Tradução deste blog

quarta-feira, 1 de março de 2017

MANSIDÃO EVITA PELEJAS, EBD Lç.10 05/03/2017

EBD LÇ. 10 05/03/2017 “MANSIDÃO: “TORNA O CRENTE APTO PARA EVITAR PELEJAS”.

O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical, lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.

PONTOS:
I – MANSIDÃO, O OPOSTO DA ARROGÂNCIA.
II – EVITANDO AS PELEJAS E CONTENDAS.
III – BEM-AVENTURADOS OS MANSOS.

Representam o que é de bom; saudáveis produzem, mas não são propriedades de homem algum. Quem delas fizer mau uso, enfrentará o verdadeiro dono.



I – MANSIDÃO, O OPOSTO DA ARROGÂNCIA.

1.1 Mansidão não é covardia.

É comum acharem que toda pessoa  de espírito manso e quieto  é covarde, ou medroso, incapaz de tomar decisões frente aos desafios. 

Quem pensa não faz bobagens.
Quem pensa, sabe esperar os melhores momentos para agir  e quem pensa, não age com brutalidade e ignorância evitando assim, um mal maior.

Voltando a carga para dizer que de forma geral, ser manso não é privilégio dos crentes, todavia o que não tínhamos, o Espírito do Senhor nos dá como ornamento e o que temos, ele aperfeiçoa.

O autor faz referência ao comportamento de Paulo diante de situações adversas. Novamente a rede social nos mostra como pessoas desprovidas de mansidão, age de maneira bruta e sem o exercício da sabedoria;  acabam prejudicando mais do que colaborando para o fortalecimento da fé de quem os lê.

O aposto Paulo sabia em que tinha crido e nós também pela graça do Senhor.


1.2 Ser manso é ser corajoso.

Nm.11:15 Moisés confronta Deus, não da maneira como os ímpios fazem.
Nm. 12:3 Moisés era o homem mais manso.
Jr. 11:19 Jeremias opina sobre ele mesmo quando diz que era um cordeiro diante da vida e dos desafios.

Gn. 13:9 E por que não se lembrar do equilibrado Abraão que na hora certa, soube apontar o caminho para o seu sobrinho Ló?

Ser manso é ser corajoso? Sim, quando o momento o exigir.


1.3 A mansidão, fruto do Espírito.

O capítulo 5 de Mateus, que trata das bem aventuranças e entre elas, a mansidão, tem como promessa, herdar a terra e logicamente refere-se a nova terra, no milênio e na eternidade.

Ap. 21:1 “E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.”.


II Pd. 3:13 “ (...) Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.”.

                   
II – EVITANDO AS PELEJAS E CONTENDAS.

2.1 Pelejas e discórdias.

Nem sempre a discórdia gera uma peleja, na maioria dos casos, afasta pessoas cujos interesses conflitam.

Quando a mansidão não está presente, a discórdia pode dar sequência a uma relação de conflito que por vezes chega as barras do tribunal deixando para trás, muitos estragos que poderiam ser evitados, principalmente nas relações conjugais.

Nunca houve tanta necessidade de equilíbrio e espírito de mansidão como nos nossos dias.


2.2 Ações do homem carnal.

O autor entra na questão da busca pelas oportunidades na igreja como se ela fosse uma empresa cujos objetivos são bem definidos e conhecidos.

É muito difícil lidar com homens carnais e interesseiros. Aqueles que perseguem um fim, pisando em tudo e em todos e com aquela carinha cínica, bajula sem se preocupar e muito menos perceber  que muitos pares de olhos o veem e despreza suas atitudes carnais.

Guarde-nos o Senhor desses expedientes.


2.3 Um espírito aguerrido.

O autor exorta neste ponto a que não nos deixemos  levar por pelejas  ou porfias considerando o conselho de Paulo a Timóteo em 2:24 da segunda carta.

Diz o autor:   “Precisamos nos manter incorruptos, santos, sinceros e justos...”.

O que mais desejo em nossas igrejas? Que os nossos pastores e quase na maioria, retornem ao abrigo da simplicidade e da sinceridade. Parar com esse negócio de “embromar”  aqueles que servem no ministério, seja local ou em grandes sedes, quando usam dizer: “Orei e o Senhor mandou...”.


