Tradução deste blog

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

O SOCORRO DE DEUS PARA LIVRAR O SEU POVO, EBD Lç.11 p/11/12/2016 (subsídio)

O SOCORRO DE DEUS PARA LIVRAR O SEU POVO.
EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 11 PARA O DIA 11/12/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A PROVIDÊNCIA DE DEUS.
II – ESTER NO PALÁCIO DE ASSUERO.
III – A CRISE CHEGA PARA O POVO DE DEUS.


PURIM é uma festa judaica que comemora a salvação dos judeus persas do plano de Hamã, para exterminá-los, tal como está escrito no Livro de Ester, um dos livros do Tanach.


I – A PROVIDÊNCIA DE DEUS.

O autor se vale do livro de Ester para trazer-nos como por semelhança, o quanto Deus pode fazer pelo seu povo, resguardadas as devidas proporções entre Israel e o povo da dispensação da graça.

1.1 A providência divina na história de Ester.

Ester estava na fortaleza de Susã junto com seu tio Mardoqueu, foram para lá entre os cativos de Judá. Na questão de providência, nada impede de haver duas correntes de pensamentos a respeito deste e de outros casos semelhantes.

Sempre que tratamos assuntos sob a ótica divina, afirmamos que Deus já tinha preparado os meios como se inclui também a doutrina da eleição. Tudo está sob o controle de Deus.

Se tratarmos sob a ótica humana o que não fere qualquer princípio doutrinário, podemos dizer que para solucionar problemas, Deus lança mão daquele que estiver mais próximo com um coração apto a receber sua orientação.
Alguns exemplos:
Raabe morava em Jericó e fez o que precisava ser feito para esconder os espias.
Maria tinha qualidades que a tornaram singular diante de Deus para ser escolhida pelo Senhor.
Ester estava na fortaleza de Susã e tanto ela quanto Mardoqueu e principalmente ele, estava muito atento a voz de Deus.

Assim, estejamos sempre prontos e atentos, pois Deus pode querer uma de nós para grandes obras em favor de necessitados e dos que hão de herdar a vida eterna.



1.2 A festa do rei.


Xerxes I governou a Pérsia de 486 a 465 a.c.  e seu império se estendia da Índia até a Etiópia, com sonhos de dominar a Grécia.

Não se tratava de uma festinha, mas de uma pomposa festa que cobria os convidados entre as cento e vinte e sete províncias, príncipes e servos para mostrar a sua grandeza.

Ao final, mais sete dias de festa envolvendo todos os que moravam na Fortaleza de Susã, com ordem de comerem e beberem a vontade, estabelecendo que ninguém fosse forçado a nada, pois o beber era por lei (Ester 1:8).

Em todo o tempo os poderosos gostavam de mostrar sua riqueza e poder, cada um ao seu modo e capacidade de bancar as festas e outros, como Calígula enchia-se do diabo para promover suas bacanais e crimes hediondos.

A tudo Deus assiste pacientemente ate o limite quando resolve  pesar a mão e acabar com a festa. Belsazar, o último rei da Babilônia, usando os vasos sagrados roubados de Jerusalém em sua conquista para neles beber, soube bem o significado disto.

Ninguém deve se escandalizar por haver quem gosta de festa e poder no meio evangélico; a bíblia se cumpre e apressadamente.

Tudo tem limite. Basta orarmos com inteiro coração.


1.3 A destituição da rainha.

Confesso que sempre tive admiração pela rainha Vasti; demonstrou ter personalidade em não se permitir servir de objeto para homens bêbados. Desafiar o rei Persa, não era pouca coisa.

Quando a mídia expõe; mulher melancia, jaca, mulheres que atraem astros do futebol, políticos e tudo para viver em vitrines. Lamentamos que umas envergonhem as outras.

Mau caratismo existe em ambos os sexos.


II –  ESTER NO PALACIO DE ASSUERO.

2.1 A busca de uma jovem para o lugar de Vasti.

“Busquem-se moças virgens para o rei” Et.2:2.
Sempre ouço aqui e ali, pessoas loucas que tentam desqualificar a Bíblia e se as feministas encontrassem esse texto... Não obstante, essa decisão não partiu de uma orientação divina e sim humana e era normal. Quando lemos história geral, em um canto ou tempo sempre houve quem se sentisse o dono da vida humana e a mulher sempre usada como objeto do desejo, principalmente jovem e virgem. Não há dúvida que é irritante, pois logo pensamos nas nossas filhas.

