sendo igual a Deus (Fl.2:2-8).

E assim, adorando a Deus, estamos adorando a Deus;  Pai, Filho e Espirito Santo. Indissociáveis.

O fato de Jesus ter enviado outro consolador, não significa que temos um Espírito Santo especial, mas o mesmo Espírito que opera tudo em todos. (ICo.12:6).


2.3 Comunhão.

Os versos 23 a 25 da lição (Hb.10) deixa perceber que o autor da carta aos Hebreus conhecia bem os símbolos, tipos e figuras do Antigo Testamento e tinha intimidade doutrinária, certamente combina com o pensamento de Paulo quando diz “O que eu recebi do Senhor...” ICo.11:23).

Se o Novo Testamento com exceção de Atos por ser histórico é uma iniciação doutrinária, sabemos por conseguinte que o autor da carta aos Hebreus recebeu o conceito de igreja por revelação.

Os sentidos aplicados ao vocábulo “igreja”.
1 - A noiva do Cordeiro
2 - O lugar onde nos reunimos para cultuar a Deus.
3 – O prédio também recebe esse nome como forma de identificar um lugar de culto.

A igreja, seja ela instituição ou o corpo de Cristo deve ser honrada e respeitada.


III – AS RESPONSABILIDADES DA NOVA ALIANÇA.


3.1 Vigilância.

Recomendo a leitura desse tópico com os alunos e lembra-los que a salvação deve ser conservada, daí as recomendações apostólicas concernente a defea da fé, a vigilância e permanência.

Há grupos que baseados na doutrina calvinista, defendem que o eleito, não corre o risco de perder a salvação. “Graça irresistível”.

Presentearam-me com 80 do Novo Testamento como forma de justificar esse pensamento e respondi que seria como pegar 80 versículos dos Salmos para justificar bênçãos sem medidas.

A parábola das Dez Virgens não é apenas uma parábola, mas uma forte advertência para os que deixam faltar o azeite na lamparina. (Mt. 25:8).

 (Hb 10:37-39) “Porque ainda um pouquinho de tempo, E o que há de vir virá, e não tardará, mas o justo viverá pela fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.  Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que creem para a conservação da alma.”.
  
3.2 Confiança.

“O céu é para quem tem confiança” escreve o comentador da lição

(Hb. 10:35) “Não rejeiteis, pois, a vossa confiança, que tem grande e avultado galardão”.

Quem ler detidamente a carta aos Hebreus vai perceber que o autor quer alcança o povo judeu, mas quer despertar a consciência do leitor gentio para que não cometa os mesmo erros deles


3.3 Perseverança.

Concluindo a leitura do texto, tanto da lição bíblica quanto do capítulo sugerido, (Hb.10:1-7 e 22-25) aprende que a vida celestial e uma conquista pela graça de Cristo, mas que exige esforço e perseverança.  



                          --- ----------------ooooo----------------------------

Aos Irmãos coordenadores ds e EBD:  Não torne a lição, um caderno inútil, fazendo valer os seus argumentos, um estudo à parte desta ferramenta. Recebo muitas reclamações de irmãos frustrados por conta disso. Há quem crie argumentos, tão à parte, que inutiliza até o tema proposto para estudo.

Caro professor, presenteie seus alunos com  a “Declaração de Fé das Assembleias de Deus”. É um material barato e seus alunos irão mostrar gratidão pelo gesto.