Tradução deste blog

terça-feira, 8 de abril de 2014

EBD - O PROPÓSITO DOS DONS ESPIRITUAIS, subsídio.

EBD para o dia 13 de abril de 2014. 
PONTOS A ESTUDAR: 
I – OS DONS NÃO SÃO PARA ELITIZAR OS CRENTES. 
II – EDIFICANDO A SI MESMO E AOS OUTROS. 
III – EDIFICAR TODO O CORPO DE CRISTO. 
 Em tempo: Não é bom deixar que a razão abafe aquilo que Deus deu a igreja para que esta cumpra o seu papel de forma plena. Repartir o pão.


I – OS DONS NÃO SÃO PARA ELITIZAR OS CRENTES.

1.1 A igreja Coríntia.

Interessante notar que enquanto Coríntio abundava em dons, as demais não pareciam se preocupar, pois Paulo sequer faz menção deste assunto com as demais igrejas, todavia, as outras (não todas) tinham algo que faltava na igreja grega: a dedicação em dar, em ofertar. Qual o segredo para tudo isso e qual a importância na busca e uso dos dons.

a – É preciso que haja muita dedicação e objetivos na busca dos dons, pelo batismo com Espírito Santo, que deve ser a primeira preocupação.
b – Não se pode esquecer, sob qualquer pretexto, a doutrina da mordomia cristã, pois, não havendo dedicação em dar, os dons ficam comprometidos de alguma forma.
c – "Façam de tudo, mas, eu mostrarei caminho mais excelente". Essa palavra do apóstolo não sugeria abandonar os dons ou sua busca.

1.2 Uma igreja de muitos dons, mas, carnal.

Os dons ficam mais bem compreendidos quando se conhece a importância deles como ferramenta para pregar o evangelho e alguns, para edificação da igreja; nada mais que isso.

Não é bom tentar arranjar qualquer outra função para os dons, principalmente santificação e melhor qualificação do crente.

1.3 Dom não é sinal de superioridade.

O maior problema que um portador de qualquer dos dons espirituais enfrenta é o assédio dos demais membros da igreja; essa sempre foi uma forte tendência, levando o portador descuidado a considerar-se elemento-chave da igreja, ao envaidecimento pessoal, quando não, a explorar favorecendo-se financeiramente pelos dons.

II – EDIFICANDO A SI MESMO E AOS OUTROS.

2.1 Edificando a si mesmo.

Não há dúvida que os dons espirituais enriquecem as nossas vidas de alguma maneira, porém, isto só acontece quando buscamos o crescimento pelo conhecimento da palavra de Deus, caso contrário, teremos muito barulho e pouco resultado quer na vida da igreja ou dos membros em particular.

Há quem pense que o conhecimento bíblico se contrapõe ao uso dos dons.

É necessário tomar cuidado para que a razão não apague a emoção. A emoção precisa ser controlada e não aniquilada, caso contrário, a igreja se tornará igreja de Nerds.

2.2 Edificando os outros.

Não se edifica os outros profetizando em suas vidas ou fazendo-os ouvir o quanto falamos em línguas estranhas.

É interessante sobre os dons e quem os possua o fato que quando usados de maneira sóbria e inteligente produz vigorosamente boa influência na vida dos irmãos. Se não for para isto, é melhor calar-se.

2.3 Edificando até o não crente.

Falar línguas sem interpretação. Neste caso o autor considera o uso inadequado do dom, um escândalo para o não crente, e isto é bíblico.

É preciso atentar que há irmãos, que em qualquer lugar, resolve extravasar-se falando em línguas estranhas.

Certa feita dentro de um ônibus prestes a viajar, o meu coração se transbordou de alegria, falei em línguas e ninguém ouviu, não precisavam ouvir o que não entenderiam e ainda me achariam louco.

III – EDIFICAR TODO O CORPO DE CRISTO.

3.1 Os dons na igreja.

O autor ressalta a importância do amor citando o maravilhoso texto de 1 Co. 13, que aborda a suprema excelência da caridade.

Já me defendi de muitos ataques e já defendi argumentos com uma palavra de JESUS. “Ide e aprendei o que significa misericórdia quero e não sacrifício...” Mt. 9:13.

Os dons perdem o colorido quando não há amor, quando não se pratica misericórdia sobre as vidas.

3.2 Os sábios arquitetos do Corpo de Cristo.

A maior deficiência não está no seio da igreja e sim nos púlpitos. A falta de conhecimento é grave e a desobediência de alguns ministros é gravíssima.

Não há maior escola de obreiros que a própria igreja, principalmente onde se reúne os mestres do ensino.
A falta de bom ensino leva muitos “pastores” a edificar com material de péssima qualidade, resultando em igrejas confusas no tocante ao uso dos dons.

3.3 Despenseiros dos dons.

O autor cita 1 Pd. 4:11. “Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá...”.

Observe-se que os dons não representam um governo a parte da igreja e é como tem sido tratado em muitos lugares.

Se não houver sábio conselho, o povo se corrompe e os danos serão irreparáveis.

Um grave erro cometido por muitos pastores é que por conta do excessivo zelo, acabam impedindo o desenvolvimento da fé cristã na direção da busca do batismo com o Espírito Santo e consequentemente também, na busca e uso dos dons.

A CIÊNCIA INCHA, MAS, O AMOR EDIFICA 1 Co 8:1 – Isto vale para tudo, principalmente para o ensino sobre os dons.

Nenhum comentário:

Postar um comentário