Tradução deste blog

sábado, 16 de agosto de 2014

EBD LÇ.7 A FÉ MANIFESTA EM OBRAS.

LIÇÃO PARA O DIA 17/08/2014
PONTOS A ESTUDAR:
I – DIANTE DO NECESSITADO, A FÉ SEM OBRAS É MORTA.
II – EXEMPLO VETEROTESTAMENTÁRIOS DE FÉ COM OBRAS.
III – A METÁFORA DO CORPO SEM O ESPÍRITO PARA EXEMPLIFICAR A FÉ SEM OBRAS.




PROPOSTAS DA INTRODUÇÃO:
“A fé não é uma fuga da realidade”. Pensamento importante considerando que muitos têm usado a fé como argumento para viver um mundo de fantasias e causado muitos danos a seara do mestre e aos próximos.
“A fé e a obra são complementares”.

I – DIANTE DO NECESSITADO, A FÉ SEM OBRAS É MORTA.

1.1. Fé e obras.

O autor faz alusão aos postulados de Paulo no tocante à fé e obras para desarmar os que pretendam usar argumentos legalistas para justificar a razão da fé enquanto Tiago harmoniza a fé com as obras tendo estas como fruto do arrependimento cujo exercício fortalece ainda mais a fé no coração do crente.

Indiscutivelmente, tudo o que precisa para a salvação, Cristo aperfeiçoou na sua morte, agora, precisamos de atitudes que o glorifique ainda mais, em nossas vidas.

1.2 O cristão e a caridade.

O professor pode ler este tópico para seus alunos ou apenas citar a sua importância em todo o contexto da lição, encerrando com uma pergunta: O que tem sido feito em relação a  ajudar o necessitado?
Mostrar-lhes importantes textos que tratam dessa responsabilidade cuja falta pode comprometer a salvação por viver-se uma fé sem vida de fé.
Pv. 21:13 “O que tapa o seu ouvido ao clamor do pobre, clamará e não será ouvido.”.  – E não será ouvido.

1.3 A “morte” da fé.

- Segundo o autor:  “A concepção de fé apresentada em Tiago é a confiança em Deus...”.

Essa confiança em Deus se projeta em nossa ação no sentido de alcançar o próximo, principalmente os mais necessitados. Como podemos afirmar que temos fé em Deus desprezando o semelhante? Lamentavelmente, parece que nunca fomos ensinados a servir e não falo da “teoria do serviço cristão”.

II – EXEMPLO VETEROTESTAMENTÁRIOS DE FÉ COM OBRAS.

2.1 Não basta “crer”.

Consideremos a importância do enunciado do autor no tocante a crença comum em Deus.
Crença comum em Deus é a crença popular ou resultado das nossas tradições religiosas, sem qualquer compromisso com Deus nos termos dos testamentos deixados como herança escriturística da sua expressa vontade.

2.2 Abraão.

Nem precisa gastar muito tempo contanto em aula, toda trajetória do patriarca, até o Monte Moriá. Falar da importância da fé do patriarca de Israel que é o maior exemplo de entrega a Deus, independente do quanto pareça difícil para nós.

Quero chamar a atenção para as palavras do Senhor após Abraão ter provado que não haveria obstáculos para a verdadeira adoração: “Agora sei que tu temes a Deus e não me negastes o teu único filho.”.  Gn.22:12.

2.3 Raabe.

Raabe se sobressai tanto quanto Abraão por sua fé atuante em favor dos espias de israel o que denota, fé em Deus, da maneira como Deus aprecia nos seus.

Observe-se que a justificação de Raabe e de Abraão não é referida por Tiago como sendo, as obras pelas obras, mas, a fé mediante as obras o que muda o completo e perfeito sentido.

Que seja assim conosco; façamos para que o mundo veja o significado da nossa fé em Cristo.


III – A METÁFORA DO CORPO SEM O ESPÍRITO PARA EXEMPLIFICAR A FÉ SEM OBRAS.

3.1 Uma analogia do corpo sem espírito.

Confesso que apreciei a expressão do autor quando fala: “...um corpo vivo sem o espírito e a alma.”.  corpo + espírito e alma, somente para lembrar a confusão que muitos fazem desses dois elementos com naturezas independentes, mas, um quanto ao valor da natureza espiritual do homem. Assim entendemos no mesmo texto, a citação: “...um corpo alma em sociedade”.

Assim, como um corpo não vive sem a natureza espiritual, alma e espírito,  a fé sem as obras é morta.

Este assunto devia ser levado mais a sério por nossas igrejas para o bem da membresia.
3.2  Da mesma maneira: fé sem obras é morta.

Espera-se que os professores controlem os ânimos, pois, todos gostam de falar sobre o assunto.

Vamos aos fatos, finalizando:

a) Os trabalhos sociais de uma mega igreja substitui o trabalho formiga dos crentes?

b) Os trabalhos sociais de uma mega igreja atendem os lamentos de muitos crentes necessitados dentro das igrejas?

Minha análise pessoal.
As chamadas mega igrejas pelo poder econômico que possuem, via de regra, apresentam um serviço social, investindo uma insignificante parcela do que detém com vistas a mostrar que fazem acontecer, penso muito e não consigo me convencer do contrário.

De outro lado, os crentes fazem suas contribuições e salvo, honrosas exceções, cruzam os braços achando que a igreja já cumpre o papel social.

Penso que essa característica de igreja institucional tem abandonado o ensino bíblico da carta de Tiago e assim, temos uma geração de crentes apáticos quanto os deveres de fazer movimentar a fé mediante as obras.

Abramos os olhos enquanto é tempo.








Um comentário:

  1. Você acha que o trabalho social das mega igrejas podem substituir o trabalho formiga, o trabalho social que cada crente deve fazer? O que acontece se um crente vai ano após ano a igreja para adoração e omite-se diante do dever de acompanhar e ajudar os mais necessitados da sua igreja? Precisa responder isto à luz da carta de Tiago.

    ResponderExcluir