Tradução deste blog

domingo, 4 de agosto de 2013

EBD LC6 A FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR.

LIÇÃO 06 A FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR.
EBD para 11/08/2013. Subsídio.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A PREOCUPAÇÃO DE PAULO COM A IGREJA.
II – O ENVIO DE TIMÓTEO A FILIPOS.
III – EPAFRODITO UM OBREIRO DEDICADO.

 Em tempo: Não se pode afirmar que a igreja dos dias primitivos ou como queiram; a igreja primitiva  era grande em número, o suficiente para que os apóstolos já pudessem ter o seu gabinete pastoral, todavia, está bem evidenciado que os pés dos apóstolos, transitavam no meio do povo e sem carro blindado, mesmo diante de tantas ameaças. A ostentação de riqueza atrai os que praticam o mal.

I – A PREOCUPAÇÃO DE PAULO COM A IGREJA.
1.1        Paulo, um líder comprometido com o pastorado.
a)   O texto de Atos 20:29 mostra que o compromisso de Paulo saia fora das portas do templos.
b)   A preocupação com a continuidade da obra.
c)   A preocupação em preparar novos obreiros através de conselhos e ensinamentos, dando-nos Timóteo como modelo.
d)   Era visível o desinteresse de Paulo em manter o domínio sobre a igreja. Consideremos IPd 5:2-4.

1.2        Paulo, o mentor de novos obreiros.
 A igreja não é uma empresa, todavia, é preciso investir em novos obreiros e essa preparação em muitos casos, começa com a juventude da igreja, uma atenção redobrada pode descobrir valores entre eles.
Não capacitar obreiros com ensinos que alcancem os aspectos morais, intelectuais e principalmente o conhecimento da Palavra de Deus é comprometer o futuro da igreja na condição de comunidade, prejudicando os caminhos da salvação do povo.

1.3        Paulo, um líder que amava a igreja.
O autor discorre sobre a relação de Paulo com a igreja, de maneira leve, sensível e altamente compreensível; o suficiente para entendermos quais as diferenças de uma administração verdadeiramente pastoral do gerenciamento de uma igreja e por vezes quando se faz um péssimo gerenciamento.
A Palavra de Deus nos informa que Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela. Muitos se entregam por si mesmos.

II – O ENVIO DE TIMÓTEO A FILIPOS.
2.1 Paulo dá testemunho por Timóteo.
Há duas questões a serem consideradas neste ponto:
a)   A confiança de Paulo sobre Timóteo enviando-o a Filipos.
b)   A reciprocidade dessa confiança, saber que haveria retorno.
c)   Timóteo não agiu como Diótrefes (3Jo) não foi falso com aquele que o enviou.
Um professor de Escola Dominical é um enviado de confiança do pastor da igreja a um grupo dos seus membros. Agir com lisura, não inflamando os corações contra o pastor nem usando linguagens sutis para desacredita-lo é prova que você, professor, é um homem ou mulher de Deus.
Conheci muitos casos de professores que não cumpriam o seu papel por conta de maus propósitos e alguns até querendo dominar o grupo.
Que tenhamos total comprometimento na obra do Senhor ou peçamos desculpas ao pastor para não assumir e estragar o que existe.

2.2 O modelo paulino de liderança.
Considerações gerais:
a)   Fomos chamados para servir e não para sermos servidos.
b)   Dedicação e humildade dão autenticidade e reconhecimento ministerial.
c)   O obreiro precisa saber o que se passa na vida das ovelhas, as doentes e as desempregadas.
d)   Não basta exigir fidelidade, precisa ser fiel à igreja.

 2.3 As qualidades de Timóteo.
Tanto nos exemplos bíblicos como nos dias atuais, ainda acreditamos que a igreja é o melhor aferidor de reconhecimento pastoral. Há muitos que se dizem “sou pastor” e a igreja o ignora, porque, não vê frutos do seu ministério. Fazer bonitas pregações nos cultos do Domingo, quando a igreja está cheia, não dá selo de aprovação; aprovação é quando o obreiro auxilia o seu pastor, nos cultos da semana, nas visitas e no encaminhamento para solução dos problemas surgidos.
Que falta faz um Timóteo em muitas igrejas dos nossos dias.

III – EPAFRODITO UM OBREIRO DEDICADO.
3.1 Epafrodito, um mensageiro de confiança.
a) Sejamos sempre um mensageiro de confiança.
b) Nunca traiamos a confiança daquele que nos enviou.
c) O mais importante de tudo é ter a aprovação de Deus pela nossa fidelidade.
d) Epafrodito gozava dessa confiança e a alimentava.
e) Epafrodito, foi fiel cooperador do Apóstolo, suprindo as suas necessidades.
Sejamos fieis e nunca deixemos de assistir os nossos pastores. Há igrejas que sugam toda energia do pastor e são incapazes de acompanhar suas carências e supri-las.
Toda igreja precisa ter um Epadrodito, aquela pessoa que se movimenta junto à membresia quando tiver que socorrer o pastor nas suas necessidades ou esfriar o ânimo dos exaltados.

3.2 Epafrodito, um verdadeiro missionário.
Não há galardão para os que fazem apenas o que se manda. Alguns se limitam a fazer apenas o necessário, para culpar o pastor da falta de confiança e apoio.
Há deveres cristãos que independem da autorização do pastor, aliás, a maioria dos nossos deveres, foram impostos pelo Senhor e sua Palavra.
O que não é correto, é querer mostrar autoridade sem que pra isso, tenha sido designado.

3.3 Paulo envia Epafrodito.
A doença de Epafrodito certamente tiveram como causa, o desgaste emocional pela obra, percebe-se que ele era atuante assim como os demais.
Há os que entendem não haver necessidade de tanto empenho na obra, mas, só pode compreender isto, quem realmente foi chamado pelo Senhor e dá valor as almas.
A igreja não é um produto manipulável, ela é o corpo de Cristo e precisa de tratamento carinhoso e firme para não ser enganada pelos que tomam a honra de ministros, de forma indevida.







Nenhum comentário:

Postar um comentário