Tradução deste blog

domingo, 1 de julho de 2012

EBD 08/07/12 A ENFERMIDADE NA VIDA DO CRENTE


LIÇÃO 02 – A ENFERMIDADE NA VIDA DO CRENTE.
EBD 08/07/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A ORIGEM DAS ENFERMIDADES.
II – AS DOENÇAS DA VIDA MODERNA.
III – O QUE FAZER DIANTE DA DOR E DO SOFRIMENTO.


Em tempo: Na minha vida ministerial, convivi com muitos casos de doenças terminais. Muitas vezes me senti impotente e na mesma proporção, pude ver o Senhor operar cura total e podia garantir que o paciente sequer tinha pulso para estabelecer com o Senhor, uma relação de fé e confiança no seu poder de operar maravilhas. Houve casos em que orava apenas, para cumprir o papel pastoral e o milagre acontecia. Essas experiências me levaram a compreender que quando o Senhor opera a cura, opera para ser glorificado e para que a sua palavra produza efeito maior nos que veem e ouvem. Tenho analisado os programas de televisão, onde muitas pessoas manifestam suas vitórias sobre as doenças e esses milagres não acontecem pela cor dos olhos do pregador. Mesmo com Jesus, nem todos os que passaram por ele, saíram curados. Não dá, creio, para dizer que a fé no coração do doente seja o suficiente para alcançar o milagre. Uma pessoa incapaz de manifestar vontade pode receber curas. Temos vários casos na Bíblia em que o doente dependia mais do Senhor que a sua própria fé. Só para simplificar, vejamos o caso de Naamã. Naamã só creu na cura, depois de ela ter acontecido e se converteu a Deus, de verdade, diante do milagre.

I – A ORIGEM DAS ENFERMIDADES.
1.1        A queda e as enfermidades. Muito interessante o comentário desse tópico na lição. Apenas desejo que os professores sejam firmes em transmitir esse conhecimento aos alunos, pois a muitas profetadas que atribuem a doença a algum pecado. Originalmente, a doença no corpo e na alma estão implicitamente ligadas a queda no Éden. Entre o nascimento e a morte física, há fatores internos e externos que deterioram o corpo humano: INTERNAMENTE, doenças causadas por problemas genéticos e outros que evoluem durante a gravidez e parto, a velhice e outras que evoluem pela combinação desses fatores e EXTERNAMENTE, a agressão do meio ambiente, da alimentação e da contaminação do ar e da água. Há que se considerar também, as epidemias.

1.2        Provados pelas enfermidades.
Este poderia ser tratado como um capítulo a parte, a permissão de Deus, para que sejamos provados. O autor cita três grandes exemplos na Bíblia: A doença de Ezequias 2Rs. 20:1-11, Jó 1:1-22 e Timóteo ITm.5:23.
1.3        Enfermidades de origem maligna.
Outro assunto que merece maior tempo de apreciação, o autor cita alguns exemplos, veja a lição, todavia, ao longo dos meus 46 anos de crente no Senhor, vivendo igreja como membro e depois pastoreando, confesso nunca ter tomado conhecimento de qualquer enfermidade de origem maligna, ligadas a opressão, acometendo a vidas. Sedmpre guardei com carinho o que está em IJo. 5:18 Conserva-se a si mesmo e o maligno não lhe toca.
1.4         

II – AS DOENÇAS DA VIDA MODERNA.
Gostaria muito de chamar a atenção de pastores e professores. Já tive conhecimento de comentários, nos púlpitos de igrejas, que o crente não deve aceitar ou não é próprio para o crente, problemas de depressão ou síndromes. Antes de julgar os membros nesse quesito, o pregador ou pastor precisa pedir graça ao Senhor para entender os limites do ser humano, de cada um.
Já convivi com minha esposa problemas de depressão após cirurgia da mama ocasionada por câncer.

2.1 Depressão.
Ótimo, o comentário da lição. Tem muitos maridos que contribuem para o perfil depressivo da esposa, por abandono, maus tratos, e agressão de ordem moral que lhe provoque a perda da auto estima e depois as acusam de não terem fé.

2.2 Síndrome do pânico.
Ótimo, o comentário do autor sobre o assunto. Recentemente encontrei pelo facebook um jovem que na infância sua mãe o levava em nossa igreja, ele disse estar com Síndrome do Pânico. Fui visita-lo e na minha avaliação percebi o quanto a pessoa sofre, mantendo-se trancada em casa. Vi também como a igreja falha pela falta de acompanhamento de pessoas em tal situação.

2.3 As doenças psicossomáticas.
São aquelas que entram pela porta da psique, desestruturam o sistema emocional e refletem no corpo. Considere o comentário do autor muito esclarecedor nesse tópico.
A ansiedade e o estress emocional são das mais conhecidas como causa das doenças da vida moderna.
E.T. Muitas curas vistas na televisão estão ligadas a doenças psicossomáticas. Uma simples sugestão pode levar a cura.
A depressão será o maior mal do planeta até 2030 é o que acabo de ler na internet.

III – O QUE FAZER DIANTE DA DOR E DO SOFRIMENTO.
3.1 Não culpar ou questionar a Deus.
Leia para os alunos o tópico. Procure fazer uma leitura rápida para chamar a atenção, às palavras do autor.
Tenho visto muitas pessoas questionarem  Deus. Um ato muito perigoso, diria dois, 1) Tentar consolar o enfermo com promessas que Deus e a sua palavra não faz. 2) Profecias prometendo a cura. Não se deve gerar expectativas boas ou ruins ao visitar alguém enfermo. Eles acabarão culpando Deus quando as coisas não acontecerem como ouviram. O melhor é ler a palavra e procurar alimentar a fé sem esquecer a vontade soberana de Deus.

3.2 Confiar em meio à dor.
Ensinar o autocontrole nesses momentos é muito importante, leva-los a entender que a confiança em Deus, proporciona conforto à alma e muitas vezes a cura.

3.3 A espera de um milagre.
Felizmente, os milagres não cessaram. Certamente não ocorre com o mesmo vigor nos primeiros tempos da igreja, porque também, a igreja de hoje não vivencia as lutas de ontem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário