Tradução deste blog

terça-feira, 12 de junho de 2012

EBD12 O JUIZO FINAL


LIÇÃO 12 – O JUIZO FINAL.
Para o dia 17/06/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – O QUE É O JUIZO FINAL.
II – O JULGAMENTO DA BESTA.
III – A INSTALAÇÃO DO TRONO BRANCO.
IV – O JULGAMENTO DOS MORTOS.
V – O JULGAMENTO DA MORTE E DO INFERNO.


Em tempo: O texto mais forte de todo este capítulo e até mesmo dos demais do novo testamento semelhantes é: “Mas, quanto aos tímidos e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, o que é a segunda morte”.

Muito bem! Se pensarmos no comerciante que compra e vende sem nota fiscal ou a preço reduzido, o que negocia o imóvel com valor mais barato, o que recebe propina, o que propositadamente erra no peso, o que inclui produtos falsos no bom para redução dos custos.
O que diz para o seu conservo: “Irmão estou fazendo isto por que senti de Deus”, apenas para afastar quem não interessa. O que mente pra esposa e esposa que mente pro marido.

 Diga-me; quem se salva de verdade?

“As misericórdias do Senhor são as causas de não sermos consumidos porque as suas misericórdias não tem fim”.     Lm.3:22

  
I – O QUE É O JUÍZO FINAL.
O autor considera que todos tem certa preocupação com o que acontecerá no final. Apenas os ímpios, por não avaliar o dano da impiedade e os que dizem não crer na existência de Deus. Juízo final é algo para se pensar e não esquecer em momento algum.


1.1        O juízo final.
É a hora da verdade em que os não justificados, receberão o salário do pecado.

1.2        As bases do juízo final.
O autor considera como base primordial, a inquestionável justiça de Deus. O tribunal terreno ouve a acusação, a defesa; a réplica e até a tréplica. No juízo divino, tudo isso e até, testemunhas, serão dispensáveis.

1.3        A ocasião do juízo final.
No término do milênio – E acabado os mil anos – Ap.20:7-10.
Observe-se como o cumprimento da Palavra de Deus, tem uma cronologia irretocável.


II – O JULGAMENTO DA BESTA, DO FALSO PROFETA E DO DRAGÃO.
A besta e o falso profeta em primeiro lugar, porque são homens. O Dragão ainda terá um tempo, quando terminar o milênio.
Segundo o Capítulo 18 e 19, segue-se esta ordem:
a)   A queda da grande babilônia que sempre embriagou a humanidade com suas idolatrias.  
b)    A besta e o falso profeta e
c)    Satanás, o Dragão, que será solto no final do milênio, reunirá uma grande multidão para combater Israel e o governo de Cristo.

2.1-2 O juízo sobre a besta e o falso profeta.
Serão sentenciados antes do final do milênio, considere o que escreve o autor nos pontos 2.1 e 2.2.

2.3 O juízo sobre o Dragão.
Peço que o professor faça uma leitura rápida deste tópico 3 na lição; ele apresenta o assuntos na sua ordem, como realmente acontecerão.
Apenas algumas considerações:
O autor chama a atenção para o fato de as nações se deixarem seduzir pelo Diabo, no final do milênio, tendo experimentado o melhor governo que a terra já conheceu. Isso mostra como o homem é volúvel.
O meu pensamento a respeito é que apesar do governo de Cristo, ser o melhor em tudo, haverá algo que não ocorrerá no milênio, a prostituição e o erotismo, certamente, os homens suportarão bem o milênio sob o governo de Cristo, mas, se derreterão por dentro, pela falta do carnaval, da bebida e da prostituição, creio que isto pesará no julgamento deles.


III – A INSTALAÇÃO DO TRONO BRANCO.
O trono em que Deus julgará os ímpios no final do milênio.

3.1 O Trono Branco.
O autor considera que nele não haverá qualquer falha. Será irretorquível ou seja: Irrefutável, como já dissemos lá em cima e comentado na lição, não será necessários, defesa, acusação réplica ou tréplica.

3.2 Os tronos dos justos.
Ap 20:4 E vi tronos.
Disse João que nesses tronos, assentaram-se aqueles a quem foi dado o poder de julgar.
O Trono Branco, parece ser real e não um simbolismo, mas, no caso dos tronos visto por joão, é possível aceitar como simbolismo do julgamento que caberá aos remidos de todas as épocas como aqueles que sofreram no milênio e alcançaram a redenção.

3.3 O Supremo juiz.
Dispensa comentários, basta o texto da lição e saber que o próprio Deus conduzirá o julgamento.

3.4 Os livros do Juízo Final.
A existência dos livros que relatam as obras de cada um, é tão real que Moises pediu ao Senhor: “Perdoa esse povo ou risca o meu nome do livro que tens escrito”. Ex. 32:32.
  
IV – O JULGAMENTO DOS MORTOS.
O julgamento será pessoal. Deus tratará com cada um individualmente para firmar sentença.
4.1-2  A segunda ressurreição e os mortos.
Chamamos de ressurreição geral, pois todos voltarão a vida para serem julgados. Acrescento aqui, o pensamento que os ímpios ressuscitarão no corpo do pecado, diferente dos justos da primeira ressurreição. No corpo do pecado serão julgados e condenados.

4.3 A segunda morte.
Morte não significação aniquilação e sim, separação, assim, considere o que diz o autor a respeito.

V – O JULGAMENTO DA MORTE E DO INFERNO.
Aquilo que era um terror para os homens, também foram lançados no lago de fogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário