Tradução deste blog

sábado, 26 de dezembro de 2015

EBD LÇ.13 JOSÉ, A REALIDADE DE UM SONHO.

EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO PARA O DIA 27/12/2015.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A HISTÓRIA DE JOSÉ.
II –  UM ESCRAVO CHAMADO JOSÉ
III – UM LUGAR DE REFUGIO PARA ISRAEL.

 José orientou Faraó a que armazenasse os grãos e com isto salvou o Egito da fome.



I – A HISTÓRIA DE JOSÉ.

1.1 Filho da afeição.

Diferente do seu pai Jacó, do avô Isaque, José vivia numa casa de muitos irmãos onde naturalmente há desentendimentos fortuitos, principalmente pela diferença de personalidade de cada membro da família.

Eram ao todo 12 homens e uma mulher, Diná filha de Jácó e Léia Gn.30:21.

De Léia     – Ruben, Simeão, Levy e Judá.
De Bila     – Dã e Naftali.
De Zilpa    - Gad e Aser.
De Léia       - Issacar e Zebulon.
De RAQUEL – José e Benjamin.

Lembrando que José era filha da sua amada Raquel e daí, toda a diferença.

1.2 Filho da decisão.

As principais razões da tomada de decisão para o retorno à Canaã, foram: O crescimento da família, o enriquecimento e maior ainda, a certeza que Canaã era o lugar da bênção patriarcal.

1.3 Filho dos sonhos.

Com José  aprendemos que sonho é também uma forma de comunicação entre o céu e a terra, todavia, há muitos sonhos e sonhadores nos nossos dias em que na maioria dos casos, não passam de inquietação da alma ou seja, não tem qualquer significado.

Há sonhos que vêm carregados de imagens à semelhança de Paulo com relação aos macedônios, atos 16:9 há que chamamos de “visão”. O texto não indica que Paulo estivesse orando, assim, se temos que especular, prefiro pensar que ele estava dormindo.

A “visão” ocorre geralmente, quando estamos em oração. Não se inclui na lista dos dons espirituais como alguns ensinam, porém, podemos trata-lo como um dom. Atos 10:9-11.


II – UM ESCRAVO CHAMADO JOSÉ.

2.1 O preço de um jovem.

José teve seu preço estimado em 20 siclos de prata.
Jesus, 30 moedas de prata.
Não acho possível determinar o que esses valores poderiam representar na atualidade, salvo se soubéssemos o que teriam feito com esse dinheiro. No caso de Judas, alguma informação, mas, no caso dos irmãos de José, não temos qualquer informação, pois,  na verdade, apenas queriam o seu irmão longe, para não mata-lo.

Muitos são vendidos nos nossos dias para que outros tenham “sucesso” em seus ministérios. O preço é uma questão moral.

2.2 A pureza de um jovem.

Diante de qualquer acusação o mais importante é ter a consciência tranquila marcada pela sinceridade, isto sim, garante vitória nas tribulações.

Pastores, cantores e pregadores de uma forma geral, precisam ter cuidado e o melhor caminho é esconder-se atrás do Senhor. Deixe Jesus aparecer nas suas (nossas) vidas e as mulheres de Potifar sentirão dificuldades em aproximar-se, mas, se perceber que você adora ser o centro das atenções, “já era”.

O exemplo de José vale para muitos prestadores de serviços cristãos e pastores que circunstancialmente  entram nas casas e ficam expostos, isto quando os tais não se tornam os agentes ativos da tentação ou agentes do mal.

2.3 A prisão de um jovem.
A permanência de José na casa de Potifar atraiu a lascívia da sua mulher que jogava “charme” sobre José.

Há alguma especulação sobre as razões de Potifar não ter matado José e a mais forte delas é que no fundo, ele sabia a mulher que tinha ao seu lado.

A questão é simples, tanto para o homem quanto para a mulher, ter ou não ter moral.

A vida de José na prisão é um episódio à parte que mostra o governo de Deus sobre nossas vidas em quaisquer circunstâncias.


III – UM LUGAR DE REFÚGIO PARA ISRAEL.

3.1 O intérprete dos sonhos.

Considere com seus alunos, o que diz o autor sobre:
a)     “Quem sonha, não despreza os sonhos alheios” isto é válido para pessoas que se acham “especiais”.
b)    “Quando atribuímos a glória a Deus, não nos tornamos arrogantes”. Temos o exemplo disso em Daniel.

O que mais se vê hoje são pessoas atraindo as atenções para si por aquilo que realiza como se fossem filhos prediletos de Deus. Guarde-nos o Senhor.

3.2  Um economista de excelência.

O sonho das vacas e das espigas cumpriu-se literalmente e isto, sob o monitoramento de Deus que aproximou José de Faraó para quem deu uma verdade aula de economia.

Se o Brasil pelo menos levasse em conta os conselhos de José, teria construído muitos silos para armazenamento de grãos, equilibrando o mercado em tempos de crise.

3.3 O salvador do seu povo.

Muitos associam a vida de José à de Cristo como salvador de um povo.

Perdoar os seus irmãos, outro exemplo ligado a Cristo que nos ensinou o sentido do perdão.
Assim, temos José como  um “tipo” de Cristo.

O reencontro com seus irmãos, a revelação e o encontro com o pai, com Jacó faz mover o mais duro coração.

José usa de muita habilidade para ter toda a família ao seu lado e posteriormente, sob ordem de Faraó, reserva um lugar, Gósen, onde viveriam por 400 anos.





3 comentários:

  1. Parabéns pelo Blog. Deus ti abençoe.
    Participe do novo Agregador BloGospel.
    Envie seus artigos e aumente as visitas em seu blog.
    Reunimos blogs evangélicos, com conteúdos gospel e relevantes para o povo de Deus.
    *Envie seus artigos gratuitamente, apenas incluindo nosso banner como parceiro.
    Sua parceria é muito importante. Junte-se a nós!
    http://semeandojesuscristo.blogspot.com.br
    Graça e paz!

    ResponderExcluir
  2. Agrega Blogospel.
    Grato pelo convite, espero poder estreitar essa relação.

    genivaldo

    ResponderExcluir
  3. Agrega Blogospel.
    Grato pelo convite, espero poder estreitar essa relação.

    genivaldo

    ResponderExcluir