Tradução deste blog

segunda-feira, 6 de março de 2017

VIVENDO DE FORMA MODERADA. EBD lÇ. 11 para 12/03

EBD LÇ. 11 12/03/2017 “VIVENDO DE FORMA MODERADA”.

O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical, lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.

PONTOS:
I – TEMPERANÇA, O DOMÍNIO DAS INCLINAÇÕES CARNAIS.
II – PROSTITUIÇÃO E GLUTONARIA, O DESCONTROLE.
III – VIVENDO EM SANTIFICAÇÃO, DEIXANDO OS EXCESSOS.

        O Senhor preparou um caminho para nós. Devemos segui-lo com fidelidade 


I – TEMPERANÇA O DOMÍNIO DAS INCLINAÇÕES CARNAIS.

1.1 Vivendo de modo sóbrio.

Sou apaixonado pela palavra “sobriedade”; qualidade do que é sóbrio. Veja o que encontrei como definição:


Que se alimenta moderadamente; que bebe com moderação; frugal. Que não se encontra sob o efeito do álcool; que não é alcoólatra. Que se comporta de modo comedido; que se expressa com timidez; que tende a ser sério. Que não exibe suas qualidades; que se comporta de maneira serena; contido ou recatado. Desprovido de afetações; sem enfeites exagerados: apartamento sóbrio. Cuja cor não desperta atenção; de tom suave.

Aquele é sóbrio. 

Todas as doutrinas bíblicas ligadas ao comportamento humano devem assentar-se no princípio da sobriedade. Quem vive isso, não erra ou erra menos.



1.2 Temperança e qualidade de vida.

Se sobriedade tem caráter filosófico de vida, temperança é a forma de viver de quem é sóbrio.

Confesso que não entendo como muitos crentes vivem as voltas em discussões sobre  o que pode ou não fazer, o que é pecado ou não.

Quem se submete a vontade de Deus não busca a sua própria vontade e recusa viver em deleites.  Simples assim!

1.3 A temperança na vida de Cristo.

O comentário do autor neste ponto mostra Jesus isento de toda obra da carne, pois era cheio do Espírito Santo.

Se o Diabo sabendo disso e por conta disso, não tentaria o Senhor como fez, O fato de tê-lo tentado mostra a natureza de Jesus, 100% homem nesta vida tão sujeito quanto nós a pecar. Hb. 1 mostra a força da sua obediência ao Pai e em que isso resultou; Foi-lhe dado um nome que é sobre todo o nome. Fl.2:9.

Novamente podemos dizer que a obediência e submissão ao Espírito Santo nos torna temperantes e vencedor.

                   
II – PROSTITUIÇÃO E GLUTONARIA.

2.1 Fugi da prostituição.

O autor fala do vocábulo “prostituição” invocando o original grego como “porneia”  ou relações sexuais ilícitas.

O cérebro humano funciona como uma antena de captação de mensagem; de sensualidade, erotismo e pornografia. Essas mensagens estão sobre nossas cabeças como nuvens de chuva fazendo o seu trabalho.

Conforme a carga de captação dessas mensagens, temos pessoas envolvidas com todo tipo de sexo ilícito que vai da prostituição a infidelidade conjugal, da pedofilia ao sexo nojento com animais, chamado de zoofilia.



2.2 A disciplina em casos de prostituição.

O autor trata da disciplina na igreja de Corinto.

Nos dias apostólicos, a disciplina era dura e tudo quanto foi feito e escrito, foi para servir de exemplo para nós. Se todo crente morresse por mentir, as igrejas estariam “quase” vazias e muitos púlpitos também.

Ananias e Safira por mentir na contribuição. Atos 5:1.

O jovem citado na lição que mantinha relações com a madrasta ICo.5:1.

E como deveriam ser tratados os que agissem de maneira contrária a sã doutrina.  IIJo. 1:10. Não deveriam saudá-los nem recebe-los em casa.

O pastor de cada igreja responde como anjo da igreja diante de Deus por qualquer negligência nesta parte.

Verdade que se não houver disciplina e isto deve ser exercido com amor e cautela, sem expor publicamente o faltoso por dois motivos:

O faltoso pode levar a igreja a juízo por danos morais; não dá para se descuidar.

O nosso povo ainda não aprendeu a perdoar; em todo o tempo, lançam em rosto.

Via de regra o faltoso conta para a metade da igreja e isso fica sério. A razão é simples: O faltoso só conta para a amiga ou amigo de confiança e logo cai no domínio público, pois na igreja, cada um tem a sua pessoa de confiança.


2.3 A glutonaria e seus males.

Falar em glutonaria talvez não seja o caso, pois somente os jovens em fase de crescimento e que trabalham pesado, comem demasiadamente.

Reeducação alimentar é a palavra de ordem.

A maioria das pessoas obesas  não são por conta de glutonaria com algumas exceções. Nos EUA a luta é para tirar o lanche e o refrigerante; combinação perfeita para a obesidade.

Há muito que abri mão de refrigerantes.

Abri mão de manteiga, margarina e pão, suprindo com, frutas, raízes como: Mandioca, cará, inhame, cuscuz de vapor com ovo mexido, tapioca, as vezes um pão de queijo. Tudo moderadamente e a noite, não mais, feijão, arroz e carne e o custo da alimentação caiu.


Sabemos que a glutonaria quebra a regra do razoável e da temperança.



III – VIVENDO EM SANTIFICAÇÃO E DEIXANDO OS EXCESSOS.

3.1 Agradando a Deus em tudo.

O autor declara que nos nossos dias e por conta do aumento da iniquidade, falta amor genuíno para com o Pai e consequentemente falta  santidade, moderação e bom senso.

Não sei se encontramos a palavra ideal que possa definir como agradar a Deus sem fazer muita força e só encontro como resposta, o amor. Quando amamos a Deus de verdade, recusamos qualquer oferta que nos leve a ofender a Deus.


3.2 Santificação.

A Bíblia declara que sem santificação ninguém verá o Senhor  Hb. 12:14.

Muitos veem santificação como um processo que começa no primeiro degrau da escadaria da penha (365 degraus) e na verdade, quando entramos pela porta do amor incondicional a Cristo, somos agraciados com uma vida justa e irrepreensível.



3.3 Deixando os excessos.

Todo excesso é mau sendo fruto da intemperança; da falta de equilíbrio ou ainda do fanatismo para as coisas espirituais e  falta de sobriedade para as coisas materiais.

Que o Senhor nos guarde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário