Tradução deste blog

domingo, 29 de janeiro de 2012

EBD/CPAD LÇ.6/1ºT.2012 A PROSPERIDADE DOS BEM AVENTURADOS.

PONTOS A ESTUDAR:
I – O FUNDAMENTO DAS BEM AVENTURANÇAS.
II – A BEM AVENTURANÇA DA MANSIDÃO E DA MISERICÓRDIA.
III – A BEM AVENTURANÇA DA PUREZA E DA AFLIÇÃO.

RECOMENDAÇÃO: Proceder a leitura de Mt 5:1-12 mostrando que as bem aventuranças são uma proposta de JESUS para uma vida feliz, abençoada  e ideal para quem deseja produzir frutos dignos de arrependimento. Na antiga aliança, citaríamos os dez mandamentos como regra básica para obediência a Deus, não podendo falhar em justiça e misericórdia; aqui, poderíamos compor os novos dez mandamentos como sendo: Os nove pronunciamentos da bem aventurança que não são impostos como ordem legal e o décimo que é “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. Nove são propostas para uma vida plena em Cristo e o décimo é o maior mandamento que ultrapassou os limites entre a velha e a nova aliança, Mc.12:30, Lc.10:27 e Mt.22:37. Amar a Deus, não é uma simples opção de vida, é garantir a eternidade com todas as ordenanças neotestamentárias que são: O reconhecimento da morte expiatória de Cristo, batismo, ceia e comunhão com os santos.

I – O FUNDAMENTO DAS BEM-AVENTURANÇAS.
1.1        O significado das bem-aventuranças.
As “beatitudes”. Esse termo simplifica a fala sobre “bem-aventurados” que alguns na leitura pública, dão um tom poético e ligam a pronúncia em “bemaventurados”.  Não é de estranhar que os gregos usassem a expressão Makarios, no sentido de bem estar material, começando pelos seus deuses por serem detentores da cultura helênica ou helenística, onde tudo era filosofia de vida material, mas, no texto bíblico, nada conduz a uma melhor qualidade de vida material, não há aí, qualquer promessa nesse sentido, exceto dois que se aproximam das nossas carências supridas por Deus: Os que têm fome e sede de justiça porque serão fartos e os misericordiosos porque alcançarão misericórdia. A terra prometida em: Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra, com muita certeza, nos lançam a conquista de novos céus e nova terra nos termos do Apocalipse 21:1 “E vi um novo céu e uma nova terra”.

1.2        Bem-aventurados os pobres.
Esse texto sempre foi alvo de confusão por parte de quem não busca em Deus uma boa compreensão da sua palavra nem ouve aqueles que são enviados com o propósito de esclarecê-la sob a orientação do Espírito Santo. Boa a interpretação do autor quando afirma que o texto não conduz ao reconhecimento da pobreza pela falta de recursos materiais. O homem pode ser pobre em bens materiais e não sê-lo no sentido espiritual por conta da soberba e do orgulho, que impede de não reconhecer sua dependência de Deus, portanto, no texto, POBRE = CARENTE DO FAVOR DIVINO.

1.3        Bem-aventurados os que choram.
Conheci um pastor muito chorão, orava chorando e pregava por vezes chorando e ainda usava o lenço. Um dia, muito incomodado com isso, abri os olhos na oração e busquei os dele, quando percebi secura lacrimal. Perguntem aos doutores se é possível chorar sem lágrimas. A recomendação para esses casos é uma bolsa de estudos em escola de artes dramáticas, a exemplo dos atores globais.
As únicas lágrimas guardadas nos odres de Deus, são:  os que choram pela salvação das almas e os que choram para que haja justiça dentro das nossas igrejas.

II – A BEM-AVENTURANÇA DA MANSIDÃO E DA MISERICÓRDIA.
2.1 Bem aventurados os mansos. Mt.5.5.
Piegas ou pieguice = Que apela excessivamente para os sentimentos ou ainda, leva tudo para o lado emotivo, no popular, “o coitadinho”.
Manso aqui fala da pessoa que tem domínio próprio, não sendo confiável que se você lhe der um tapa ele vire a outra face, porém, é uma pessoa tratável e que não se irrita com facilidade. Lembremo-nos de Moisés e sua irritação em Cades-Barnéia, no deserto de Zim Nm.20.

2.2 Bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça. Mt.5:6.
Outro aspecto, além do já comentado, sobre fome e sede de justiça é pela instauração do Reino de Deus, mais propriamente dito, o Reino do Messias, referindo-se ao Reino Milenial, não obstante, esse reino nunca terá fim. Não devemos levantar polêmica se alguém disser que é Reino de Deus outro, Reino de Cristo, JESUS disse: “Eu e o pai somos um”.  Jo 10:30 e o reino é o que esperamos ansiosamente que se abra para receber a igreja do Senhor.

2.3 Bem-aventurados os misericordiosos. Mt. 5.7.
Lembro-me vagamente de alguém ter ensinado que não poderíamos dizer que temos misericórdia, pois, na literatura traduzem assim: Miséri = miséria e córdia = coração portanto significa: colocar a miséria do próximo em nosso coração. Se você por acaso, ouvir alguém pregando isto, tape os ouvidos e faça de contas que foi apenas um pesadelo.
Misericórdia é ter compaixão dos necessitados sob todos os aspectos; da carência afetiva a carência de alimentação. Outro sentido igualmente válido é ter compaixão dos que pecam contra você ou que cometam faltas contra você. Usar de misericórdia é perdoar seja uma dívida financeira ou ato grosseiro. Exemplo disso está na parábola do credor incompassivo. Mt. 18:23-35.

III – A BEM-AVENTURANÇA DA PUREZA E DA AFLIÇÃO.
3.1 Bem-aventurados os limpos de coração. Mt.5:8.
Coração limpo de palavrões, indecências, mágoas ou ressentimentos, mas, cheio de bondade, fé, mansidão e temperança. Veja em Gálatas 5:19-23.

3.2 Bem-aventurados os pacificadores. Mt. 5:9.
O comentário da lição é curto, dispensa interpretar, mas, veja na sua igreja, todos aqueles que você pode contar nos dedos, que são habituados a desviar toda contenda com vistas a manutenção da paz dentro da igreja. Estão fazendo o que é certo, todavia, quase dá vontade de premia-los.

3.3 Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça. Mt. 5:10-11.
O comentador esclarece bem e ainda desafia os pregadores da prosperidade que buscam na sua doutrina, razão para tanta perseguição e não é nesse sentido; perseguidos, por causa da justiça é quando você se detém em pregar o amor de Cristo e com isto, soma inimigos da causa do Reino de Deus.

Na conclusão, o comentador da lição fecha bem a exposição de motivos e tomada do texto de Mateus 5 para mostrar que a base da vida cristã, não está amarrada a questão de uma vida material próspera. Há muitas pessoas prósperas que não contribuem em nada para o engrandecimento do Reino de Deus.


Nenhum comentário:

Postar um comentário