Tradução deste blog

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

EBD: LIÇÃO 7 - OS DEZ MANDAMENTOS.

LIÇÃO 07 OS DEZ MANDAMENTOS.
EBD para dia 16/02/2014.
PONTOS A ESTUDAR:
I – OS PROPÓSITOS DA LEI.
II – OS DEZ MANDAMENTOS.
III – A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS.

Em tempo: Quando criança tinha curiosidade enorme para conhecer os dez mandamentos da lei de Deus. Conheci primeiramente pelo catecismo católico, achava-o muito estranho, e pior ainda, quando o confrontei com o que a Bíblia informava a respeito.

I – OS PROPÓSITOS DA LEI. 


1.1 O Decálogo. 

.
As duas tábuas contendo o decálogo, ou os dez enunciados de caráter moral de Deus para o seu povo, é a primeira norma escrita expressando a vontade do Senhor. Para quem não gosta de regras, temos aqui as primeiras, escritas pelo próprio Deus.

Algo curioso chama a minha atenção. Por similaridade, reconheço que tanto Deus, na antiga aliança, quanto Jesus, na nova, deram ao homem o privilégio de escrever um verdadeiro compêndio de leis, normas e regras complementares.

Se o autor da carta aos Hebreus, no capítulo 6, chama os ensinamentos de Cristo de princípios rudimentares, não é muito que digamos que os dez mandamentos, foram os princípios rudimentares das ordenanças de Deus. Moisés fez o restante como Paulo na nova aliança.

1.2 Objetivos do Concerto divino. 

.
Os textos citados pelo autor, na carta aos Romanos, precisam ser considerados para que os alunos tenham consciência do real significado da lei. Os judeus não podiam continuar vivendo das tradições morais do patriarcalismo, agora, constituíam uma nação e precisavam de leis para organizar a sociedade. Está claro que, os dez mandamentos não seriam suficientes para essa organização, basta conhecer as regras estabelecidas no Pentateuco, principalmente no livro de Levíticos.

 II – OS DEZ MANDAMENTOS.


2.1 O primeiro mandamento. 

.
Perceba-se que o primeiro mandamento, quanto a literalidade, ficou na herança do passado. Todavia, a moral divina é imutável quanto a tempo e espaço, exigir culto somente a si mesmo não é abusivo, pois Deus é Deus e tem sido Deus em todo o tempo. Jesus pôs um tempero à mais; os verdadeiros adoradores adorarão o pai em espírito e em verdade.

Observação. Chamo de literalidade do texto, por que, quando chegar no quarto mandamento, alguém vai achar que precisa cumpri-lo ainda hoje.

Êxodo. 20.1 “Não farás para ti imagem de escultura nem alguma semelhança do que há no céu nem em baixo na terra nem nas águas debaixo da terra.”. Com essa definição, Deus põe de lado a figura de qualquer mediador no tocante a sua relação com o homem e o homem com ele, Deus. Isto vale para anjos, pois, há muitos adoradores de anjos como há de homens.

2.2 O segundo mandamento.

.
“Não farás para ti imagens de escultura”. O autor mostra que essa adoração ou idolatria, é muito abrangente, não diz respeito apenas a imagem venerada nas missas católicas, mas, a tudo o que ocupa o coração e nessa questão, a coisa está muito feia. O fanatismo por clube de futebol equivale à idolatria, como também,  por astros e estrelas do mundo do filme e da música.

2.3 O Terceiro mandamento.

.
“Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão”. É uma proibição a mencionar de forma banal, secular e irreverente, diz o autor. Todos nós já testemunhamos alguma coisa em lares cristãos de fazer-nos corar; talvez uma gozação no tocante a manifestações “pentecostais”, hinos e trejeitos de algum pregador. Tudo leva a banalização do nome do Senhor.

2.4 O Quarto mandamento.

.
“Lembra-te do dia de sábado para o santificar”. Temos vários textos que garantem a ocupação em qualquer dia da semana para não ser pesado a ninguém. Levantar neste estudo o histórico dos motivos que levaram a estabelecer o Domingo como um dia de descanso, com objetivo de proteger o trabalhador é irrelevante, até por conta de tempo. O estabelecimento de um dia para descansar é legal.

 É possível que algum maluco da fé tenha pregado o Domingo como o dia maior para o cristianismo, porém, isso é interpretação pessoal. A Igreja nunca fez do Domingo um dia mais santificado que qualquer outro.

Muitos crentes trabalham em serviços essenciais e comércio no Domingo, labor que em nada prejudica a sua fé.  O irmão que pede as contas na empresa sob o pretexto que trabalhar no Domingo, prejudica a sua fé, precisa mudar o argumento.

III – A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS.


3.1 O quinto mandamento. 

.
“Honra a teu pai e a tua mãe”. Bem disse o apóstolo Paulo, o tempo é mesmo trabalhoso. Onde está o amor, o carinho e a atenção devidos aos pais nestes dias? Nem convém comentar sobre assassinatos de pais e familiares, pois, isto já é creditado a distúrbios mentais.

3.2 O sexto mandamento.

.
“Não matarás”. Excelente o comentário do autor, recomendo a leitura paulatina do texto, fazendo as seguintes considerações pontuadas:
a) Sacralidade da vida humana significa dizer que a vida é sagrada e deve ser intocável.
b) As cidades de refúgio foram criadas para proteger o homicida não intencional, comumente falado em nossas mídias de “homicídio culposo”, quando não há intenção de matar; acidental.
c) Tão sério quanto a morte física é a moral e espiritual, o que destrói a autoestima, para mim, tem peso igual.
d) Aborto. Há dois tipos de aborto; o físico,  a morte do feto ou nascituro e o aborto espiritual, aqueles que destroem a fé do novo convertido. 

3.3 O sétimo mandamento. “Não adulterarás”. 

.
Perceba-se que Jesus tratou do assunto com muita graça, considerando aqueles que desconheciam o seu amor, a exemplo da mulher samaritana. Jesus bateu forte contra os adúlteros escondidos nas religiões. Não adianta chamar pessoas de adúlteras pelo ato e desconsiderar o que Jesus ensinou sobre o matrimônio. Ler com muita atenção o capitulo 19 de Mateus dando ênfase aos versos 10, 11e 12.

3.4 O oitavo mandamento. “Não furtarás”.

.
Inclui: Atestados falsos para ganhar o dia de trabalho. A caneta Bic do patrão levada do ambiente de trabalho para casa. Deixar de pagar honestamente o trabalhador pelo seu labor e mais objetivamente, subtrair o que é de outro.

3.5 O nono mandamento. “Não dirás falso testemunho”. 

.
Fazer falsas afirmações ocorrem com frequência em qualquer lugar onde grupos de pessoas se reúnam: Igreja, trabalho, família ou vizinhos, principalmente os que moram em condomínio. O autor cita Tiago 4.11. Nessa questão, todo cuidado ainda é pouco. Muitos ganham dinheiro até provocando opiniões para pegar na fraqueza dos comentários preconceituosos através de ações de danos morais.

3.6 O décimo mandamento. 

.
A cobiça é um grande mal neste século, pois, a mídia contribui para despertar desejos nas pessoas, das mais variadas ordens. Quem olha para Jesus não escorrega nesse pecado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário