Tradução deste blog

domingo, 27 de março de 2016

A EPÍSTOLA AOS ROMANOS, EBD.LÇ.1 03/04/2016

EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 01 PARA O DIA 03/04/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – AUTOR, LOCAL, DATA E DESTINATÁRIOS.
II – FORMA LITERÁRIA, CONTEÚDO E PROPÓSITOS.
III – VALOR ESPIRITUAL.

                                      
       A GRAÇA DE DEUS DISPONIBILIZADA A TODOS OS HOMENS.

I – AUTOR, LOCAL, DATA E DESTINATÁRIOS.

1.1       O autor.

Amanuense, aquele que escreve, copista e ou secretário. Temos um exemplo no Antigo Testamento com Jeremias o profeta que pela impossibilidade de escrever em alguns momentos, contou com a ajuda de Baruque (Jr.36:32), assim, Paulo contou com a ajuda de Tercio que se declara como escritor em Rm. 16:21.

É impressionante como tem pessoas que estudam teologia e passam a confrontar tudo. Digo isto em razão dos que acham que esta carta não seja de autoria de Paulo. 

O autor da lição e nem poderia ser diferente, está certo quando afirma que todo o conteúdo da carta aos Romanos reflete o estilo de Paulo. Do primeiro ao último capítulo, o jeitão do apóstolo.


1.2       Local e data.

Provavelmente entre 56 e 57 em Corinto.

Essas informações são por demais interessantes para que tenhamos ideia do tempo em relação a todo movimento da igreja no princípio contado a partir da ascensão de Jesus ao céu.


1.3 Destinatários.

Todas as cartas de Paulo tiveram destinatários apontados com endereço certo; isto é indiscutível como todo o Antigo Testamento teve como endereço, o povo israelita ou povo hebreu ou ainda, judeu.

Podemos chamar essa coerência de: O mistério da escrita bíblica? Nenhum motivo, afinal de contas temos a inspiração do Espírito de Deus.

Tanto o antigo, quanto as epístolas paulinas foram escritas para o nosso ensino considerando que a autoria primeira é de Deus para alcançar todos os povos.

“Porque eu recebi do Senhor, o que também vos ensinei...” ICo 11:23

II –  FORMA LITERÁRIA, CONTEÚDO E PROPÓSITOS.

2.1 Forma literária.

Penso que a forma literária e a preservação desta, nas traduções, visaram facilitar o entendimento dos povos, mais ou, menos cultos. Fico imaginando se a Bíblia contivesse a forma de pensar e escrever dos filósofos gregos e da maioria dos chamados “teólogos” dos nossos dias que mais parece um tratado acadêmico que uma leitura de fácil compreensão que se pretenda tornar público.

DIABRITES – Dissertação crítica.

FILÓSOFOS CÍNICOS – Para quem a vida deveria ser vivida na virtude, segundo a natureza.

FILÓSOFOS EPICUREUS – As emoções destrutivas resultavam de erros de julgamento.

Esta lição é lida nos grandes centros onde o acesso a escola superior é mais transitável  ou livre que nos cantões onde, humildes irmãos, lerão o texto e perguntarão: “O que isto quer dizer?”.


2.2 Conteúdo.

É muito interessante ler a carta de Paulo aos Romanos e em seguida, examinar a carta escrita aos Hebreus; ambas se completam.

Paulo sabia qual era a formação da igreja em Roma, do ponto de vista dos seus frequentadores assim, ele alcança os judeus mostrando o custo da desobediência e o poder da restauração. Manifesta sua tristeza por conta da incredulidade de Israel o que nos alcança no mesmo sentimento.

Com relação aos gentios:

Porque convosco falo, gentios... Rm 11:13

“E se alguns ramos foram quebrados e vós sendo zambujeiro (oliveira brava) fostes enxertados no lugar deles e feitos participantes da raiz e da seiva da oliveira... Não te glories”  Rm 11:17-18.

Sinto arrepios quando leio esta carta.

  
2.3 Propósito.

Quando se fala em propósito, é bom lembrar que a diversidade de entendimentos com relação a este ou qualquer outro assunto, suscitam as eternas discussões e muitas, infundadas. Esta carta tem  um alto teor apologético, faz a defesa da fé e ataca na raiz, toda possibilidade de perverter o exato motivo da morte expiatória de Cristo que provê a salvação de todos os povos, primeiro dos judeus.

                     
III –  Valor espiritual.

3.1 Fundamentação doutrinária.

O autor esclarece que esta carta contém forte conteúdo doutrinário e o mais completo do Novo Testamento tratando dos seguintes temas:

Eleição e predestinação.
Justificação, glorificação e herança eterna.

Sem conhecer ainda o conteúdo das demais lições, esperamos encontrar ensinamentos precisos como e principalmente  sobre eleição e predestinação.

Com relação a eleição e predestinação, tenho visto duas fortes correntes que disputam o direito de se fazerem entender; uma um tanto perigosa por entender que “nós não aceitamos ao Senhor, ele é quem nos aceita”.

Não dá para isolar qualquer texto dessa carta para tentar validar uma linha de pensamento.

3.2 Renovação espiritual.

A carta aos Romanos pode ser lida e ensinada nas igrejas, ponto a ponto e durante um ano inteiro que no final, produzirá um efeito de glória pelo conhecimento do tamanho do amor de Deus por todos os homens; o plano da salvação, da reconciliação, da justificação envolvendo o povo judeu que em Cristo, tem as mesmas oportunidas, pois, afinal, eles sem nós, não serão aperfeiçoados.  Hb. 11:40.

Neste trimestre, recebi além da lição, um valioso comentário complementar de cujo conteúdo pode ser tiradas informações valiosas para enriquecer o comentário em classe.


Deus abençoe a todos os professores. Que façam da Escola Bíblica Dominical, a trombeta que chama os crentes para o conhecimento de Deus pelo estudo sistemático das lições oferecidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário