Tradução deste blog

sábado, 26 de abril de 2014

EBD LÇ.4 DONS DE PODER

EBD para o dia 27 de abril de 2014.
PONTOS A ESTUDAR:
I – O DOM DA FÉ.
II – DONS DE CURAR.
III – O DOM DE OPERAÇÃO DE MARAVILHAS.

Em tempo: Acordei nesta manhã pensando nas coisas que deixamos de fazer e outros entraram na seara do mestre de maneira atabalhoada, mas, dão as respostas que o povo procura; de maneira aloprada e de forma imediatista? Sim. Falha nossa!

  
I – O DOM DA FÉ.

1.1 O que significa fé?

Todo ser humano, salvo os que se esforçam para negar a própria natureza, possui fé. O maior problema é onde ancoram esse aspecto importante da alma humana ou quais são seus alvos. A Bíblia responde.

A linguagem neotestamentária veio para organizar a perfeita ideia do significado da fé e esta lição começa no capítulo 11 da carta aos Hebreus.


1.2 A fé como dom.

Ao tomarmos conhecimento do Evangelho pela pregação da fé, empenhamos parte da nossa fé na busca e conservação dessa verdade. Quanto mais lemos a Bíblia, mas, esta porção de fé, cresce alimentada na direção certa; a isto, chamamos de fé salvífica.

O fruto do Espírito elencada em Gál. 5:22 é o resultado do empenho da fé salvífica. Entre os sinais do fruto, encontramos a fé, que, com certeza é esta mesma fé que nos envolve em comunhão com a igreja de maneira limpa, ordeira e despretensiosa.

A fé como “dom” entre os dons espirituais é uma força especial tal e qual a que impulsionou Elias a desafiar os profetas de Baal; a enfrentar os maiores desafios que se opõem a pregação do Evangelho.


1.3 Exemplo bíblico do dom da fé.

Há muitos exemplos bíblicos; o autor cita a travessia pelo Mar Vermelho, a própria passagem pelo Rio Jordão, o azeite e a farinha da viúva entre outros.


II – DONS DE CURAR.

2.1 O que são os dons de curar.

Alguns podem questionar em que momento a cura foi operada pelo dom ou pela autoridade no nome de Jesus; lembrando que antes da manifestação do próprio batismo com o Espírito Santo, JESUS já tinha ordenado aos discípulos que saíssem para pregar e declarou que os sinais se seguiriam aos que cressem.

2.1.1. É preciso entender que as coisas que Paulo escreveu, como tendo recebido do Senhor, não confronta com as palavras de Jesus e Jesus foi quem deu autoridade a igreja e agora, já ordenada, através dos dons espirituais.

Não se confunde a autoridade pastoral, sempre segundo a graça de Deus, com o dom de curar.


2.2 A redenção e as curas.

O que quer o autor da lição transmitir ao comentar sobre redenção e cura?
Possivelmente mostrar que as curas e as  enfermidades caminham juntas, dando a entender que os dons e a autoridade sobre as doenças, não afastam essa possibilidade na vida de quem quer que seja, até mesmo, alguém muito usado por Deus para beneficiar pessoas enfermas.

No presente século, o ritmo e natureza das doenças tem matado muita gente e comprometido a qualidade de vida por conta das drogas usadas na alimentação.


2.3 A necessidade desses dons.

Facilita a penetração do Evangelho.
Traz gozo e alegria aos que são alcançados.
Fortalece a igreja e sua comunhão entre os santos.



III – O DOM DE OPERAÇÃO DE MARAVILHAS.

3.1 O dom de operação de maravilhas.

Em toda minha vida conheci duas pessoas com manifestação sentida desse dom e confesso, é fantástico.

O dom de operação de maravilhas está muito ligado a fé, pois, exige do portador, atitude corajosa, ter a certeza que algo que interesse vai acontecer, todavia, nada que não seja para glorificar o nome do Senhor.


3.2 Exemplos bíblicos.

O autor cita como exemplo, os milagres de Jesus e de fato, tendo como ponto de partida facilita a compreensão.

O vento e o mar se acalmam.
A multiplicação dos pães e dos peixes.

3.3 Distorções no uso dos dons de curar e de operação de maravilhas.

Perceba-se que nos primeiros anos da igreja pentecostal Assembleia de Deus no Brasil, o nosso território era blindado pelo catolicismo que detinha também, um quase absoluto poder temporal sobre os governantes em todas as partes e foi o poder que levou esta igreja a penetrar em cidades dominadas pelo catolicismo, nos morros, nas favelas em sítios e fazendas.

A igreja avançava e o poder de Deus acompanhava a obra.

Instalação de suntuosos templos – Modificou o rumo da história; as pessoas acorrem a esses “santuários” para buscar a bênção do carro, da casa, da empresa e negócios diversos. Palavras de ordem como “Tá amarrado, determine, ordene e outras” viraram chavões sempre seguidas da quase obrigatoriedade de contribuição financeira sob pena do fiel não alcançar a “bênção”.

FIM DOS TEMPOS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário