Tradução deste blog

domingo, 27 de novembro de 2016

ADORANDO A DEUS EM MEIO A CALAMIDADE, EBD Lç 10 para 04/12/16 (Subsídio)

ADORANDO A DEUS EM MEIO A CALAMIDADE.
EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 10 PARA O DIA 04/12/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – UMA FAMÍLIA EM DIFICULDADES.
II – DEUS REALIZA MILAGRES.
III – PROVISÃO NA MEDIDA CERTA.

                           A vida de oração garante a vitória.

I – REINO DO NORTE E DO SUL.

1.1 A divisão do reino de israel.

Perceba-se que a história se repete em todos os tempos, o cenário e as figuras podem ser outras. O pobre sempre é sobrecarregado de tributos quando a crise assola uma nação ou reino.

Em relação ao povo de Israel, não foi por falta de aviso o que aconteceria caso se consolidasse o período regencial como de fato consolidou-se em detrimento ao governo de Deus. ISm.8:9-19.

A sobrecarga e o aperto fiscal gerado pelo perdulário Roboão deram causa a divisão do reino.

1.2 O Reino do Norte.

Neste ponto que dispensa comentários o autor fala de 200 anos de história dessa parte do reino dividido de Israel tendo Jeroboão como primeiro rei que socorreu os insatisfeitos.

Jeroboão não atendeu a proposta do Senhor de fazer do seu reinado uma casa firme e andou pelo próprio caminho tornando-se uma má referência para os que vieram depois dele.  IRs. 11:38.

Até nisto o homem revela sua liberdade de escolha, para o que chamamos de “livre arbítrio”.


1.3 O Reino do Sul.

O que trata dos reinos do norte e sul pós-divisão política e administrativa de Israel, o autor trata com dois curtos tópicos e não poderia ser diferente pelo espaço e considerando que a chamada da lição “Adorando a Deus em meio a calamidade” quer nos conduzir à reflexão que mesmo diante dessas adversidades, podemos servir e  adorar o Senhor, com todas as nossas forças e entendimento.

Essa mesma divisão aponta por similaridade, a divisão regional e ideológica de cada igreja pelos seus ministérios, existentes em nosso país, porém o inimigo é um só contra todos.


II –  O REI JOSAFÁ.

2.1 Quem era Josafá.

“Quem era Josafá” pode ser considerado em classe como a porta de entrada para comentários mais abertos sobre esse rei nos tópicos seguintes.

IRs. 22:41 Relata o inicio do seu reinado, com trinta e cinco anos (35) e fez o que era reto aos olhos do Senhor, fortalecendo nossa ideia que os mais jovens, quando empenhados na obra, devem ser respeitados e valorizados igualmente. Enquanto isso Acabe estava no quarto ano do seu reinado no Norte.

O livro de IICrônicas no capítulo 17,  o texto inicia com os principais feitos desse rei que reinou por vinte e cinco anos em Judá.

2.2 O cuidado de Jeosafá em instruir o povo.

 “E ensinaram em Judá, levando consigo o livro da lei do Senhor; e foram a todas as cidades de Judá, ensinando entre o povo.” IICr.17:9.

Grifei parte do texto que trata do ensino entre o povo para chamar a atenção que as mídias, internet e televisão, não traz o ensinamento eficaz quando ao entendimento puro da palavra de Deus. Isto ocorre nos cultos de ensino das igrejas, sendo esta uma grande razão para valorização dessa prática devendo os ensinadores estar devidamente preparados e corações sempre aberto ao aprendizado. Quem não gosta de aprender não deve colocar-se na posição de ensinar.

2.3 A instrução e temor.

Eis o resultado do aprendizado.
“E veio o temor do Senhor sobre todos os reinos das terras, que estavam ao redor de Judá, e não guerrearam contra Jeosafá.” IICr.17:10.

Penso que seja o momento de perguntarmos a razão da ineficácia na maioria dos ensinos neste tempo.

Para mim, a resposta é uma só: Há ensinamentos, mas  faltam exemplos de vida.

                     
III –  JOSAFÁ E SEUS INIMIGOS.

3.1 A perigosa aliança feita com Acabe.

Certas alianças só prestam para destruir o que foi bem plantado.

Se Josafá tivesse frequentado a escola de Neemias que não era seu contemporâneo, saberia o que fazer.

O QUE ACONTECEU:
“Ora, antes disto, Eliasibe, sacerdote, que presidia sobre a câmara da casa do nosso Deus, se tinha aparentado com Tobias e fizera-lhe uma câmara grande, onde dantes se depositavam as ofertas de alimentos, o incenso, os utensílios, os dízimos do grão, do mosto e do azeite, que se ordenaram para os levitas, cantores e porteiros, como também a oferta alçada para os sacerdotes.” Nee 13:4-5.

O QUE FEZ NEEMIAS:
 “E voltando a Jerusalém, compreendi o mal que Eliasibe fizera para Tobias, fazendo-lhe uma câmara nos pátios da casa de Deus, o que muito me desagradou; de sorte que lancei todos os móveis da casa de Tobias fora da câmara.”. Nee 13:7-8.

O QUE RECOMENDOU PAULO:
 Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais.  ICo 5:11.


3.2 Josafá enfrenta a ameaça dos inimigos.

Três povos ameaçavam  Josafá. Amonitas, moabitas e edomitas e ele recorreu ao Senhor no pior momento, quando se sentia incapaz de resolver essa ameaça.

A única coisa que posso dizer é que buscar o Senhor é necessário e importante, qualquer que seja a situação.

Estamos trabalhando com as experiências de Josafá, mas o que vale é a nossa experiência. Muitos há que não sabem se oram muito ou pouco; não importa. Uma vida dedicada a Deus garante vitórias.



3.3  A ação de Josafá.

O tópico é grande e recomendo ao professor, pontuar as decisões de Josafá:

a – Invocou o nome do Senhor – oração.
b – Apregoou um jejum. Como era o rei e o assunto era nacional, envolveu o povo.
c – O povo se humilhou diante de Deus.

O autor discorre sobre a relação entre crise, oração e solução.

Não sei se no pensamento do autor quando fala em oração para resolver os problemas,   ele inclui a nossa crise, a crise brasileira, como jamais vista.

Há duas questões que não podem ser desprezadas:


a – Não posso culpar os nossos pais espirituais e eu não teria uma resposta segura, todavia, não penso que a graça anula o nosso direito de exercer a cidadania, cobrando justiça dos governantes.

b) Não podemos ignorar que Deus monitora tudo o que se passa na terra e que ele, Deus, não é cego, nem surdo nem mudo. Se Deus deu vitória a Josafá dará vitória a qualquer de nós, sem esquecer que há uma série de acontecimentos ligados as profecias e serão cumpridas quer queiramos ou não.

O importante é ensinar os alunos a confiarem no Senhor e não fazer disso uma forma de afastar de si, os necessitados. Os necessitados  precisam ser assistidos pela igreja e por cada um de nós em particular.


sábado, 19 de novembro de 2016

O MILAGRE ESTÁ EM SUA CASA, EBD Lç.9 para 27/11/2016 (Subsídio).

O MILAGRE ESTÁ EM SUA CASA.
EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 09 PARA O DIA 27/11/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – UMA FAMÍLIA EM DIFICULDADES.
II – DEUS REALIZA MILAGRES.
III – PROVISÃO NA MEDIDA CERTA.

 Vasos emprestados também fala da nossa dependência com o próximo. "*Não somos uma ilha"  (*)Autor desconhecido para mim.

I – UMA FAMÍLIA EM DIFICULDADES.

1.1 A crise das dívidas.

Verificando em pesquisa, encontrei muitos significados para “crise” e chamamos de crise toda e qualquer situação de anormalidade ou situação que interrompe com o momento de bem estar, seja físico, espiritual, social, familiar, moral e na nação, crise política, econômica e tantas outras situações.

Não sabemos precisar (penso) que tipo de crise é a mais grave e danosa para nossa vida e só encontro como resposta esta: Crise é crise e não gostamos qualquer que seja o momento ou a situação envolvente.

O autor começa tratando da “crise das dívidas” e oferece como exemplo, a viúva de um dos profetas.

1.2 O risco de perder os filhos.

Recomendo a leitura do texto da lição neste tópico, em classe.

Em Pv. 22:7 diz: “O que toma emprestado é servo do que empresta”.
No exemplo do autor que traz a memória o que consta em 2Rs. 4:1-7 declara acerca da viúva endividada e na iminência de perder os dois filhos para o credor. Que situação!

Há momentos na vida que esperar pelo homem é acrescentar sofrimentos. Nos púlpitos, há homens e há homens de Deus a altura de Eliseu, que se detém para ouvir uma viúva desalentada.

No tocante a dívidas, você professor, se é uma pessoa financeiramente equilibrada, não ataque seus alunos com críticas. Eu já passei por situações de endividamento e sei como estas coisas acontecem principalmente quem tem uma boa família e paga aluguel.

Certa feita entreguei uma igreja que pastoreava por conta de endividamento. O Senhor me deu vitória e certamente posso dizer que ele não desampara e esta lição é uma prova bíblica disto.

Ainda jovem quando a igreja demonizava o uso de contraceptivos, excetuando os que causam aborto, ensinava os casais à necessidade de planejar sua família e a razão disto é que ouvia do púlpito as palavras de condenação e não via os bons resultados nas visitas às pessoas carentes. Se não cumprimos o papel social e bíblico de ajudar quem precisa, não temos o direito de critica-los.


1.3 A viuvez.

Neste ponto o autor fala sobre a situação da viúva que não tinha arrimo (amparo ou proteção) que pudesse ajuda-la em momento tão difícil e aparentemente não tinha remidor; o parente próximo que casando-se com ela cuidasse da sua situação financeira e familiar.

Quem sabe até podia haver algum remidor, mas considerando o que já lemos no livro de Rute, (Lição 8 deste mesmo trimestre), nem todos estão a fim de ser um remidor,  principalmente se a viúva não for atraente nem possuir algum dote.

O mundo e sua infâmia.

A hipocrisia é latente e só removida por Cristo.


II –  DEUS REALIZA MILAGRES.

2.1 A fé do profeta.

Quero reportar o que Pedro disse a respeito quando o paralítico do templo na porta Formosa, pedia esmolas e foi curado pelos apóstolos:

“E quando Pedro viu isto, disse ao povo: Homens israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto para nós, como se por nossa própria virtude ou santidade fizéssemos andar este homem?” Atos 3:12.

O QUE SOMOS?
Apenas agentes da vontade de Deus se realmente quisermos glorifica-lo em nossas vidas, pois a operação é dele, por ele e para ele.

Há muitos arrogantes achando-se o “supra-sumo” do ministério e outros que se aproveitam para “encher a burra” de dinheiro e parecer o “astro rei” na TV.

Perceba-se que Eliseu não demonstrou qualquer vaidade pelo que Deus fazia por seu intermédio.

Quando a moda pega, eles abrem igrejas em qualquer parte do território nacional visando amealhar crentes de várias igrejas, pois há espectadores para tudo.

O FIM E O JUÍZO VEM!

2.2 A viúva procura Elizeu.

Procurar o profeta é o mesmo que procurar a igreja nos nossos dias, procurar o pastor e expor sua situação calamitosa. O que pode acontecer?

1 – A clássica e velha pergunta: “a irmã é dizimista”.
2 – A irmã tem filhos ou parentes que lhe possa ajudar?
3 – Olha irmã! A única coisa que posso fazer é lhe dar uns trocados para comprar pão na padaria ou a senhora leva uma  cesta básica.

Cesta básica nada de básico ´- 1 kilo de feijão, 5 de arroz, 1 de café e pct de macarrão e aí vem o pior: uma lata de sardinha, uma lata de molho de tomate, sal, farinha de mandioca e mais umas merrecas. No primeiro mês ainda passa mas do segundo em diante...

Não tem um sabonete, uma pasta de dente, um sabão para roupas, nem uma mistura e outros produtos tão necessários e se o aluguel estiver atrasado...

Ao dizer isto, quero que sejamos coerentes, refiro-me a membros fieis da igreja que sempre estiveram à disposição para o serviço do reino e considerando que há os muito ativos aos menos ativos, todos precisam ser tratados com igualdade. A igreja não recebe subsídio do governo e, portanto  não é uma tarefa fácil abrir a porta para todos.


2.3 Deus utiliza aquilo que temos.

O autor cita diversos personagens da bíblia usados por Deus com aquilo que tinham e no tocante a viúva, certamente com o que tinha; uma botija de azeite e isto foi o suficiente para tira-la do sufoco.

O que temos pode estar ligado aos valores morais e ao caráter e assim, devemos ter algo para o Senhor iniciar sua obra em nossa vida.

                     
III –  PROVISÃO NA MEDIDA CERTA.

3.1 Preparação para receber o milagre.

Certamente ela pediu vasos emprestados, vasos o que nos leva a compreender algo muito importante; ela não tinha como pagar a dívida, mas tinha amizade e influência sobre seus vizinhos, caso contrário, o azeite não daria para muita coisa.

Uma bela lição. Há crentes que moram na mesma rua Há 10, 15 ou mais anos e não tem amigos, não é habituado a sorrir para seus vizinhos.

3.2 Provisão abundante.

Não se discute as medidas de Deus para nossas vidas.
Passei vários perrengues na vida e não foi apenas uma vez quando pedi ao Senhor: “Senhor minha conta bancária precisa de R$ 500,00 para cobrir aquele cheque”. Não foi apenas uma vez em que fui socorrido de forma milagrosa com, exatamente o que havia pedido”. Mistérios, isso é um “manto”.

Por outro lado, não me queixo da quantidade recebida na área do espírito e do entendimento. Louvado seja o Senhor.

O que é importante é ter confiança no Senhor.


3.3 Fé em ação.

A ação exigida para o milagre eram os vasos emprestados. Não pode haver fé manifesta sem ação.

Qualquer que seja a nossa situação Deus estará sempre pronto a nos socorrer.

Um dos maiores exemplos de fé seguida de ação, a passagem pelo Jordão:

JOSUÉ 3:12-16.

Tomai, pois, agora doze homens das tribos de Israel, de cada tribo um homem;
Porque há de acontecer que, assim que as plantas dos pés dos sacerdotes, que levam a arca do Senhor, o Senhor de toda a terra, repousem nas águas do Jordão, se separarão as águas do Jordão, e as águas, que vêm de cima, pararão amontoadas.

E aconteceu que, partindo o povo das suas tendas, para passar o Jordão, levavam os sacerdotes a arca da aliança adiante do povo. E quando os que levavam a arca, chegaram ao Jordão, e os seus pés se molharam na beira das águas (porque o Jordão transbordava sobre todas as suas ribanceiras, todos os dias da ceifa),



Pararam-se as águas, que vinham de cima; levantaram-se num montão, mui longe da cidade de Adão, que está ao lado de Zaretã; e   as  que   desciam   ao  mar das campinas, que é o Mar Salgado, foram de todo separadas; então passou o povo em frente de Jericó.