Tradução deste blog

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ, EBD Lç 3 para 16/10/2016 (Subsídio).

ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ.
EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 03 PARA O DIA 16/10/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A CHAMADA DE DEUS.
II – A PROVISÃO DE DEUS.
III – AS PROMESSAS DE DEUS NA VIDA DE ABRAÃO.

 Abraão é o modelo de quem realmente confia em Deus. Espera a bênção chegar.

I – A CHAMADA DE DEUS.

1.1       Um projeto divino.

O autor informa que Abraão fazia parte do projeto de Deus para resgatar o homem; Deus tudo sabe, tudo vê e a queda de Adão não o surpreendeu.  

A queda do homem sob o olhar de Deus desperta em nós, a curiosidade de saber o porquê de Deus ter permitido que isto acontecesse.

O que segue é pensamento meu, pessoal não se trata de doutrina bíblica, mas o meu modo de compreender:

Já escrevi em outros momentos que Deus formou a espécie humana para preencher o vazio deixado pelo diabo e os anjos que com ele se rebelaram.

O fracasso dos anjos pela rebelião, denota a capacidade de raciocinar e escolher o que pretendessem para si mesmos, portanto tinham livre arbítrio.

O homem igualmente  foi criado com capacidade para pensar e decidir seu futuro, senão, seria desnecessário a ordem de comer ou não comer.

A Bíblia declara que os olhos do Senhor estarão sobre os fieis da terra. Salmo 102:6.

Finalmente, Deus não foi injusto com os anjos nem com o primeiro homem. A escolha foi deles e a prova é que milhares que já passaram por este mundo, optaram sofrer para alcançar uma melhor ressurreição.  Hb.11

Assim temos o plano de redenção que envolveu Abrão e a sua descendência.

1.2       O desafio de acreditar no projeto divino.

Abraão foi desafiado a crer e obedecer.

O que Deus fez na vida dos patriarcas e profetas da antiga aliança firmam a nossa convicção de que Deus, se necessário, pode fazer coisas semelhantes em nossas vidas e o segredo é um só;  CRER e OBEDECER.


1.3 Um projeto para abençoar as nações.

Este tópico é curto e o autor declara que essa escolha, Abraão, não visava uma escolha com vista a dar privilégios a um homem.

As promessas e as bênçãos destinadas a Abraão visava construir uma nação além das fronteiras de Israel. Uma grande nação.

II –  A PROVISÃO DE DEUS.

2.1 Abraão sai da sua terra.

Em curto espaço o autor descreve bem, a trajetória de Abraão começando por Ur e indo para Harã com o pai e o sobrinho Ló cuja história ao lado de Abraão conhecemos tão bem.

Abraão recebeu a promessa, creu e foi muito abençoado, todavia diz o autor a respeito:

“As promessas de Deus não são garantias de que não enfrentaremos crises, dificuldades e oposição”.

Bem ao contrário das proposituras das igrejas neo-pentecostais que garante prosperidades e bênçãos como se não houvesse lutas e muitos caem nesse engodo, principalmente nesta dispensação quando o mal cresce grandemente.

2.2 Abraão enfrenta escassez em Canaã.

Estima-se que Abraão tenha percorrido 2400 km. em sua viagem para Canaã. Enquanto esteve na região urbana da Mesopotamia, Abraão desfrutava do frescor dos rios que banhavam aquela região, todavia Abraão andou pelo deserto do Neguev até Berseba.

O interessante é que abraão não dispunha de qualquer informação do destino. Quando pensamos naquela viagem e nas nossas viagens, quando dispomos de bons restaurantes, de informações privilegiadas, mas uma mão poderosa guiava o Patriarca com grandiosas promessas e isso é o que interessa, estar no centro da vontade de Deus.


2.3 Abraão enfrenta a esterilidade de sua esposa.

Esse é outro aspecto da vida de um homem que amava a Deus.

Recomendo a leitura desse tópico para os seus alunos, pois a colocação do autor é perfeita e remete as promessas de Deus conosco. Deus tem feito muitos milagres em nossos dias, fazendo com que mulheres se tornem mães apesar do desengano pela medicina. Deus é o mesmo.

Confiemos sempre no Senhor.
                     
III –  AS PROMESSAS DE DEUS NA VIDA DE ABRAÃO.

3.1 Far-te-ei uma grande nação e abençoar-te-ei.

O autor relaciona a prosperidade de Abraão a sua obediência declarando que obedecer pode representar um grande desafio para algumas pessoas.

Quero confessar que a obediência a Deus não representa nenhum sacrifício quando nós o amamos de fato.

Quando alguma jovem me pergunta se algo ligado a costumes é pecado eu logo emendo perguntando, o quanto ela quer receber de Deus, lembrando as conquistas daqueles que foram fieis independente das facilidades mundanas.

Abraão recebeu muito pela fidelidade e firmeza na escolha obediente.

Quem não liga, segue o desenfreamento mundano, mas está sempre com os pés na beira da água, não entra na profundidade da relação com Deus.

3.2 Engrandecerei o teu nome.

Abraão tinha 75 anos quando foi chamado  (Gn. 12:1-9)  sob promessas.  Abraão só veio à paternidade aos 100 anos de idade que significa 25 longos anos esperando o cumprimento da promessa e pela idade dele e de Sara (90 anos), a coisa era muito séria.

Abraão foi fortalecido na fé dando glórias a Deus.  Rm. 4:20.

Abraão gerou duas grandes nações, Árabes e Judeus, porém, entendo que a posteridade de Abraão os alcança o que fez dele o pai de multidões.

3.3 Em ti serão benditas todas as famílias da terra.

As bênçãos prometidas a Abraão configurou-se em Cristo o que poderíamos chama-lo de herdeiro direto e único de todas as promessas de Deus e por sua morte expiatória fomos legitimados como filhos de Abraão segundo a fé.


Não há motivos para corrermos atrás dos homens por mais importantes que pareçam. Um homem sincero prega e conduz os convertidos à Cristo. Pois quem nos deu autoridade para tanto foi o Senhor e temos esse tesouro em vaso de barro para que a excelência do poder seja de Deus e não nossa. IICo.4:7.

Nenhum comentário:

Postar um comentário