Tradução deste blog

sábado, 30 de setembro de 2017

UMA PROMESSA DE SALVAÇÃO - EBD LÇ. 01 01/10/2017

EBD LÇ. 01  01/10/2017 “UMA PROMESSA DE SALVAÇÃO”.

O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical,  lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.

Aos Irmãos coordenadores de EBD:  Não torne a lição, um caderno inútil, fazendo valer os seus argumentos, um estudo à parte desta ferramenta. Recebo muitas reclamações de irmãos frustrados por conta disso. Há quem crie argumentos, tão à parte, que inutiliza até o tema proposto para estudo.

PONTOS:
I – O CONCEITO BÍBLICO DE SALVAÇÃO.
II – A IMPORTÂNCIA DA DOUTRINA DA SALVAÇÃO.
III –  A SALVAÇÃO PROMETIDA NO EDEN.


 A proposta do evangelho é salvar e colocar o homem em lugar seguro. Nem todos deram como não dão atenção ao verdadeiro evangelho, mas o fim vem!




Tenho publicado os comentários com bastante atraso e peço que não haja qualquer recriminação. Apesar dos meus quase 71 anos, ainda trabalho secularmente para o sustento da família. Procuro dividir o tempo como posso e gasto de 12 a 14 horas com diversas ocupações.
   
I – O CONCEITO BÍBLICO DE SALVAÇÃO.

1.1 O conceito.

Não escrevo para fazer reparos ao comentário do autor, mas para ajudar muitos alunos espalhados por esse imenso e nada culto país, como traduzir um pensamento acadêmico e culto a uma linguagem de “barrancos” considerando que a lição não é divida por grupos sociais.

No tocante ao conceito, não dá para ignorar que salvação de fato, representa tudo o que está no tópico da lição, sem negar que nem tudo pode compor a salvação dentro do plano físico para todas as pessoas e não por falta de vontade divina, mas por questão de fé e razões.

As razões levam em conta as  condições sócio econômicas e idade por exemplo. Uma pessoa com idade avançada não vai esperar a renovação dos órgãos vitais por ter crido no evangelho.

Os milagres foram dados para mostrar aos homens que o evangelho não é uma religião sem vida; há sinais e prodígios.

(ICo.12:12) “Os sinais do meu apostolado foram manifestados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e maravilhas.”.

1.2 A salvação no Antigo Testamento.

Podemos dividir o pensamento do autor em dois pontos:

O primeiro trata do tipo de salvação concedida e notadamente, do povo de Deus, Israel, em relação aos seus inimigos, onde caberia uma pergunta: E a salvação da alma deles quando comparada a nossa salvação pelo evangelho da graça de Deus?

A graça ainda não estava manifestada considerando que elas vieram por Jesus Cristo. (Jo.1:17), todavia antes da Lei (Abraão) e sob a Lei, Moisés, os profetas e homens e mulheres justos, alcançaram a  salvação pela justiça de Deus.  No monte da transfiguração (Mt.17:2) salvos estiveram com Jesus e o capítulo 11 de Hebreus exalta a fé deles.

O segundo ponto trata a salvação no Antigo Testamento como anunciado.

1.3 Salvação em o Novo Testamento.

Irretocável e de fácil compreensão. O que vou acrescentar, vale como cuidados por conta da tentativa de muitos temperos dispensáveis colocados na salvação conceitual aqui exposta que é como está na Bíblia.

Basta juntar salvação e graça com livre arbítrio e eleição e o “circo pega fogo”.

Quando disserem para você que estávamos mortos e morto não pensa, nunca esqueça que morte não é aniquilação e sim “separação”. A morte iniciada no Eden não tornou o homem incapaz de pensar no que é justo, honesto e bom, portanto plenamente capaz de aceitar ou rejeitar o amor da verdade para ser salvo. (2Ts.2:10)




II – A IMPORTÂNCIA DA DOUTRINA DA SALVAÇÃO.

