Tradução deste blog

sábado, 9 de agosto de 2014

EBD LÇ.6 A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS

EBD – LIÇÃO PARA O DIA 10/08/2014
A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A FÉ NÃO PODE FAZER ACEPÇÃO DE PESSOAS.
II – DEUS ESCOLHEU OS POBRES AOS OLHOS DO MUNDO.
III – A LEI REAL, A LEI MOSAICA E A LEI DA LIBERDADE.



Proposta de introdução:

A discriminação contra pessoas de classe social inferior é vergonhosa e ultrajante. Em muitas igrejas, essa vergonha e ultraje parecem sujeiras difícil de limpar ou não há vontade para se fazer a limpeza 


I – A FÉ NÃO PODE FAZER ACEPÇÃO DE PESSOAS.

1.1 Em Cristo, a fé é imparcial.

O professor deve ler este tópico para os alunos onde o autor considera o primeiro verso da epístola, como um chamamento à responsabilidade; que não tenhamos a fé em Nosso Senhor, fazendo acepção de pessoas e finaliza dizendo: “...É, portanto, inaceitável que exista tal comportamento discriminatório e preconceituoso entre nós”. 

Particularmente, penso que os que agem de maneira discriminatória na igreja, ou no ministério, não têm consciência da proporção desse mal-feito, mas a Palavra do Senhor e a atuação do Espírito de Deus em nossas vidas nos dão essa visão.

O que falta? Colírio nos olhos. 

1.2 O amor de Deus tem de ser manifesto na igreja local. 

Aos que possuem as melhores condições sociais e financeiras, parece ser uma tentação irresistível priorizar as melhores oportunidades e lugares, e ainda acreditar que o privilégio é simplesmente questão de honrar.

Por que todos vós sois um em Cristo e assim, devemos conviver.

1.3 Não sejamos perversos.

É uma forte tendência fazer julgamento pela aparência e sentenciar pessoas ao desprezo e isolamento baseado em impressões superficiais. Isso ocorre com frequência. 

II – DEUS ESCOLHEU OS POBRES AOS OLHOS DO MUNDO.

2.1 A soberana escolha de Deus.

Os pobres têm sido alvos de muita discussão no presente século.

São alvos de bajulação nas épocas de eleição.

Deus ama os pobres de verdade, constatamos ser assim por tê-los escolhidos para serem ricos e herdeiros do Reino - reino preparado por Ele ainda antes da fundação do mundo. 

2.2 A principal razão para não desonrar o pobre.

Chegamos a um ponto extremamente importante, porém, vergonhoso e saber que esse comportamento era comum nos dias do apóstolo que pela revelação de Deus e capacidade de discernir, não deixou por menos.

Desonrar o irmão pobre para fazer “média” com os poderosos não é boa coisa. Já vi casos de pessoas agirem com rigor sobre pessoas pobres, somente para mostrar serviço ao patrão rico.

“Cometeis pecado...” diz o apóstolo. Verbo sempre no presente; é a Palavra de Deus.

2.3 Desonraram o Senhor.

Gosto de irmãos que falam corajosamente, sem animosidade nem ranço de revanchismo ou desabafo.

Gostei desta lição e gostei muito deste tópico em que o autor expressa:
“...quaisquer tipos de discriminação devem ser combatidos com rigor na igreja local”.

Que os pastores realizem as cerimonias de casamento com a mesma alegria e disposição como fazem com as filhas dos mais aquinhoados.

E por incrível que pareça, há casos em que irmãos pobres são abandonados no momento mais exigente em consolação, dando-se pouca importância ao momento em que mais precisam. Quando se trata de funeral de ricos, ninguém sente dificuldade até de faltar no serviço.


III – A LEI REAL, A LEI MOSAICA E A LEI DA LIBERDADE.

3.1 A Lei Real.

A Lei Real a que estabelece regra a ser cumprida por todos e obedecendo-a, tratamos todos como “iguais”; esse é o lado maravilhoso que encontramos nas igrejas, a única instituição que valoriza o pobre pela Palavra de Deus. O pobre sobre degraus e os ricos descem para nivelamento e isto é feito pela lei do amor.


3.2 A Lei Mosaica.

A concepção bíblica em Cristo, sobre mandamentos diferem da concepção religiosa e até da concepção moral ou humana.
É importante que se entenda que não adianta valorizar e cumprir um mandamento e deixar outros de lado tornando-se réu de todos os demais mandamentos.

Tudo isto quer dizer que Deus não aceita uma boa religiosidade se questões importantes são desprezadas e o preconceito é péssimo em qualquer circunstância.

3.3 A Lei da Liberdade.

Apesar de parecer uma vida cheia de exigências, na verdade, nada mais suave que a Lei da Liberdade em Cristo.

Temos toda liberdade como qualquer cidadão de fazer o que vem à cabeça, todavia, por amor a Cristo, escolhemos o que é saudável  para nossa vida individual, familiar e em comunidade, procurando sempre o bem de todos.

Disse o Senhor: “... porque o meu jugo é suave e o meu  fardo é leve. Mt.11:30.

Assim, sejamos abençoados pelo Senhor e seremos quando aprendermos a abençoar os que estão próximos de nós.

A lição não propõe que desprezemos o rico por que é rico; há também o preconceito com pessoas por suas posses.

Peço desculpas pelo atraso na publicação deste subsídio.





Nenhum comentário:

Postar um comentário