Tradução deste blog

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Em Busca dos Pentecostais.


Gostaria de iniciar este assunto citando uma palavra do Apóstolo Paulo que considero a matriz de todo o seu pensamento apostólico.

“A minha palavra e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas, em demonstração de Espírito e de poder” 1 Co 2.4.  

Como pastor ou como crente em JESUS, esse texto sempre balançou muito a minha figueira, sempre representou para mim um divisor de águas.

Eu me sinto balançado sim,  quando penso nas coisas que realizei ao longo de quarenta e seis anos servindo o Senhor, cooperando ativamente na obra e dirigindo igrejas, quando também penso em como deveria ter realizado mais e o que faltou. Contra fatos não existem argumentos, ao tentar argumentar para justificar nossas fraquezas a coisa fica mais feia ainda.

Todos os avivamentos da história da igreja, a partir dos últimos dois séculos, produziram muito fruto, enquanto uma chama apagava aqui Deus levantava outra ali. 

E fico me perguntando, se Deus ainda está disposto a estender o seu braço para outro grande avivamento, visto que ele não trabalha sem o homem. O homem é a ferramenta de Deus, não obstante sabermos que Deus nunca fica sem testemunha. Engana-se quem pensa que o céu está de férias.

Nunca se ouviu tanto som e ruídos nesses últimos dias. Mas, ficamos a procurar os resultados e o que vemos são igrejas crescendo sem uma resposta adequada às necessidades humanas.

As pregações são muito bem elaboradas, deveriam balançar o coração, a alma e o entendimento. Os corações balançam, porém quando retornam da igreja ao lar se deparam com os mesmos problemas, as mesmas frustrações. 

Três reações:

1- Tentam aplacar essas investidas, acomodando-se nos braços do Mestre pela sua palavra, o que já representa um alívio muito grande.
2- Outros, mais impacientes, correm para orar nos montes em busca de aquecimento espiritual.
3- E outros, correm para os grandes templos, procurando quem lhes ofereçam maiores possibilidade de vitórias sobre os males.

Qual a principal causa? Quando leio as grandes discussões levantadas nas redes sociais, percebo que, sobejamente, há conhecimentos bíblicos, mas, faltam ações concretas. Aprendemos muito nas escolas de teologia e não conseguimos aplicar esse aprendizado de forma eficaz para o bem do Reino de Deus, representado pelas diversas igrejas.  

Quem sabe, lembrando alguns fatos despertemos nossa consciência, para nos ajudarmos mutuamente na busca daquilo que é mais necessário que o conhecimento? Afinal de contas, “a ciência incha, mas, o amor edifica” (1 Co 8.1). Aí, o que vemos são muita discussões vazias, muita crítica, cada vez mais dando munição para aqueles a quem criticamos; os pregadores da televisão, onde tudo parece se resumir. 

Quando os missionários Gunnar Vingren e Daniel Berg aportaram no Brasil, (hoje muita gente se intitula missionário ou missionária) sem sequer conhecer o idioma, encontraram muitos inimigos entre crentes e o clero romano. Eles trataram de pregar a palavra de Deus, de forma completa, ou seja, com o poder sobre o qual Paulo tanto falou em suas palavras. Muitos pastores foram expulsos de cidades pela igreja católica, que até então, tinha domínio sobre as autoridades locais. Bíblias rasgadas, igrejas queimadas e perseguidas, crentes sendo chamados jocosamente de “canelas de fogo” e “bodes” entre outros adjetivos depreciativos. Quanto mais perseguiam, mais os crentes e pastores, se movimentavam ao encontro das almas, e JESUS curava, batizava com Espírito Santo e havia muitas maravilhas entre o povo. Pouco se sabia sobre escolas de teologia, aliás, sequer falavam bem o português, razão de zombarias de crentes mais estudados que não suportavam o “nós fumus pregar em tal lugar...” Estávamos ficando muito espertos.  

Chegamos à era da inteligência artificial, das escolas teológicas, do conhecimento do grego e do hebraico, e o que sobrou? Gente despejando sabedoria em todo canto, e a igreja inchando. Muitos falam sobre o pentecostalismo sem sequer ter noção do verdadeiro significado. Uns zombam, debocham descaradamente no sentido de atingir os vazios barulhentos, e acabam ofendendo até o Espírito da Graça de Deus.

A política e os interesses materiais tomaram conta dos púlpitos. Os debates se avolumam, estamos sempre a postos para defender e honrar a nossa doutrina nas réplicas e tréplicas. O povo, oras o povo, correm para as mundiais e universais e outros movimentos que arrogam para si, o verdadeiro avivamento, que na verdade só “incendeiam” o bolso deles. 

Vingren e Berg foram felizes porque não fizeram do evangelho, nem do poder de Deus, suas agências de publicidade. Ensinaram o povo e estes, com toda simplicidade, souberam usar muito bem o que lhes foi confiado. Até que... Chegamos aqui. Hoje somos corintianos, flamenguistas, são paulinos e ainda, falamos com tanto orgulho, dando graças a Deus por isso.  

Confesso que não entendo essa relação, e o fim que muitos de nós estamos buscando. Particularmente, não me inclino para qualquer nome de clube esportivo, não me importo se ganham ou perdem.

Bom seria se pudéssemos voltar atrás. Parece-me que está ficando mais fácil encontrar pentecostais atrás dos teclados de computador que em atuação nas igrejas.

6 comentários:

  1. Izaldil Tavares de Castro3 de fevereiro de 2014 01:11

    Pr. Genivaldo,
    Coloco-me entre os que pensam como você. Entendo a sua "procura pelos pentecostais", uma vez que somos parte dessa massa de cristãos. De fato, nossas igrejas, a despeito de tantos ensinos vindos dos púlpitos e apesar dos clamores de tantos pastores, na condução do rebanho, o secularismo tem tomado conta dos corações e o amor tem esfriado.
    Não culpo o estudo da Teologia (há pessoas que nem sabem que teologia engloba qualquer tipo de estudo sobre Deus, deuses, e religiões). Todo crente faz teologia; todo católico faz teologia, assim como os espíritas, os muculmanos etc. Não é esse o problema. A questão grave é que pentecostais ou, não, os crentes evangélicos não têm seguido a orientação da conhecida Palavra de Deus. Sim, conhecida, tal como Israel conhecia as orientações do Senhor. Quem desconhece o Salmo 1.1? Quem desconhece Romanos, 12.2? Todos conhecem. Mas todos temos sido rebeldes à Palavra. Nossas reuniões, infelizmente, são cultos "desagradáveis" a Deus.
    Creio que o Senhor quer conversar particularmente com cada um de nós, para depois tratar com o que chamamos de "igreja". Sem essa bênção da reconciliação com o Senhor, vamo-nos reunir nos templos até à terrível surpresa final: "Não vos conheço!"
    Que Deus tenha misericórdia de nós! Que Deus nos oriente para o retorno a Ele. É desse avivamento milagroso que precisamos. Creia, choro, enquanto medito nessas palavras. Senhor tenha misericórdia de mim e dos meus irmãos!

    ResponderExcluir
  2. Caro pr. Genivaldo Tavares,

    Paz amado!

    Infelizmente e felizmente, muitos pentecostais estão atrás dos teclados dos computadores, por utilizarem a liberdade de expressão, e por liberdade, em seus computadores, conseguem se expressar.

    A falta de espaço na igreja aos que possuem o conhecimento e a autoridade para a pregação expositiva, tem se tornado quase que indesejável motivo por grande parte dos crentes, que somente foram preparados para ouvirem o que os seus corações desejam.

    Muitos líderes possuem a capacidade carismáticas para organizarem seus quartéis (ou quem sabe cartéis) na providência de não perderem, os seus rebanhos, bem acostumados a um alimento que vai de encontro aos seus interesses, como do tipo: prosperidade, ou positivismo, ou muito reteté, ou muitas correntes de todos os tipos, ou das ofertas que se multiplicam como uma semente especial.

    Afinal de contass, e de fato, nós ou cada um de nós, possui o direito de como igreja sermos uma carta aberta para ser lida por todo o mundo.

    O prédio chamado pela modernidade de igreja, deveria ser apenas um prédio para abrigar, quantas vezes e necessário fosse, os crentes que desejam prosseguir no caminho do conhecimento da Palavra de Deus.

    Os cultos elaborados para dias específicos é algo criado pelo homem para pura conveniência.

    O pastor deve, sim, estar à disposição, não do rebanho, pois o nosso Senhor Jesus Cristo, nos ensinou e nos orientou a fazermos discípulos e não elaborarmos uma criação de ovelhas.

    Hoje, as igrejas estão promovendo entre os membros para que aconteça uma audiência especial, até mesmo, os shows de pancadaria, bem conhecido de UFC ou MMA, porque alguns lutadores se consideram cristãos e possuem a bondade em seu sôco e pontapés, como se demonstrassem o poder de Deus desta forma toda ESPECIAL.

    Triste, saber que muitos somente conseguem expressar seus conhecimentos, através do computador, fora dele, não teriam esta liberdade e o motivo para atuar com suas avaliações, zelo, ousadia e conhecimento que, com a multiplicação da ciência, passou a possuir maior consciência e permitir ao homem a microscópica capacidade para sentir um pouco a sensação do que significa onipresença.

    As denúncias pelo computador, servem para que muitos se analisem e se verifiquem em suas condições diante do Evangelho com Simplicidade, devido a grande confusão espiritual em muitas igrejas espalhadas pelo mundo.

    Aproveito a oportunidade para informar que grande quantidades de brasileiros vem aos EUA em visita e convites às igrejas de brasileiros para promoverem heresias e mais heresias. Triste!

    O Senhor seja contigo, nobre pastor,

    O menor dos teus irmãos.

    ResponderExcluir
  3. A 40 anos e ainda não conseguiu chegar ao Presbitério?
    24 HORAS NO AR. Acesse agora!
    PROGRAMA VOZ DE SIÃO, SEGUNDAS, QUARTAS E SEXTAS FEIRAS DAS 19 ÁS 21 HORAS. FONE: 555135721308 - http://tvbatistasiao.cng.br/ http://www.batistasiaobr.com/ http://www.batistasiaobr.com/p/estudos-biblicos.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IGREJA BATISTA SIÃO.
      "Há 40 anos e ainda não conseguiu chagar ao presbitério?". Publiquei seu comentário, mas, confesso que não entendi como se encaixa na postagem acima: "Em Busca dos Pentecostais". Grato
      .

      Excluir
  4. Realmente Pr. Genivaldo, tudo procede dessa forma como o Sr. escreveu. Muitas vezes me acho muito crítico no meu BLOG, contra as falsas doutrinas, falsos evangelhos e seus falsos mestres. Não posso ver essas coisas erradas e permanecer calado. Preciso, no mínimo, escrever contra essas coisas. Muitas vezes somos considerados pessoas que estão fazendo apologia cristã e até evangelizando fora dos nossos círculos de convivência, o que na opinião de alguns é errado. É como se alguém pudesse dizer ao Espírito de Deus quem deve ser evangelizado e ter o esclarecimento necessário do verdadeiro evangelho de Cristo. Contrariamente a isso, é muito oportuno as pessoas estarem escrevendo sobre o Evangelho, levando informações a quem, talvez, não poderia ser alcançado de outra forma. O Espírito Santo de Deus é um só. Para finalizar, baseado em João 15:19 e João 17:15-16, digo que a grande dificuldade do crente é perceber que ele não pertence a este mundo assim como Cristo não pertenceu/não pertence. Se tivesse isso muito claro na sua mente, não se deixaria levar por manipulações do homem e da hodierna sociedade corrompida, que visam desencaminhá-lo do que realmente interessa; a verdadeira riqueza, o verdadeiro ouro, refinado pelo fogo, as coisas espirituais, as coisas do Senhor nosso Único e Verdadeiro Deus. Se não entendermos isso, estaremos sujeitos a tudo o que esse mundo nos oferece; futebol e seus times, esportes de competição, entre eles lutas UFC ou MMA; filmes de Hollywood; novelas, e outros falsos entretenimentos fartamente oferecidos pelo mal, ou ainda qualquer coisa material, disfarçados como coisas que todos fazem e que não faz mal a ninguém, mas onde reinam o mal, o poder, o dinheiro e toda a perdição.

    Todos nós, somos, com a Graça de Deus, muitas vozes chamadas, que clamam num lugar chamado Internet; vozes que ressoam no mundo real; que precisa urgentemente de Deus, antes que venha o dia do Senhor.

    ResponderExcluir