2.1 A grandeza da salvação.

No tocante a isto, lembro de um tempo em que lia muito jornal e aquela leitura diária e constante de política, negócios e alguns assuntos do dia a dia começaram a transtornar-me emocionalmente e rompi com aquela cadeia de informações.

A leitura constrói e direciona o homem na medida da sua aplicação e assim, o melhor é considerar a Bíblia como a melhor leitura,  pois ela alimenta e sustenta a nossa fé tornando-se um verdadeiro escudo contra todas as investidas de Satanás, que não são poucas, em todas as áreas da vida, principalmente no tocante a sexualidade e família.

A salvação é grande para quem busca crescer em conhecimento, nela.

2.2 Para compreender o que Jesus fez.

O autor cita três pontos importantes:

ACEITAÇÃO – Há um grupo que insiste em dizer que nos não aceitamos o Senhor. É o Senhor que nos aceita. Quem compreende a obra do calvário sabe que ele aceitou a todos indistintamente: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos...”  (Mt.11:28). Essa verdade é para mim, inegociável e na outra ponta temos os homens com a sua dureza de coração.

COMPREENSÃO – Que resulta em maior conhecimento e aperfeiçoamento da fé. (Ef. 4:12). (IICor.7:1) e (Hb.13:21)

VIVÊNCIA – Está relacionado ao caminho da “santificação” sem a qual, ninguém verá a Deus.   (Hb.12:14.

2.3 Para se apropriar dos benefícios da salvação.

O autor cita

LIVRAMENTO DA CONDENAÇÃO DO INFERNO – Muitos não se dão conta do significado da “eternidade” longe ou perto de Deus. Irreversível e

LIBERTAÇÃO DO PECADO E DO PODER DAS TREVAS – Livres mediante o empenho diário de obediência aos conselhos de Deus pela sua Palavra.

O mundo cujo príncipe é o Diabo (Jo.14:30) auxiliado pelos anjos que se rebelaram (Jd.1:6) investem pesado pelas mãos dos homens egoístas, sem qualquer temor, em tudo o que possa exercer fascínio nos homens.: Sexo, poder e glória.

A REDENÇÃO EM CRISTO – Podemos afirmar que a redenção em Cristo é o ápice da obra do evangelho, quando ele transformará os nossos corpos abatidos para ser semelhante ao seu. (Fl.3:21).

Não esquecer que temos aqui, dois processos; primeiro a remissão dos pecados e depois a redenção dos corpos.

O termo “redenção” também se aplica ao perdão dos pecados.

III – A SALVAÇÃO PROMETIDA NO ÉDEN.

3.1 O pecado humano.

Acho importante que o professor peça a um aluno para ler este tópico na lição. Magnífico!

Há quem tente desqualificar a ação do pecado a partir do Éden, porém a bíblia é muito clara nesse quesito:

(Rm.5:12) “Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.”. 

Período da inocência, antes do pecado original, não temos a menor ideia de quantos anos durou e os fatos inerentes.

Período da consciência, após o pecado e com ele, o arbítrio na escolha entre o bem e o mal. São os conflitos humanos.


3.2 A transferência da culpa.

Vamos seguir os passos do autor:

TRANSFERÊNCIA DE CULPA – A mulher que tu me deste (Gn.3:12)  e esta, sobre a serpente: “a serpente me enganou” (Gn.3:13).

SOLUÇÃO DIVINA – Deus cobriu a nudez do casal. Um animal foi sacrificado para ceder proteção e isto já apontava para Cristo.


3.3 Satanás esmagado e o pecado vencido.

Satanás já foi vencido na cruz, mas a sentença final, já dada por Deus, ainda não foi executada, pois quando isto acontecer, ele pagará com os anjos rebeldes e a população que rejeitou a Cristo, dando mais valor aos desvarios e prazeres da vida se submeterão as determinações de Deus para toda eternidade quando Deus fará novos céus e nova terra.

É duro, mas vale a pena ser fiel até a morte.

(Ap.20:10) “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.”.



(Ap.21:8) “(...) Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário