Tradução deste blog

domingo, 15 de setembro de 2013

EBD LC12 A RECIPROCIDADE DO AMOR CRISTÃO

LIÇÃO 12 A RECIPROCIDADE DO AMOR CRISTÃO.
EBD para 22/09/2013. Subsídio.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A OFERTA DOS FILIPENSES COMO PROVIDÊNCIA DIVINA.
II – O CONTENTAMENTO EM CRISTO EM QUALQUER SITUAÇÃO.
III – A PRINCIPAL FONTE DO CONTENTAMENTO.


Em tempo:  Essa mensagem nunca será bem recebida por seguidores da prosperidade. Essa é para crentes fieis que sabem que nunca serão abandonados pelo Senhor, nas horas mais tristes da vida. Aprendemos a tirar proveito das situações mais adversas e nos mantermos em pé, glorificando o nome do Senhor.

I – AS OFERTAS DOS FILIPENSES COMO PROVIDÊNCIA DIVINA.
1.1        Paulo agradece aos filipenses.
-Eu poderia dizer com muita propriedade o que significa ser alvo de atenção da igreja nas horas de maior necessidade.
-Nunca gostei de legislar em causa própria, mas, sempre defendi que a igreja não pode esquecer seu pastor, principalmente quando ele não é assalariado e maioria trabalha por amor.
-Você que é um cooperador, acompanhe de perto a vida do seu pastor e seja o primeiro a mobilizar a igreja quando perceber que algo está dificultando a ação do seu pastor.

1.2        Reciprocidade entre o apóstolo e a igreja.
Costumo usar a expressão “cumplicidade” entre igreja e pastor.
Sempre que o pastor assume uma igreja é tendência de ambas as partes, haver cobranças. Tudo fica melhor quando o pastor passa a conhecer as limitações da igreja e esta, as limitações do seu pastor. Quando pastor e igreja reagem de maneira recíproca, os resultados são sempre muito positivos.
Os conceitos acima são válidos em relação a: Pastor x igreja como também entre professores de EBD e seu grupo de liderados.

1.3        A igreja deve cuidar dos seus obreiros.
Eu espero que ninguém use este ponto para criticar o seu ministério.
Mesmo com a afirmação que igreja não é empresa, claro, por sua finalidade, mas, sabemos que quanto mais ela investe na sua estrutura e principalmente nos seus obreiros, o resultado é grande e visível. Há muitos pastores de igrejas relativamente grandes que não recebem um centavo por sua cooperação, lembrando que uma parca ajuda de combustível é simplesmente abusiva.
Quando o pastor recebe pelo seu trabalho, isto afasta a mão de crentes que gostam de ajudar o pastor, com interesses escusos.

II – O CONTENTAMENTO EM CRISTO EM QUALQUER SITUAÇÃO.
2.1 O contentamento de Paulo.
-Não fica nada bem um obreiro ou professor de EBD ou líder de qualquer área da igreja, reclamar da sua má sorte, diante do povo. Há os que se condoem e há os que criticam, por isso, todo cuidado é pouco. Deus monitora nossas vidas e nas necessidades, ele nos socorre como socorreu a viúva de Sarepta e outras mais.

2.2 “Sei estar abatido”.
Depois de algum tempo de convivência o obreiro não consegue esconder da igreja o seu estado de espírito. Saber estar abatido é manter fidelidade a Cristo nas horas de diversidade, não desesperar-se diante de momentos que não escolhemos.
-Saber estar abatido é não perder o controle da situação.

2.3 O contentamento desfaz os extremismos.
Sou discípulo ardoroso desse pensamento.
De um lado, um obreiro abandonado a própria sorte e de outro,  um obreiro que abusa da liberdade.
Perceba-se que na questão do Evangelho, os extremos são condenáveis.
Magnífico o comentário do autor, uma verdadeira pérola de comentário honesto.

III – A PRINCIPAL FONTE DO CONTENTAMENTO.
3.1 Cristo é quem fortalece.
Desatentar para os conselhos da Palavra de Deus é comprometer a segurança de estar sempre com os pés no chão.
Em tudo na vida, quando Jesus deixa de ser o foco das atenções, os problemas humanos tomam força e lugar.

3.2 Cristo é a razão do contentamento.
Dizem que contra fatos, não existe argumento e nessa questão, somos doutores. Nunca vi uma pessoa fiel ao Senhor, chorar publicamente por situações de adversidade. O sapato pode estar apertando, mas, o sorriso, permanece estampado.
Calmo, sereno e tranquilo, sinto descanso, neste viver.

3.3 O cumprimento da missão como fonte de contentamento.
Nada substitui a alegria de ver almas rendendo-se ao Senhor.
Gerar filhos espirituais estimula a adrenalina. Quanto mais fazemos, mas queremos fazer.
Fazer a obra do Senhor, não tem preço.
Não devemos dar atenção aos pregadores da prosperidade que se tornam mais prósperos a cada dia. Não são exemplos para nós.



Um comentário:

  1. A Paz do senhor pastor Genivaldo, estamos acompanhando os estudos. Que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir