Tradução deste blog

domingo, 22 de janeiro de 2017

NA ÁREA CRISTÃ, POSSO ACUSAR PUBLICAMENTE?

POSSO ACUSAR ALGUÉM PUBLICAMENTE?

Percebam que no meu perfil (Facebook ou blogger) trato de assuntos doutrinários e procuro de forma coerente fazer defesa da fé sem considerar-me um “apologeta” no sentido técnico da palavra que para mim, deve exigir domínio de pelo menos a língua grega. Não conhecer o grego, não faz de qualquer pessoa, um ser impensante considerando que para o Novo Testamento e sua época, prevalecia esse idioma cultural.

Quando leio qualquer postagem e assanho-me para comentar, procuro manter a linha editorial do autor, não procuro julgar o texto com a introdução de outros assuntos na esperança que sirva para justificar erros ou acertos.

Tratando-se de nomes em que pese qualquer acusação temos duas situações distintas:

A que trata de vícios e no nosso caso, para assuntos religiosos, notadamente o que é usado para explorar a fé dos crédulos, a que chamamos de “charlatanismo” quando visivelmente por meio de recursos anti-bíblicos tentam manipular pessoas. Quanto a isso; não há dúvida, chumbo grosso em cima ou simplesmente “taca-le pau”.

O que trata de acusações por infidelidade moral, econômica e de abuso de poder. Quem pretender fazê-lo, não deve fazer na página de outro a título de comentário para achar meio de justificar posições.; faça-as na própria página seja no Facebook ou blogger.

O Brasil é rico em ordenamento jurídico. Temos a Constituição Federal que garante direitos e deveres dos cidadãos sem emitir julgamento por quaisquer fatos. Temos o Código Civil que foi promulgado em 2002; ordenamento jurídico que estabelece direitos e deveres com normas mais pessoais que tratam das relações entre pessoas civis de direito público e privado e o Código de Direito Penal que funciona como um laboratório de medicamentos para tratar os que ferem e os que são feridos por transgressão a uma norma jurídica.

Se quero fazer acusação, preciso ser sensato e ter provas suficientes para um possível embate jurídico, portanto, fica descartada a hipótese de acusar com base em paneladas de informações jogadas ao vento.

Assim, respeito muito os meus amigos que escrevem e fico imensamente agradecido quando o mesmo respeito vem como retorno do meu investimento na área.

Genivaldo T Melo.
SP 22/01/207.

Nenhum comentário:

Postar um comentário