Tradução deste blog

terça-feira, 10 de julho de 2012

PENTECOSTAIS, POR ONDE ANDAM?


Gostaria de iniciar este texto citando uma palavra do Apóstolo Paulo que considero a matriz de todo o seu pensamento apostólico.
“A minha palavra e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas, em demonstração de Espírito e de poder”  ICo 2:4.
Como pastor ou como crente em JESUS, esse texto sempre balançou muito a minha figueira e sempre representou para mim, um divisor de águas quando penso nas coisas que realizei ao longo de quarenta e seis anos, servindo o Senhor, cooperando ativamente na obra e dirigindo igrejas, quando penso ainda, em como deveria ter realizado e o que faltou.
Contra fatos não existem argumentos e quando tentamos argumentar para justificar nossas fraquezas, a coisa fica mais feia ainda.
Todos os avivamentos da história da igreja, a partir dos últimos dois séculos, produziram muito fruto e enquanto uma chama apagava aqui, Deus levantava outra ali e fico me perguntando, se Deus ainda está disposto a estender o seu braço para outro grande avivamento visto que ele, DEUS, não trabalha sem o homem. O homem é a ferramenta de Deus, não obstante sabermos que Deus nunca fica sem testemunha. Engana-se quem pensa que o céu está de férias.
Nunca se ouviu tanto som e ruídos nesses últimos dias, mas, ficamos a procurar os resultados e o que vemos são igrejas crescendo sem uma resposta adequada as necessidades humanas. As pregações são muito bem elaboradas, porém, deveriam balançar o coração, a alma e o entendimento. Os corações balançam e quando os crentes chegam em casa, se deparam com os mesmos problemas, as mesmas frustrações e tentam aplacar essas investidas, acomodando-se nos braços do Mestre pela sua palavra o que já representa um alívio muito grande. Outros mais impacientes correm para orar nos montes em busca de aquecimento espiritual e outros correm para os grandes templos, quem lhes ofereçam maiores possibilidade de vitórias sobre os males.
Qual a principal causa? Quando leio as grandes discussões levantadas nas redes sociais, percebo que há sobejamente, conhecimentos bíblicos, mas, faltam ações concretas. Aprendemos muito nas escolas de teologia e não conseguimos aplicar esse aprendizado de forma eficaz para o bem do Reino de Deus representado pelas diversas igrejas.
Quem sabe, lembrando alguns fatos, despertemos a nossa consciência para nos ajudarmos mutuamente na busca  daquilo que é mais necessário que o conhecimento, afinal de contas, “a ciência incha, mas, o amor edifica” ICo 8:1. Aí, o que vemos: muita discussão vazia, muita crítica e cada vez mais, dando munição para aqueles a quem criticamos; os pregadores da televisão, onde tudo parece se resumir.
Quando os missionários Vingren e Berg aportaram no Brasil, (hoje, muita gente se intitula missionário ou missionária) sem sequer conhecer o idioma, trataram de pregar a palavra de Deus, de forma completa, ou seja, com o poder sobre o qual, Paulo tanto falou em suas palavras. Encontraram muitos inimigos entre crentes e o clero romano. Muitos pastores foram expulsos de cidades pela igreja católica que até então, tinham domínio sobre as autoridades locais. Bíblias rasgadas, igrejas queimadas e perseguidas, crentes sendo chamados jocosamente de “canelas de fogo” e “bodes” entre outros adjetivos depreciadores. Quanto mais perseguiam, mas os crentes  e pastores, se movimentavam ao encontro das almas e JESUS, curava, batizava com Espírito Santo e haviam muitas maravilhas entre o povo. Pouco se sabia sobre escolas de teologia, aliás, sequer falavam bem o português, razão de zombarias de crentes mais estudados que não suportavam o “nós fumus pregar em tal lugar...” estávamos ficando muito espertos. Chegamos a era da inteligência artificial, das escolas teológicas, do conhecimento do grego e do hebraico e o que sobrou? Gente despejando sabedoria em todo canto, e a igreja inchando. Muitos falam sobre o pentecostalismo sem sequer ter noção do verdadeiro significado, uns zombam, debocham descaradamente no sentido de atingir os vazios barulhentos, acabam ofendendo até o Espírito da Graça de Deus. A política e os interesses materiais tomaram conta dos púlpitos.
Os debates se avolumam, estamos sempre a postos para defender e honrar a nossa doutrina nas réplicas e tréplicas, e o povo, oras o povo, correm para as mundiais e universais e outros movimentos que arrogam para si, o verdadeiro avivamento que na verdade, só incendeiam o bolso deles.
Gunnar Vingren e Daniel Berg foram felizes porque não fizeram do evangelho nem do poder de Deus, suas agências de publicidade, mas, ensinaram o povo e estes, com toda simplicidade souberam usar muito bem o que lhes foi confiado, até que...  Chegamos aqui. Hoje somos corintianos, flamenguistas, são paulinos e ainda, falamos com tanto orgulho, dando graças a Deus por isso. Confesso que não entendo essa relação e o fim que muitos de nós, estamos buscando. Particularmente, não me inclino para qualquer nome de clube esportivo, se ganham ou perdem.
Bom voltarmos atrás. Parece-me que está ficando mais fácil encontrar pentecostais atrás dos teclados que em atuação nas igrejas.

3 comentários:

  1. É isso!
    Leio, compreendo e fico entristecido por não permitir o agir mais e melhor de quem de direito.
    Deus o abençoe e obrigado pela palavra.
    Washington

    ResponderExcluir
  2. Que a paz de Cristo, inunde o seu coração.

    Como é bom saber que ainda há homens compromissados com o Evangelho de Cristo, de caráter e com temor.
    Seu post está excelente, quero de antemão parabenizá-lo e dizer que é muito bom saber que fazemos parte do Corpo de Cristo.

    Deixo o convite para que visites o meu cantinho:
    http://frutodoespirito9.blogspot.com/

    Em Cristo,

    **Lucy***


    P.S. Estou indicando o blog de um irmão muito querido.
    Mensagens atuais, algumas polêmicas, porém abençoadoras. Vale a pena conferir, fique a vontade para comentar:

    http://discipulodecristo7.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato a voces. Visitei o blog de ambos e gostei. Deus os abençoe.

      Excluir