Tradução deste blog

sexta-feira, 8 de julho de 2016

DEUS, O PRIMEIRO EVANGELISTA, EBD. Lç 2 para 10/07/2016 (Subsídio)

EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 02 PARA O DIA 10/07/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A CHAMADA DE ABRAÃO.
II – A PALAVRA DE DEUS É EVANGÉLICA.
III – EXECUTANDO O TRABALHO DE DEUS.


O evangelismo não abre a porta, mas entrega a chave para que cada um tome atitude correta e entre pela porta que é Jesus. Por ele,  alcançamos a paz com Deus. 




I – A CHAMADA DE ABRAÃO.

Há pouco tempo, ouvi um pastor afirmar que 98% (?) dos crentes achavam erroneamente que o evangelho começava no capítulo primeiro de Mateus. Claro que fiquei surpreso, pois, nunca ouvi tal ensino e ele citou Hebreus 9:16-17 para dizer que o evangelho começou com a morte do testador. Sustento que o evangelho, no mais amplo sentido, começou quando João Batista anunciou: “Arrependei-vos por que é chegado a vós o Reino dos céus”. Mt. 3:2.

1.1       Abrão, o caldeu.

Um pequeno ponto em Gênesis 11:31 e o autor mostra a intenção de Tera, pai de Abrão de ir com a família para Canaã, tendo morrido sem realizar o seu sonho.

O mundo civilizado na época não era tão grande mais o instinto de sobrevivência sempre foi a causa dos movimentos migratórios. O movimento migratório sempre atendeu os propósitos de Deus e o início da obra pentecostal no Brasil partindo de Belém, capital do Pará, nos confirma isto.


1.2       Abraão, o evangelizado.

Tem sido comum e até desastroso querer atribuir a Deus nesta dispensação o cumprimento de suas promessas com base em textos isolados notadamente do Antigo Testamento. As promessas feitas a Abrão cumpriram-se de forma plena.

Quando foi para destruir Sodoma, disse o Senhor: “Ocultarei eu a Abraão o que faço (...)?” Gn.18:17;  assim, o plano eterno de salvação estabelecido por Deus antes da fundação do mundo foi anunciado primeiramente a Abraão quando disse: “Todas as nações serão benditas em ti”. Gl. 3:8.

Quem ninguém confunda essa revelação de Deus a Abraão com a evangelização na forma como fomos alcançados.


1.3 O evangelista Abraão.
 A história de Abraão em Canaã foi cheia de experiências contra todas as adversidades tendo o testemunho e as promessas de Deus. Gozou do respeito de reis, marcou presença na terra prometida e Deus sempre deu testemunho do Patriarca, dizendo para o rei Abimeleque que não tocasse em nada do que lhe pertencesse porquanto, disse o Senhor: “Ele é profeta e rogará para que vivas ou então morrerás.”. Coisa séria.

Logicamente, se algum aluno perguntar que tipo de evangelho Abraão pregou diga-lhes que Abraão pregou a justiça e a fé em Deus com o testemunho da própria vida.

Abraão foi o pregoeiro da justiça, sem lei e sem mandamento algum. Por conta da sua fé e fidelidade, foi chamado de amigo de Deus. Is. 42:8.


II – A PALAVRA DE DEUS É EVANGÉLICA.

O autor se permite admitir que a Palavra de Deus é Evangélica  por considerar que a bíblia como um todo, contém  mensagens com promessas de salvação.

Do ponto II itens 1 ao 4, o autor toma fragmentos para mostrar que tudo no Antigo Testamento é evangélico.

Na lei, na história, na poesia e os profetas; são todos evangélicos.

Concordo que é uma linguagem um pouco estranha para nós, pois ao longo da minha vida é a primeira vez que leio uma abordagem como esta, sabendo que a palavra, evangelho e suas variáveis sempre fizeram referência as boas novas.

“E o anjo lhes disse: “Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria que será para todo o povo”. Lc. 2:10.

No Antigo Testamento, a promessa e no Novo, o seu cumprimento.
“ (...) mas vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu filho...”. Gal. 4.4.



III –  EXECUTANDO O TRABALHO DE DEUS.

O autor faz referência ao fracasso espiritual de Israel como agente e diplomatas da vontade de Deus para as nações e basta ler qualquer dos profetas do Canon sagrado para perceber o distanciamento e o preço pago pela infidelidade.

3.1 Israel e a evangelização mundial.

Recomendo a leitura em classe deste tópico muito bem arrazoada para que os alunos entendam o papel de Israel, o que foi feito e o que faltou fazer, suas razões que a bem da verdade, tem sido a causa de grandes problemas das igrejas no presente século. Perda da capacidade de julgar, discernir os espíritos, recusar conviver com o mundanismo dentro das igrejas, sem perder a ternura e amor devidos a cada alma. Curar é o maior trabalho da igreja mediante a fé em Jesus.

Eles, Israel, não precisavam cair para que tivéssemos uma oportunidade aberta, todavia tal e qual a doutrina da eleição, tudo estava previsto sob os cuidados de Deus e como Deus não fica sem o testemunho dos homens, cá estamos nós, lutando para manter a fidelidade plena e anunciarmos a grandeza do Reino de Deus.

Rm 11:12 – O que Paulo diz neste texto é o reconhecimento da restauração do reino de Israel para que o mundo volte a ver a sua grandeza.


3.2 A missão intransferível da igreja.

A missão evangelizadora da igreja no tocante a responsabilidade de cada um, visto que, somos a igreja do Senhor é que não haja falhas.

1 – A igreja universal, (não confundir com a do Bispo Macedo), esta, composta de homens e mulheres de todas as nações, não falha, ela tem compromisso com Deus e não se furta de pagar o preço para alcançar sua meta.

2 – Se a igreja universal não falha, a terrena ou local, falha grosseiramente nesse ponto e como consequência, muitos outros entraram na seara, uns com boa intenção, outros nem tanto e outros que vieram para roubar, matar e destruir.

Ore pelos seus alunos e junto com eles. Diga-lhes que Deus espera muito de cada um de nós. Nada será de graça, o salário vem com ele e o maior prêmio será entrar na eternidade adorando o nome precioso de Jesus.

Vida terrena comparada a uma rua sem saída.
Vida eterna, comparada a uma estrada infinita.
Em qual eternidade nos encontraremos? Questão de escolha.



Nenhum comentário:

Postar um comentário