Tradução deste blog

quarta-feira, 18 de abril de 2012

DESCE AO CAMINHO DE GAZA.


Nem todos gostam de andar pelo deserto e principalmente se informados de antemão que o mesmo está deserto, não tem ninguém por lá, pior ainda, se você estiver em uma grande igreja que lhe rende uma vida pra lá de confortável, uma boa roda de amigos, no convívio social, uma obra avivada em livre crescimento, com manifestações de  milagres, curas, e batismos com Espírito Santo. Naturalmente, eu registraria o trabalho em cartório, assumiria a presidência e dali, nunca mais sairia. Prepararia o meu filho e o meu neto, pois afinal de contas, vida entregue ao trabalho, precisa ser preservada até a terceira e quarta geração.

Quem poderia imaginar que DEUS, faria o céu se mobilizar por conta de apenas um homem e não era por conta do seu status de “Ministro das Finanças da Etiópia”, pois, para Deus, tanto faz estar no caminho de Gaza ou na estrada que desce para Jericó. Deus vê o que está do lado de dentro, coisa que nenhum de nós, pobres mortais, podemos ver, salvo, aqueles que com um coração quebrantado e cheio de amor, se coloca na posição de servo para fazer a sua vontade.

Quem poderia imaginar, que um pregador com o potencial de Filipe, com a graça recebida, com o coração ardendo de amor pelas almas, sem contudo, jactar-se do poder que a ele foi confiado, sem usar isso, como elemento de força para alavancar sua vida econômica e social, ouviria a voz do Senhor, deixando a cidade de Samaria onde:
1)      Multidões, unanimemente ouviam a pregação de Filipe.
2)      Espíritos imundos deixavam as vidas livres, clamando em alta voz.
3)      Paralíticos e coxos era curados.
4)      A Alegria era grande, naquela cidade.
5)      Rouba de Simão, o mágico enganador, a possibilidade de continuar enganando o povo.
6)      O trabalho era tão intenso que balançou a igreja de Jerusalém, que mandou reforços.
Será que dá para o Senhor repetir a ordem que acabo de receber? Nada disso!!! Se a obra é realmente de Deus, importa fazer a sua vontade.

Lá no deserto, longe dos olhos dos cidadãos, das possibilidades, do conforto, da igreja, dos amigos, está um homem solitário, pacientemente aguardando o andar da carruagem.

A sua obediência valeu uma alma, uma alma, valeu a cidade para onde ia de retorno ao lar e a Bíblia não registra o quanto esse “Ministro de Finanças”, recém convertido, recém batizado, fez pela causa do evangelho.

A única coisa que sei é que Deus, não está preocupado com a evangelização em massa, ele está preocupado com algum coração que em meio a 6 bilhões de habitantes, pulsa pelo desejo de salvação.

Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. Lc. 1

sp2012abr.

2 comentários:

  1. Tudo muito bem colocado. Certamente não há como saber o que ocorreu ao etíope, senão a oportunidade de salvação, aceita imediatamente. Deus se preocupa individualmente com cada um que o queira buscar.
    Por outro lado, preocupa-me a situação de filhos e netos de pastores, os quais sem saber (por falta de interesse em saber e, portanto, por pura ignorância), estão sendo levados para o inferno. Confundem permissão com aprovação. A idolatria familiar é tal que ocupa o lugar de quem deveria ser o mais importante e o ato de servir, nem pensar.
    Oro para que pessoas amadas, enganadas por suas vaidades, encontrem a sua verdadeira vocação e se arrependam e busquem a Deus enquanto O podem achar.

    ResponderExcluir
  2. Excelente Artigo Pastor Genivaldo! Que Deus possa levantar muitos "FILIPES" - o servo que tinha amor às "muitas" almas perdidas, como também à "uma" alma perdida.

    ResponderExcluir