Tradução deste blog

sexta-feira, 5 de abril de 2013

EBD LC1 FAMÍLIA - CRIAÇÃO DE DEUS.


LIÇÃO 01 FAMÍLIA, CRIAÇÃO DE DEUS.
EBD 07.04.2013. Subsídio.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A FAMÍLIA NO PLANO DIVINO.
II – A QUEDA E SUAS CONSEQUÊNCIAS P A FAMILIA
III – A CONSTITUIÇÃO FAMILIAR AO LONGO DOS SÉCULOS

 Em tempo: Neste segundo trimestre de 2013, somos brindados com uma série de lições sobre a família. As famílias representam pequenas formações, também chamadas de núcleo familiar, elas constituem a sociedade. A base da família é o casal, entendendo-se como casal, um homem e uma mulher, assim criados para se completarem mutuamente. A ciência isolou em laboratório a semente humana da reprodução; se essa semente fosse usada apenas para salvar situações de casais não produtivos, até seria plausível, pois, há casais que por circunstâncias alheias às suas vontades, desejam filhos e não pode tê-los. Mulheres solitárias resolveram tomar posse dessa semente e achar que não precisa mais do macho reprodutor. Assim, tenta-se descaracterizar a família e a forma mais sublime de reprodução da espécie humana; o amor entre duas pessoas, o amor entre um homem e uma mulher.

 I – A FAMÍLIA NO PLANO DIVINO.
1.1        O propósito de Deus.
O texto é simples e esclarecedor, falando acerca de um assunto sobejamente ensinado, nos encontros com casais e em reuniões da igreja.

a)   Tirar o homem da solidão – Não é bom que o homem esteja só.
       b)   Dar a luz filhos, construindo uma família e consequentemente uma sociedade e nações.
c)   Criar vínculo de relacionamento familiar cujos efeitos fossem altamente positivos, principalmente na velhice.
d)   Criar vínculo economicamente produtivo, situação mais percebida na vida rural.
e)   Dar sustentabilidade emocional ao ser humano.

1.2        Um lugar de proteção e sustento.
O autor refere-se ao Jardim do Eden como lugar aprazível e seguro, com tudo o que o casal precisava para sobreviver e contando ainda com a presença de Deus.

a)   O jardim do Eden, certamente não acomodaria todas as famílias da terra.
b)   Deus ao planejar a família, propiciou-lhes terras férteis cultiváveis, conhecendo o coração do homem.
c)   O propósito de Deus é que o homem tivesse garantida a sua sobrevivência. Pelo pecado, a ganância e o egoísmo tomaram conta do coração do homem criando as diferenças sociais.
d)   Cuidar da família nos dias atuais exige habilidade e muito empenho. 

1.3        A primeira família.
O primeiro casal, a primeira família e a forma como foram criadas.
      a)   O argumento bíblico é para nós os crentes, algo inquestionável.
b)   Não temos (não tenho) a menor noção do tempo vivido pelo casal no período da inocência, apesar de serem atribuídos os anos de vida.
c)   O primeiro ato de desobediência deu base a todos os conflitos existenciais, até os nossos dias.


II – A QUEDA E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A FAMILIA

2.1 O ataque do inimigo.
O inimigo atacou a primeira família, usando a mesma estratégia de hoje: Confrontar as verdades divinas.
a)   Com relação aos valores familiares.
b)   Com relação à fidelidade.
      c)   Com relação à segurança.

Os valores foram modificados para o mal, a fidelidade é discutida e questionada de forma pública e a segurança, praticamente não existe mais.

 2.2 Os resultados da queda no relacionamento familiar.
Que este importante tópico da lição, seja lido com calma aos alunos.
Todas as nossas lutas, tem causa, nome e origem.
Uma das ciências que muito evoluiu para tentar entender o mecanismo humano foi a psicanalítica. O cérebro humano já foi totalmente mapeado para explicar o seu comportamento. Sabemos que além do comportamento pelo caráter, há uma forte influência satânica para seduzir e afastar o homem de Deus. Essa influência e sedução têm tido êxito e as consequências, mais nocivas que no princípio, comprometendo a permanência daquilo que Deus criou.

2.3 A vida familiar depois da queda.
a) Expulsão do Jardim do Eden.
b) Dores de parto.
c) Trabalho árduo (espinhos e cardos).
d) Velhice e morte.
e) Depressão e frustração por sonhos interrompidos ou não realizados.

 
III – A CONSTITUIÇÃO FAMILIAR AO LONGO DOS SÉCULOS

3.1 Família patriarcal.
O autor cita neste tópico, 3 tipos de família:

a)   FAMILIA PATRIARCAL – Tipo de família em que o pai era soberano em suas palavras; todos obedeciam rigorosamente, todas as decisões da casa, as questões de ordem econômica e até os casamentos, dependiam da decisão do patriarca.
b)   FAMÍLIA MONOGÂMICA – Tipo de família que permanece até os dias de hoje, com exceção em algumas culturas. Uma esposa e um marido.
c)   FAMÍLIA CONSANGUINEA – Tipo de família mantida pelos laços de sangue é a família ampliada por parentes diretos e indiretos, mas, do mesmo sangue. Não há relação mais extensa por questões de afinidade com outras pessoas.

3.2 A família nuclear.
Certamente o termo nuclear foi tirado da estrutura dos átomos onde o núcleo é a parte central, homogênea e maciça.
A família nuclear se caracteriza pelo casamento monogâmico, um homem e uma mulher seguidos dos filhos.

Na sociedade moderna, outras estruturas familiares têm surgido no cenário em total desacordo com a Palavra de Deus, como a chamada, família alternativa, formada pelo grupo GLBT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário