Tradução deste blog

domingo, 28 de junho de 2015

EBD LÇ 1 UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA

EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO PARA O DIA 05/07/2015
PONTOS A ESTUDAR:
I – O NONO MANDAMENTO.
II – O PROCESSO.
III – A VERDADE.
IV – O CUIDADO COM A MENTIRA.




I – AS EPÍSTOLAS PASTORAIS.

1.1 Cartas pastorais.

Ninguém nasceu sabendo é o que dizem com absoluto fundo de verdade e a outra verdade é esta: “  (...) como poderei entender se não há quem me explique...”. Atos 8:31.

A minha pergunta é: Quem está (hoje) disposto a aprender, pois, muitos passam a impressão de terem nascidos com a verdade o que não é verdade.

Sem querer falar de uma igreja, cujo nome não precisa ser citado, que não aceitam o ensinamento regular, entendem que o Espírito do Senhor ensina tudo o que não combina com Atos 8:31.


1.2 Datas em que foram escritas.

São informações bibliográficas que pode não despertar grande interesse nos alunos, todavia, é bom notar o tempo em que elas foram escritas para perceber que após a morte e ressurreição do Senhor, a igreja esteve muito ativa sob todos os aspectos.

Pelas minhas contas, salvo melhor juízo e considerando o ano do nascimento do Senhor com relação à sua morte, elas foram escritas aproximadamente, 25 a 28 anos depois da ascensão do Senhor.


1.3 Conteúdo.

É sempre bom observar que apesar do apóstolo alertar a igreja, adverti-la contra os falsos ensinamentos e aplicar doutrinas, o jeito respeitoso é conservado em todas elas, próprios para o seu tempo e dignos de serem observados por todos nós.

Quanto a diversidade de assuntos o autor apresentar 5 pontos: Saudação, Qualificações ministeriais, alerta contra os falsos mestres e falsas doutrinas, o cuidado com a sã doutrina e questões de comportamento e conselhos a diversos grupos; casados, solteiros e candidatos ao santo ministério.

Concluindo, causa-nos espécie que a maioria das igrejas, principalmente as neopentecostais, não se dedica ao estudo das cartas de Paulo, tampouco, as aplicam na vida da igreja.


II PROPÓSITO E MENSAGEM.

2.1 Orientar os líderes quanto à vida pessoal.

Neste ponto, temos hoje a maior carência de cuidados, pois, não conseguem esconder, aqueles que valorizam mais a aparência pessoal, na qualidade das roupas e do carro que possui em detrimento as questões morais e familiares.

2.2 Combater as heresias.

Pelo conteúdo oferecido pelo autor neste tópico, depreende-se que a luta pastoral de Paulo exercitava-se em duas principais frentes: Judaísmo de um lado e os gnósticos de outro.

A nossa luta é voltada para o humanismo; o homem em torno de si mesmo, voltado para os seus próprios interesses tendo como consequência, a falta de amor e frieza na fé.

O que acontece também e que fica até difícil chamar de heresia são as maluquices criadas sob a sombra do pentecostalismo, tudo com vistas a enriquecimento ilícito pelo engano do pecado. Verdadeiro abuso.


III – UMA MENSAGEM PARA A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA DA ATUALIDADE.

3.1 O “evangelho” da prosperidade.


Recomendo a leitura deste tópico junto com seus alunos pelo valor informativo que contém.

A questão é tão gritante que passa-nos a impressão que reduziram Deus a condição de servo.

Deus não os deixará impunes.

3.2 Apostasia dos últimos dias.

As coisas vão entrando devagar nas igrejas e já tem muitos crentes que se deixam fotografar com trajes de festas juninas e se isto é pouco, logo farão a festa junina gospel. Preparem-se.


IV – MENSAGEM PARA A LIDERANÇA.

4.1 Administração eclesiástica.

Aqui o autor fala das qualificações ministeriais que a cada dia parecem muito distantes.

Penso que fui muito abençoado por Deus por ter convivido e ouvido pastores do final da primeira geração da nossa igreja e da segunda, que não usavam a fé para o enriquecimento muito menos para se popularizar.

Muitos jovens pastores só tem tido como experiência, a vida e a mensagem do obreiro da sua congregação, assim, é o único modelo que conhece e dessa forma é conduzido para dirigir igrejas sem qualquer preparo. Isto é muito grave.

4.2 Ética ministerial.

 Poderia repetir o ponto acima, pois a falta de ética tem sido um fator constante na vida de muitos; há muita vaidade sobre os púlpitos e a falta de ética vai da postura à relação com companheiros de ministério para explodir fora, nas relações familiares e comerciais no bairro em que resida o pastor.



Um comentário:

  1. encontrei um que explica os topcos da liçao,e nao so apresenta os topcos,mas gostaria de uma explicaçao mais abrangente exegetica.ok?

    ResponderExcluir