Tradução deste blog

sábado, 14 de julho de 2012

EBD 15/07 A MORTE PARA O VERDADEIRO CRISTÃO


LIÇÃO 03 – A MORTE PARA O VERDADEIRO CRISTÃO.
EBD 15/07/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – O QUE É A MORTE.
II – A VIDA APÓS A MORTE.
III – MORTE, O INÍCIO DA VIDA ETERNA.


Em tempo: A sentença de Deus proferida no Jardim do Eden, logo após a queda do homem. “...porque tu és pó e ao pó tornarás” Gn3:19. Por mais que a ciência se esforce, nada altera essa sentença. A partir daí, todos os homens experimentam a morte, essa é a primeira morte e tem caráter físico, porém, outra morte a de caráter espiritual, também ocorreu, o homem ficou separado de Deus. As duas mortes serão restauradas cada uma ao seu tempo: A física, na ressurreição dos mortos e a espiritual, se na antiga aliança, os que provaram a fé em Deus pela justiça a exemplo de Abraão e a partir de Cristo, pela fé no seu nome, leia  Ef. 2:1 que declara como estávamos e o que JESUS fez por nós. Morte não significa aniquilação e sim, separação.


I – O QUE É A MORTE.
1.1. Conceito.
Considere o texto do autor que explica bem a partir da visão médica para considerar uma pessoa, na linguagem técnica, em óbito. Não penso que a morte seja difícil de explicar e sim de determinar quando o paciente está sob cuidados artificiais que prolongam sua vida até que se reconheça a total impossibilidade de viver sem esse aparato clínico. A história relata muitos casos de pessoas dadas como mortas e que retornaram a vida.

1.2 O que as Escrituras dizem?
Estudar a morte nas Escrituras é por demais interessante, a Bíblia, trata da morte pela morte, como pela regeneração em Cristo e a ressurreição. Leia com seus alunos os textos citados neste tópico e outros que interessar. Para os que não frequentam EBD, pode buscar na referência Bíblica, com esse título “morte” e vai se deparar com maravilhosos esclarecimentos do apóstolo Paulo, começando pela carta aos Romanos como ex. Rm 8.
Uma questão que intriga os homens é: Se Deus sendo onisciente e sabendo que o homem transgrediria, porque deixou que tudo isso acontecesse.
Em curtas palavras: Quando Deus fez o homem, já tinha feito muito antes o plano da redenção exatamente por saber que o homem não suportaria a pressão, salvo, estando em Cristo.

1.3 É a separação da alma e do corpo.
Lendo o comentário do autor, você se depara com essa afirmação baseada em Tg.2:26 “...Porque, assim como o  corpo sem Espírito é morto, (...)” o autor na lição, associa a palavra espírito com alma.
Apesar de serem inseparáveis, a alma é a partícula vital da criatura humana enquanto o espírito é a sua identidade. Também é uma das razões pelas quais a Bíblia condena comer o sangue, porquanto a alma está no sangue e intrinsicamente, a alma é o sangue, Lv. 17:11 e 14.

II – A VIDA APÓS A MORTE.
2.1 O que diz o Antigo Testamento.
Considere o interessante comentário do autor para este tópico.
A Bíblia não deixa ninguém confuso quanto se trata de vida, morte e vida após a morte. A visão fica turva e dá base para outras orientações, quando o tema é visto fora do que está escrito na Bíblia e quando não é visto através de Cristo.
A parábola proposta por Jesus, sobre O rico e Lázaro, deixa bem claro que o destino de todo ser humano é o de aportar em duas eternidades: Uma sem Deus e outra com Deus.
A parada  intermediaria entre esta vida e a eternidade, deixam os mortos, conscientes, no paraíso espiritual cujas portas foram abertas por Jesus com a vitória na cruz e na sua ressurreição para os que morrerem (fisicamente) nele e o Hades ou Sheol para os que deixarem esta vida sem ele.

2.2 O que diz o Novo Testamento.
O autor cita:
Mt. 10:28 O Senhor diz que não se deve temer os que matam a carne mas aquele que pode fazer perecer no inferno, tanto a alma como o corpo. O senhor não separa corpo e alma no tocante a existência após a morte.
Aprecio muito o texto de Jo.5:24-28 para esta questão.
Novamente, podemos considerar a parábola do rico e Lazaro.


III – MORTE, O INÍCIO DA VIDA ETERNA.
3.1 Esperança, apesar do luto.
 Os sentimentos vão de fraco a forte, dependendo de como foi a relação entre um morte e seus entes queridos, razão pela qual, não se pode nem se deve criticar alguém que chora amargamente a perda de um parente, principalmente, a perda dos pais ou de filhos para os pais.
Considero oportuno, ensinar os irmãos da inconveniência de ficar comentando o fato, principalmente nas redes sociais. Se temos esperança, a morte não é um fim em si mesmo. A morte representa o começo de uma eternidade em e com Cristo, sabendo que todos nós um dia, nos reaproximaremos.

3.2 A morte de Cristo e a certeza da eternidade.
Não há neste planeta nem ouve em tempo algum, alguém que tenha se posicionado como líder espiritual e que tenha experimentado sair da sepultura, vivo. Esse feito, apenas JESUS, para que a nossa fé não fosse vã e o cristianismo, uma religião tão pagã como as demais.
Mais interessante ainda, todo o antigo testamento, exprime formas proféticas acerca dele, Isaias 53, com riqueza de detalhes e tudo teve o seu cumprimento. Ele precisou morrer para que nós vivêssemos.

3.3 A morte: o desfrutar da vida.
O cântico de Paulo “Onde está o morte o eu aguilhão... Onde está o inferno a tua vitória” Icor 15:55.
Chora-se a separação, mas. quem conhece a Bíblia, sorri diante da morte, pois ela, expressa a maior vitória sobre o pecado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário