Tradução deste blog

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

EBD/CPAD LÇ.4 1TRIM2012 - A PROSPERIDADE NO NOVO TESTAMENTO.

PONTOS A ESTUDAR:
1 – A PROSPERIDADE NO NOVO TESTAMENTO É ESCATOLÓGICA.
2 – A PROSPERIDADE NO NOVO TESTAMENTO É MUITO MAIS QUE UMA QUESTÃO DE SER DO QUE TER.
3 – A PROSPERIDADE NO NOVO TESTAMENTO É FILANTRÓPICA.

RECOMENDAÇÃO: Quando jovem, era ensinado a não ter ambição. O que a Bíblia nos ensina é não ambicionar coisas altas, recomendar que os jovens devem naturalmente, estudar e desejar uma melhor posição social, mas, nunca esquecer que ninguém sobe sozinho na vida e ao chegar no topo, não virar as costas para quem deu todo apoio sem o qual, não haveria prosperidade.


I A PROSPERIDADE NO NOVO TESTAMENTO É ESCATOLÓGICA.
1.1        Prosperidade e consumo.
O que é “visão escatológica dos primeiros cristãos”. Pela exposição, o autor chama a atenção para os interesses que envolviam a vida dos primeiros cristãos. Tudo estava ligado à promessa futura do reino de Deus que abriria a porta da eternidade, longe da aflição e da dor. Nesse sentido, tudo que dizia respeito aos interesses materiais seriam como água passando sob a ponte. A ponte era o caminho e a água, a atração para a qual e na qual, não mergulhavam. O foco dos primeiros cristãos era o mais absoluto interesse nas coisas concernentes as promessas de Jesus e a palavra dos apóstolos.
A vida cercada de bens materiais e o consumo, não faziam parte dos comentários e das pregações.
1.2        Prosperidade e futuridade.
Os cristãos, não viviam preocupados com a vida presente do ponto de vista de ser e ter e lendo as escrituras, dá-nos a impressão que todo conselho, tanto de Jesus quanto dos apóstolos, era o de não colocar as riquezas em primeiro lugar.
O consumismo tem sido a desgraça do povo moderno; a alimentação da ganancia, da soberba e da vaidade.
II A PROSPERIDADE NO NOVO TESTAMENTO É MAIS UMA QUESTÃO DE SER DO QUE TER.
2.1 Tesouros na terra.
Em Lc. 12:31 O homem rico estava tão preocupado em acumular riquezas, em ter e consumir (come, bebe e folga) que ser uma pessoa benevolente, piedosa, para quem a resposta do céu, não era o esperado, mas, é a que finaliza a vida do homem sem Deus.
Como uma praga, o ter, tomou conta da alma humana e isto tem levado muita gente a depressão e morte.
2.2 Tesouros no céu.
Se Jesus estivesse entre nós e ouvisse a maneira como estão convencendo o povo de Deus que ter corresponde a uma boa relação com Deus, certamente resolveria a sua maneira esta aberração que chama de doutrina. Ajuntar tesouros no céu significa enriquecer-se com a esperança proposta pela palavra de Deus. Nada tem a ver com posses nesta vida, onde a traça corrói, o ladrão rouba e a ferrugem consome, mas, depositar no céu porquanto os resultados são infalíveis.

III A PROSPERIDADE  NO NOVO TESTAMENTO É FILANTRÓPICA.
3.1 Uma igreja com diferentes classes sociais.
O autor ressalta a homogeneidade na fé dos irmãos, na igreja primitiva. A Bíblia diz em atos 2:40-47 que era um o coração e a alma dos que criam. Tudo era de todos em comum. Os interesses eram mútuos, completamente o contrário do que vemos hoje. Aquilo era prosperidade e era agradável a Deus, pois a resposta estava no crescimento da igreja. Como anda o crescimento da igreja na atualidade?
3.2 Não esquecer dos pobres.
Não esquecer dos pobres é o que se chama filantropia.
Há muitos que nunca deixam os pobres e estes juntos, alavancam muitas vezes os que prosperam.  Muitos prósperos, quando chegam no topo, viram as costas para os necessitados e para quem os ajudou.

Apesar dos ensinamentos bíblicos a partir de Jesus, nada impede o crente de ser e desejar ter melhores condições de vida, mas, sem essa obsessão que marca toda a nossa geração. O conselho da palavra de Deus é que, se a nossa riqueza aumentar, não devemos por nela o nosso coração.


Um comentário:

  1. Ola,

    Parabéns pelo belo e edificante blog, que Deus continue abençoando grandemente sua vida e a dos seus.

    Um grande abraço...

    ResponderExcluir