Ef. 4:25 “Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros.”.

III – BEM-AVENTURADOS OS MANSOS.

3.1 O sermão da montanha.

O Sermão do monte e as bem-aventuranças é uma declaração de vitória para os vitoriosos e a recompensa em cada quesito.

Mt. 11:12 Há os que se esforçam muito para conquistar o Reino dos Céus.        

Uma questão interessante é que não precisamos nos preocupar com  cada uma das bem-aventuranças, pois os remidos sob a direção do Espírito Santo e a ele submissos, vencem com facilidade é o Espírito do Senhor quem nos concede essa graça.

3.2 Estevão um homem manso.

Estevam, um ótimo exemplo tomado pelo autor, exemplo de quem sabe e conhece sua missão mesmo diante dos contrários.

O que se vê não é isso. Poucos  gostam de serem contraditados em suas proposituras e no aperto, apela para os expedientes mais vís. Perdem o controle e o respeito.


3.3 A mansidão de Cristo.

Não podia ser melhor o exemplo tomado, senão o próprio Senhor Jesus.  Quem suportaria tamanha atrocidade e humilhação e ainda continuaria de boca fechada.

Jo.19:9-10 “E entrou outra vez na audiência, e disse a Jesus: De onde és tu? Mas Jesus não lhe deu resposta.
Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar?”.

Poucos sabem que o espírito manso conquista corações com mais facilidade que os intrigantes e intrigados.

Saíamos fora de toda contenda, principalmente nós que vivemos em ambiente coletivo.

A igreja, mesmo sendo um ambiente coletivo é um lugar de paz e harmonia para quem busca a paz. Em seu seio abrigam-se pessoas das mais diferentes opiniões pessoais; pelo menos vivo há quase 55 anos e não tenho dificuldades em administrar eventuais problemas que surjam para querer roubar a minha paz.


Tenhamos paz, sejamos mansos à semelhança de Cristo e daqueles que tiveram sua vida pontuada na Bíblia.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

FIDELIDADE, FIRMES NA FÉ, EBD Lç. 9 26/02 subsídio.

EBD – SUBSÍDIO – LIÇÃO 9 26/02/2017
“FIDELIDADE, FIRMES NA FÉ”.
PONTOS A ESTUDAR:
I – O SIGNIFICADO DE FIDELIDADE.
II – IDOLATRIA E HERESIA, UM PERIGO À FIDELIDADE.
III – SEJAMOS FIEIS ATÉ O FIM.

 Hb.6:17-20 -  A turbulência do presente século pode fazer balançar o navio, menos arrasta-lo em suas ondas impetuosas. DIGAMOS NÃO,  ÀS HERESIAS.
 


I – O SIGNIFICADO DE FIDELIDADE.

1.1       Definição.

Somos uma geração privilegiada. Enquanto digitamos ou lemos um texto, podemos recorrer aos vários dicionários existentes na rede mundial.

Já que falamos à professores, considerando a razão de nem todos sermos especializados na nossa gramática, todavia ao escrever alguma coisa e principalmente nas redes sociais, consultar palavras sobre as quais pesam alguma dúvida quanto a escrita ou até mesmo na fala.

Para fidelidade temos que é a característica do fiel. Fiel amigo e fiel servo.

Em relação a nossa comunhão a fidelidade precisa ser preservada mesmo que em algum momento a amizade venha ser interrompida. Há pessoas que depois de romper a amizade, resolve jogar ao vento tudo o que compartilhara no período do bom relacionamento.


1.2       A fidelidade como fruto do Espírito.

 Novamente uma virtude relacionada ao Espírito do Senhor ou Espírito Santo.

A razão é bem simples: Encontramos na vida muitas pessoas fieis sem serem crentes, mas ao aceitarmos a fé e nos tornarmos participantes dos dons celestiais, o Espírito do Senhor torna cada questão relacionada à nossa identidade moral, algo especial.

1.3 A fidelidade de Deus.

O autor trata neste ponto a fidelidade como sendo um atributo de Deus e com razão. Sendo um atributo de Deus, Deus  permanece fiel e sempre foi assim desde o princípio da criação do homem quando inicia a interação direta entre Ele e nós.

Deve ser também essa a nossa postura em relação a Ele. Ser fiel até a morte.

Deixo de citar muitos textos da Bíblia em relação a este assunto por considerar o texto do autor, completo para o tempo de aula nas EBDs.

Não sendo frequentador, recomendo usar a concordância bíblica e procurar sobre “fidelidade”.  Muitos não se dão conta da importância dessa concordância e a maioria ds novas versões, salvo melhor juízo, não vem com esse componente tão importante.



II – IDOLATRIA E HERESIA: UM PERIGO À FIDELIDADE.

2.1 O que é idolatria?

O autor trata este assunto com uma ampla explicação tomando como exemplo dos períodos na vida de Israel:

O primeiro diante do Sinai. Enquanto Moisés falava com Deus, o povo apertava com Arão para construir “deuses” e na verdade, uma imitação do touro Àpis, adorado no Egito como divindade e já no período regencial, a idolatria de Jeroboão.

Fonte: Wikipédia. “O "morto-vivo" (Osíris) encarnou num touro branco sagrado. Era o touro de Mênfis, simbolicamente representado como um touro negro com um triângulo branco na testa e o disco do sol entre os chifres.”.

É impressionante como os homens tem uma forte tendência de trocar o certo pelo duvidoso.


2.2 A idolatria no Novo Testamento.

A igreja no princípio enfrentou entre outros problemas, a idolatria, perceba-se que isto está ligado ao espirito religioso de todo ser humano. Só Jesus liberta.

No Brasil a nossa Assembleia de Deus encarou essa luta ao descer do extremo norte para o sul do país. Foi a sua missão desbravadora.

Quero tomar a seguinte frase do autor: “Qualquer pessoa ou objeto a que nos dedicamos com extremada atenção e que não podemos viver sem os quais, podem se tornar um ídolo.”.

Este tem sido um dos assuntos mais discutidos em toda rede social.

Não é proibido nem pecado amar alguém de projeção, todavia ninguém é mais importante que o Senhor e a nossa convivência saudável com a igreja que frequentamos.



2.3 O que significa heresia?

Imagine um trem seguindo de um ponto ao outro sem desviar a sua rota por conta dos trilhos que o mantém nessa linha.

Heresia é no sentido prático, inventar uma linha opcional. A linha é marcada pelo ensinamento bíblico em toda sua extensão.

A heresia pode ser extraída do Antigo Testamento e tem sido a forma mais comum em uso,  quando tomam textos isolados para conduzir o povo em um caminho duvidoso como a doutrina da prosperidade e a confissão positiva entre outras.

Tem muita coisa praticada nos chamados movimentos evangélicos que de evangélico, não tem nada que nem chamo de heresia, mas de lixo mesmo.

Tudo o que corre fora das Escrituras deve ser trada como heresia.

III –  SEJAMOS FIEIS ATÉ O FIM.

3.1 Olhando para o passado.

Base doutrinária com que fomos criados. Se a nossa avaliação está correta e confere com a maioria dos homens sérios que conduzem a obra de Deus, sem interesses mesquinhos ou popularescos; amém. Mantenhamos firmes a nossa confissão até o fim.

Todo desvio parte sempre de uma mente insana que se afasta do corpo de Cristo que é a igreja.

 
3.2 A fé que nos ajuda a permanecermos fieis.

O texto do autor é curto e retrata bem o que pretende em relação a fé.

Para quem não frequenta EBD, portanto sem acesso à Lição Bíblica utilizada e fruto deste subsídio, quero apenas considerar:

A própria Palavra de Deus trata a fé como sendo uma só:

“(...)  Um só Senhor, uma só fé, um só batismo (...)”. Ef. 4:5.

A fé cresce na proporção direta da nossa caminhada para o  fim que buscamos; poder, dons, curas e a própria salvação.
  
3.3 Seja fiel.

Confesso que ao longo da minha caminhada no Evangelho,  52 anos, nunca vi um período tão tremendo que exija fidelidade a Deus nas mínimas coisas da vida.

Fidelidade sem extremismos.