Havia que gostasse, vendo nisto uma enorme possibilidade de se dar bem.

De qualquer maneira, a mão do Senhor estava sobre seu povo e particularmente sobre a vida de Mardoqueu e Ester que logo caiu nas graças do rei.

2.2 Mardoqueu e Ester.

 Quem conduziu Ester ou Hadassa à casa do rei, deve ter sido um “olheiro” (nome dado a pessoas que vivem procurando moças belas para concursos em nossos dias), todavia a mão de Mardoqueu acompanhava Ester sempre, procurando saber dos seus passos (Et.2:20) e aconselhando-a.

O caráter de Mardoqueu dispunha-se a qualquer prova de valor moral e fé.

Belo exemplo para todos nós.


2.3 Ester é escolhida para o lugar de Vasti.

Como havia um propósito que era a salvação do povo judeu por conta do ódio destilado por Hamã, além da beleza de Ester ou Hadassa, a mão do Senhor movia-se na direção de Ester.  Mardoqueu apertava com ela para que se aproximasse do rei enquanto havia tempo não desse conhecimento da sua nacionalidade, haveria tempo para isso como houve.  Et.7.

Há cristãos que se apressam para declarar a sua fé e o melhor é deixar que percebam a partir das boas atitudes.

                     
III –  A CRISE CHEGA PARA O POVO DE DEUS.

3.1 A trama de Hamã.

O autor trata da má ação de Hamã que havia convencido o rei a publicar decreto danoso contra o povo judeu. Quero pontuar algumas questões que entendo serem importantes para os alunos:

1 – Quando mantemos a fé, nunca faltará inimigo;  que não goste de “crente”.
2 – No trabalho, o cristão deve se mostrar-se  amistoso com todos, respeitando, ouvindo e colaborando sempre que possível sem esquecer que a nossa cidade está nos céus.
3 –  Não confiem demasiadamente  nas pessoas; nem todos carregam boas intenções.
4 -  Mardoqueu tinha descoberto uma tentativa de golpe contra o rei e ainda mantinha o caráter e a disposição de não ficar bajulando o Hamã achando que com isto, poderia conquistar seu coração. Melhor não tentar. Quem é maldoso, até dentro das igrejas eles vivem tentando aplicar seus golpes baixos contra os fieis ou comprar oportunidades.


3.2 Ester toma conhecimento da trama contra o seu povo.

Recomendo a leitura em classe do texto bíblico no cap. 4 a partir do verso 9 quando se inicia um diálogo entre Mardoqueu e Ester tendo como intermediário, Hataque que era eunuco na casa do rei no espaço das mulheres.
Chamar a atenção dos alunos para os seguintes pontos:

1 – Não imagines em teu ânimo que escaparas Verso 13.
      Sempre foi assim na vida do povo de Deus; um não basta, tem que ser todos   para
      viver ou morrer.

2 – De qualquer maneira se nada fizeres, socorro de outra parte nos virá Verso 14.
              Lembremo-nos do que fora dito a Elias quando ele dizia: “mataram os teus
              Profetas,  só eu fiquei e buscam a minha alma”.

3 – A igreja, a maioria delas não estão trabalhando para o crescimento do reino de
      Deus e nesse caso, não podemos reclamar que estão invadindo campo.             
  

3.3  A estratégia sábia de Ester.

Agora sim. De posse das informações e do perigo que o povo corria, Ester preparou um surpreendente plano para entregar o mau Hamã nas mãos do rei e desmascara-lo, pois grande era a sua impiedade e soberba por ser importante no governo de Assuero. Já tinha mandado construir uma forca para Mardoqueu.

A partir do verso 6 capítulo 7 de Ester o seu plano começa a surtir efeito e assim, veio o livramento.  Recomendo a leitura dos versos 4 ao 10 com seus alunos.

Enfim. O livro de Ester é um livro que enche os nossos corações.


Deus nunca abandonou o seu povo e nós também não seremos abandonados diante da situação em que vive o nosso país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário