Tradução deste blog

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

EBD - LC 6 O EXEMPLO PESSOAL NA EDUCAÇÃO


LIÇÃO 06 O EXEMPLO PESSOAL NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS.
EBD para 10/11/2013. Subsídio.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A IMPORTÂNCIA DIS LIMITES.
II – ENSINANDO ATRAVÉS DO EXEMPLO (VALORES).
III – EDUCAÇÃO INTEGRAL.

Em tempo: O texto de Pv. 4:1-9 é simplesmente fantástico, perfeito e nos dá o entendimento do que parece ser um segredo, como famílias conservam uma vida ilibada, Avôs, pais, filhos e netos.  A religião, no sentido mais puro como meio de se encontrar Deus, tem um peso significativo na educação e moral das famílias.

I – A IMPORTÂNCIA DOS LIMITES.
1.1        Satisfazendo necessidades, não vontades.
O que é verdadeiro é incontestável, o que diria neste ponto aos meus alunos?
1)   Nada que viesse a mudar este princípio que é verdadeiro!
2)   Não deixaria de considerar o mundo real com suas nuanças considerando a ausência sentida por excesso de trabalho,  quando satisfazer vontades, torna-se um “cala boca” para os filhos.
3)   Não sabemos quantos pais, tem consciência dessa diferença entre necessidades e vontades e o que se põe como prioridade.
4)   A sociedade acaba assumindo todos os riscos por aquilo que faz ou aceita, mas, a Palavra de Deus não muda.

1.2        Presença versus Agressão.
Tendo criado quatro e pela graça de Deus com bons resultados, até hoje não conheço a receita de bem criar filhos, no sentido da vida diária de cada um. A vida é uma eterna contradição de verdades.
Muitas coisas precisam serem revistas.
Sempre que vejo tratar desse assunto, temos em mente a violência no tratamento; não me refiro a violência que leva à morte, mas, a entendida como suficiente para educar.
1)   Violência nunca foi característica de boa educação.
2)   Até as varas de provérbios podem ser substituídas como lições de exemplo moral ou como palavras de moralização.
3)   Por vezes, preferiria que meu pai me batesse a passar aquele “sabão” que me fazia chorar.
4)   Quem mais procura satisfazer as vontades são as mães como na mesmo proporção elas tem a capacidade de educar os filhos.
5)   Penso que pai não educa filho; marca com presença e exemplo de vida moral. Pai tem a tendência de disciplinar dependendo das reclamações do dia.

 II – ENSINANDO ATRAVÉS DO EXEMPLO (VALORES).
2.1 Ética da personalidade.
Nessa questão, o autor trás a lembrança Pv. 7 e faz considerações pontuadas que precisam ser levadas em conta e lidas aos alunos.

1)   Na fase da infância que vai dos 6 aos 14 anos de idade, a criança busca assimilar tudo o que ouve e vê, mas, de forma empírica em casa, nas ruas  e nas escolas. A somatória disso tudo começará a ser digerida a partir dos 14 anos de idade quando a criança começará a definir a sua própria identidade.

2)   A melhor maneira de neutralizar os efeitos nefastos da educação mundana é fortalecer os laços dentro de casa, com verdades, com amor e com maior frequência, o estar juntos.

2.2 Ética do Caráter.
O texto desse ponto é curto, maravilhoso e convém ler com calma para os alunos, observando o quanto absorvem do assunto proposto.
Nos sentimos frustrados por perceber que a cada dia e considerando o crescimento da igreja, nos tornamos impotentes no sentido de corrigir o percurso de muitos crentes com a aplicação da Palavra do Senhor.
-Vivemos o tempo das subjetividades (forma de proteger os nossos interesses).
-O tempo de busca das vantagens pessoais a qualquer custo.
Que o Senhor nos ajude a vencer a nós mesmos para que nossos filhos nos vejam como exemplo de virtudes.

 III – EDUCAÇÃO INTEGRAL.
3.1 Desenvolvimento mental.
Um pastor que não investe principalmente nos jovens para que estes tenham um desenvolvimento sadio, deve andar com apenas uma perna.

Ensinar os jovens é ensina-los a conhecer a Deus e a identificar os caminhos oferecidos pelo mundo (sistema).

3.2 Desenvolvimento moral.
O autor fala de três importantes elementos que são as bases da moral humana.
JUSTIÇA – O DIREITO E A RETIDÃO.
Justiça não é somente dar a alguém o que lhe pertença é ser coerente em todos os seus julgamentos.

O DIREITO – Saber que temos obrigações com a pátria e com a sociedade é o Direito das coisas públicas, mas, também, o Direito das coisas espirituais cuja regra é a Bíblia Sagrada.

RETIDÃO – Não seguir os caminhos da impiedade por mais vantajoso que pareça.

 
O Governo cede a pressão de grupos minoritários como o GLBT para incutir na mente das crianças uma ideia distorcida dos valores familiares. Estamos atrasados, devemos atacar o mal pregando a verdade da Palavra de Deus.

 

 

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário