Tradução deste blog

sábado, 3 de maio de 2014

EBD Lç.5 DONS DE ELOCUÇÃO.

EBD para o dia 04 de maio de 2014.
PONTOS A ESTUDAR:
I – O DOM DE PROFECIA.
II – VARIEDADE DE LÍNGUAS.
III – INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS.



Em tempo:  ICo. 12:7 “Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil”. Se todos entendessem o significado de útil no texto, a nossa comunhão seria enriquecida no limite.


I – O DOM DE PROFECIA.

1.1 O que é dom de profecia?

Já ouvi todo tipo de absurdo pelo mau uso desse dom; de casamento a descasamento, de busca do reino dourado a sepulturas fechadas.
Normalmente, quem faz mal uso dos dons, sempre pede que nada se conta ao pastor e aí, sempre ensinei que quando o tal “vaso” diz para não contar ao pastor, toda suspeita sobre essas verdades proféticas.

O autor descreveu bem; a finalidade da profecia é para consolar, edificar e exortar e também não precisa usar os famosos jargões: “Assim diz o Senhor” e “Meu servo, eis que te digo...”

1.2 A relevância do dom de profecia.

Quando se fala sobre as possíveis origens das profecias ou suas falas, repetidas pelo autor e que reproduzo como sendo: Deus, o homem e o Diabo, muitas pessoas torcem o nariz, mas, não tem jeito, pois isto é uma grande e bíblica verdade, portanto, cabe a igreja, ser bem ensinada e fazer valer esse ensino para não comer gato por lebre.

Quero lembrar que muitos confundem revelações gerais com profecias e sendo uma ou outra, não precisam ser pronunciadas naquele momento, às vezes, interrompendo a mensagem no culto, achando que a profecia é superior a Palavra.

Enfim, não dá com pouco espaço e tempo de aula, dizer tudo sobre profecias.

O professor precisa sustentar o comando da aula, porque, nessas questões, todo mundo quer contar suas experiências.

Sendo um dos mais relevantes dons por comunicar de forma clara, a vontade de Deus sobre certas situações, todos os dons tem igual importância quando bem usados e compreendidos.


1.3 Propósitos da profecia.

O que não é o propósito das profecias? Guiar a igreja nas suas decisões ou a vida pessoal; substituir os ensinamentos bíblicos, pois estes tem origem em Deus pelo seu Espírito e não podem sofrer por ordem de prioridades nem são suplantados pelas profecias.

Um dos principais propósitos da profecia, ordenar as coisas e situações que estejam prejudicando a caminhada da igreja.

Tem ocorrido também, de pessoas não cristãs estarem visitando a igreja e serem alcançadas pela palavra profética.


II – VARIEDADE DE LÍNGUAS.

2.1 O que é o dom de variedades de línguas.

O dom que envolve a igreja com diversas falas, podendo ser idioma pátrio de alguma nação ou povo ou mesmo que alguém fale uma diversidade delas, todavia, lembrando sempre que em cultos públicos, faz-se necessário a interpretação ou que seja levado em conta a recomendação do Apóstolo Paulo: “Fale consigo mesmo e com Deus”. ICo 14:28.

É bom lembrar que Paulo usa repetidas vezes, orarei e cantarei com o espírito, mas, também com entendimento.

Não se pode achar que o Espírito de Deus controla o corpo e a mente como acontece no espiritismo.

Muitos brincam por conta dos chamados “retetés” existente por aí e muitas vezes produto de uma alma dominada puramente pela emoção. Tive a felicidade de falar alguns tipos de línguas e de ouvir também interpretações, transformando-as em profecias para a igreja.

Nunca use em seus comentários, principalmente nas redes sociais, escritos debochados em relação as coisas vistas nas igrejas. Faça sempre um comentário sério e sólido.

2.2 Qual é a finalidade do dom de variedades de línguas.
Alimentar a alma em primeiro plano e em segundo plano, a igreja. Quando se está em reunião de oração, nada melhor que ver e ouvir um irmão do seu lado, chorando e falando em línguas, sem estardalhaços.

2.3 Atualidade do dom.

Os dons são para os nossos dias. A questão é que a atual conjuntura, de um lado, o excessivo conforto do crente com a obtenção de melhor renda o leva para outras prioridades e de outro lado, o mau uso dos dons.

Qualquer que seja a realidade, não importa, o Espírito de Deus ainda está conosco e opera tudo em todos.

A palavra chave é: CRER.


III – INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS.

3.1 Definição do dom.

Evitar a confusão no culto. Confusão não pela ordem ditada; pela Palavra de Deus, mas, quando as coisas ficam apenas na área do domínio humano sem o uso da razão.

3.2 Há diferença entre o dom de interpretação e o de profecia?

Por que, o Espírito de Deus distribuiu à igreja esses dois dons? Não bastaria o de profetizar?

Primeiro: Não nos esqueçamos de que somos o barro e o Senhor, o oleiro, portanto, nunca perguntamos para ele o porquê.

Segundo: A soma dos dons foi dada à igreja para que ela saiba que está sendo guiada pelo próprio Deus.

A única diferença entre os dons de profecia e interpretação está na ordem de produção. Como cada um é produzido, mas, a finalidade é a mesma.

Quem já participou de culto onde há línguas e interpretação, sabe a beleza espiritual que isto representa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário