Tradução deste blog

quarta-feira, 26 de abril de 2017

JACÓ, EXEMPLO DE CARÁTER RENOVADO, EBD Lç.5 30/04/17

EBD LÇ. 5 30/04/2017 “JACÓ, UM EXEMPLO DE UM CARÁTER RENOVADO”.

O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical, lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.

PONTOS:
I – QUEM ERA JACÓ.
II – A DIREÇÃO DE DEUS NA VIDA DE JACÓ.
III – ASPECTOS DO CARÁTER DE JACÓ.

 Somente revelações, não faz um homem completo se não passar pelo Vau de Jaboque e ter um verdadeiro encontro com Deus.


   
I – QUEM ERA JACÓ.

1.1 O filho mais novo de Isaque.

A história de Jacó já começa no ventre da mãe e toma corpo com o seu nascimento ao sair agarrado no calcanhar do seu irmão.  

Gn. 25:22,23 E os filhos lutavam dentro dela; então disse: Se assim é, por que sou eu assim? E foi perguntar ao Senhor. E o Senhor lhe disse: Duas nações há no teu ventre, e dois povos  se dividirão das tuas entranhas, e um povo será mais forte do que o outro povo, e o maior servirá ao menor.
 
Aqui temos a Palavra de Deus cujo cumprimento, acontece aos nossos olhos e impacta o mundo.


1.2 O preferido da mãe.

Na maioria das vezes certas preferências causam grandes danos. Neste caso, o drama familiar daria lugar ao cumprimento dos planos de Deus para Israel e para as nações, tudo muito bem alinhavado que por ser o autor, Deus, não teria como dar errado, não significando que os personagens fossem dispensados de uns ajustes. Assim foi na vida de Jacó como na vida de Esau resguardadas as devidas proporções.

Visivelmente Esaú não demonstrava muito amor ao que sabia do pai e do avô.


1.3 O preferido de Deus.

Recomendo a leitura deste tópico em classe, pois ele encerra uma questão que tem dividido os crentes no tocante a doutrina da eleição e predestinação associadas ao “livre arbítrio”.

Vejamos o que declara o autor:

“Deus não tem filhos privilegiados, nem escolhe uns para salvação e outros para a condenação...”.

“Em sua soberania em casos especiais ele escolhe pessoas...”.

A culpa dos conflitos dentro das assembleias de Deus no tocante a este importante ponto doutrinário reside no fato de contratarem pastores de outras denominações que pensem de forma diferente para ensinar nas escolas de teologia.


II – A DIREÇÃO DE DEUS NA VIDA DE JACÓ.

2.1 A visão da escada que tocava o céu.

Na fuga e no deserto, Jacó viu uma escada cujo topo atingia o céu e viu anjos que subiam e desciam por ela. Gn.28:13-15.

O fato de Deus ter-se revelado de maneira tão sublime  a Jacó reiterando as bênçãos prometidas, não dispensaria de Jacó, os dramas que viveria e que fariam modificar seu caráter e visão de vida.

LAMENTAVELMENTE em nossos dias, basta um sonho para que a pessoa se sinta o predileto do Senhor e enviado, não precisando de algum reparo na vida.


2.2 A coluna em Betel.

 Nesse lugar, Betel, Jacó teve o mais sublime encontro da sua vida. A tão necessária transformação.

Mudar para melhor é necessário e para isto, é preciso deixar-se admoestar ainda que doa.

Sempre digo que o homem demora muito para amadurecer, admito que apenas depois dos 40 anos as mudanças começam a serem percebidas.

Os mais jovens, principalmente aqueles que iniciam sua vida ministerial, não considerem que a conclusão do curso superior em teologia tenha lhe dado tudo o que precisa para o bom exercício de cuidar das coisas do Senhor.

Aceitemos as transformações que o Senhor nos dá pelo amadurecimento na obra e no conhecimento da sua palavra.

 III – ASPECTOS DO CARÁTER DE JACÓ.

3.1 Antes do seu encontro com Deus.

Que péssimo:
Oportunista e egoísta.
Interesseiro e calculista.
Mentiroso e enganador.

Quer dizer; tudo o que há de pior em uma pessoa, todavia tenho notado que pessoas não tão boas, são as que mais se aplicam em fazer as coisas de Deus com disposição e perseverança. Alguns por puro interesse e outros não.

 3.2 Depois do seu encontro com Deus.

Agradecido.
Esforçado e sofredor.
Um homem na direção de Deus.

A vida de Jacó, na condição de enganador o faz experimentar a esperteza de labão e pagar pelos seus erros.

E Labão era tio, imaginem se não fosse!

Jacó volta para casa, depois de vinte anos, completamente abençoado e pronto a abençoar quem estivesse próximo.

Se não fizermos o bem, a vida cristã não terá o sabor do céu que alguns experimentam e outros não.


3.3 No seu encontro com Esaú.

Sabendo que Esaú vinha ao seu encontro com 400 homens, Jacó temeu. Gn. 32:7-12.
  
Jacó preparou uma estratégia que facilitasse essa aproximação que considero de extrema emoção e comparado ao encontro de José com seus irmãos no Egito.

Quando permitimos que o nossa caráter passe no crivo da palavra de Deus, todas as coisas contribuirão para a mais completa felicidade e prazer em servir.

Se não houver mudança de caráter ou de atitudes, o que achamos muito duro, a vida do homem será um completo desastre.


Conheci muitos que terminaram seus dias da forma mais indesejável possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário