Tradução deste blog

sábado, 10 de maio de 2014

EBD LC 6 O MINISTÉRIO DE APÓSTOLO

EBD para o dia 11 de maio de 2014.
PONTOS A ESTUDAR:
I – O COLÉGIO APOSTÓLICO.
II – O APÓSTOLO PAULO.
III – APOSTOLICIDADE ATUAL.


Em tempo: Sei que quando este comentário cair no domínio público, a lição desse domingo já terá sido ministrada. Peço desculpas, estou convalescendo de uma cirurgia, mas, não quis deixar passar em branco.


I – O COLÉGIO APOSTÓLICO.

1.1 O termo “apóstolo”.

Buscam-se explicações para o sentido do termo apóstolo e penso que a Bíblia explica o suficiente pelo motivo percebido no texto sagrado. Chamados  por JESUS para acompanha-lo e servi-lo fazendo da vida deles uma escola de preparação de ministros como nunca houve em todo o tempo.

1.2 O colégio apostólico.

Colégio apostólico é um termo usado para descrever o grupo dos doze que formaram a base ministerial para dar continuidade à obra do Evangelho. Jesus sabia e tinha dito sobre o curto tempo que passaria com eles.

1.3 A singularidade dos doze.

A singularidade está basicamente na forma e por quem foram chamados; o tempo da chamada e a oportunidade de terem estado com o Senhor. O fato de terem andado com Cristo pode ensejar a declaração ou reconhecimento de que não haja mais apóstolos em nossos dias. Certamente, com o mesmo perfil, não há, todavia, é um dos cinco dons ministeriais e é preciso compreendê-lo.

II – O APÓSTOLO PAULO.

2.1 Saulo e sua conversão.

O colégio apostólico é marcado por dois fatos interessantes:

A)   No capítulo primeiro de Atos versos 15-26 tivemos uma substituição no colegiado; com a morte de Judas, escolheram Matias de quem, pouco ou nada se sabe. Algum mérito de vida ele tinha para ser alvo da escolha que nada tinha de política.
  
B) A entrada de Paulo, que contra a natureza  é enxertado no colegiado. O apóstolo dos gentios altera a estrutura do colégio, pois, são treze, não obstante, o número doze manter uma estreita relação com os doze patriarcas de Israel. Paulo exerceu muita influência na vida dos doze apóstolos.
  
2.2 Um homem preparado para servir.

Não há qualquer dúvida que Paulo deixou o legado que os futuros seguidores do Evangelho precisariam para servir o Senhor. Tudo que surgiu posteriormente e isso incluem os reformadores e seus ensinamentos, são apenas interpretações e reflexos daquilo que o Apóstolo dos gentios deixou escritos.

2.3 “O menor dos apóstolos”.

Dispensa comentários. Hoje todos querem ser, os maiores.


III – APOSTOLICIDADE ATUAL.

Quero resumir a parte final em único comentário para dizer que há sim, apóstolos na atualidade, porém, a igreja não reconhece ministerialmente os apóstolos, os profetas e os doutores que são reconhecidos pelas ações de cada um.

A) Por que a igreja reconheceria fisicamente alguém como profeta, para profetizar exatamente o que? Já temos tantos profetas e tantas profetadas.

B) Por que a igreja reconheceria fisicamente alguém como apóstolo se a base tinha sido montada pelo próprio Senhor Jesus, para substituir qual dos doze? Já temos tantos querendo ser apóstolos e não são.

C) Por que a igreja reconheceria fisicamente alguém como doutor, quando vaidosamente muitos querem ser “doutor”, não entendendo sequer o que dizem.

Temos sim, homens de Deus que pela singularidade do trabalho despretensioso, tanto pela vocação quanto pelo estilo de ministério, a semelhança com os que de fato, foram apóstolos do Senhor. O dom ministerial descrito em Efésios 4:11, garante isto sem conceder o status. Se não for para o aperfeiçoamento dos santos, esses dons perdem o seu valor na vida de muitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário