Tradução deste blog

sábado, 6 de outubro de 2012

EBD CPAD LC 1 A ATUALIDADE DOS PROFETAS MENORES


LIÇÃO 01 A ATUALIDADE DOS PROFETAS MENORES.
EBD 07.10.2012. Subsídio.
PONTOS A ESTUDAR:
I – SOBRE OS PROFETAS MENORES.
II – MENSAGEM DOS PROFETAS MENORES.
III – A INSPIRAÇÃO DIVINA DOS PROFETAS.



Em tempo: O conjunto de lições do último trimestre de 2012 nos remete ao estudo bibliográfico sobre os profetas menores. Seja para os mais antigos na fé ou novos convertidos, essas lições são de suma importância, pois, irá mostrar como, todas as coisas recorrentes em relação ao evangelho e conteúdo das cartas apostólicas, assentam-se em bases pré anunciadas pelos profetas. há uma perfeita harmonia entre o que anunciaram, ora batendo de frente para denunciar as injustiças sociais e o endurecimento de Israel, ora mostrando o futuro pela vinda do Messias  e a constituição da Igreja, tal qual, nós a conhecemos. Daí, a importância do texto de 2Pd.1:19 “...temos mui firme a palavra dos profetas...” para mostrar ao mundo que a igreja não é uma religião filosófica e espiritualista.


I – SOBRE OS PROFETAS MENORES.
A lição oferece ao leitor, a relação dos profetas chamados menores, onde também se encontra explicado à origem do termo e o cenário dos doze.
Por se tratar de assunto puramente pedagógico bibliográfico ou seja, assunto que nas escolas teológicas ocupam muito mais tempo que o possibilitado em nossas Escolas Dominicais, faço aqui um breve resumo dos três tópicos desse capítulo I. Geralmente os alunos se mostram apáticos diante de lições como essas, cabendo ao professor, leva-los a se interessar pela matéria, mesclando a teoria com aplicações práticas, tanto quanto possível.

Em todas as consultas que fiz sobre maior e menor, as respostas são quase sempre as mesmas, tratando-se apenas do volume dos escritos de cada um em relação aos chamados profetas maiores como Isaias, Jeremias ou Ezequiel.
Segundo o autor da lição, esse reconhecimento de limitação literária, já tinha o reconhecimento na literatura judaica, corroborada pelo Talmude, antiga literatura religiosa dos judeus, que inclui suas tradições.
Para muitos de nós, maiores e menores respeitam a questão de grandeza e isto precisa ficar muito claro para os alunos, que na Bíblia, todos os profetas são nivelados pelo mesmo grau de importância. A Bíblia é um conjunto de livros combinados entre si.



II – MENSAGEM DOS PROFETAS MENORES.
2.1 Procedência.
“Nós mesmos, vimos a sua majestade...”
O autor chama de colégio apostólico, o pensamento e a obra de cada um. Até pela dimensão ministerial, poderíamos também separar apóstolos maiores e menores, todavia, graças a Deus, nem se cogita disso, felizmente, A mensagem fixada pelos mestres que viveram com o Senhor e o “quase abortivo Paulo” constituem a carta testamentária da igreja do Senhor, de forma plena e inequívoca, dispensando-se e condenando-se qualquer tentativa de acréscimos ou subtração de textos.

2.2 A palavra dos profetas.
Pode-se considerar a palavra dos profetas, como a âncora, baixada para manter a embarcação em prumo e parada, qualquer que seja o tempo. Como âncora, as palavras dos profetas garantem o quanto a palavra dos apóstolos estão consubstanciadas sob as promessas da antiga aliança, não deixando qualquer margem de dúvida quanto ao tempo e final dos tempos.

2.3 Como luz que alumia em lugar escuro.
Impressiona, a precisão dos fatos vaticinados no antigo testamento em relação ao cumprimento no novo e logicamente também com respeito a questões escatológicas,

III – A INSPIRAÇÃO DIVINA DOS PROFETAS.
3.1 A iniciativa divina.
O autor torna a remeter ao pensamento do apóstolo Pedro, nos versos 16 a 18 que a mensagem dos profetas não se resume a uma retórica, nem tampouco a própria palavra dos apóstolos, todavia, não é o que vemos em nossos dias quando tudo que se prega na maioria dos púlpitos e na televisão, é pura retórica; deixam a Palavra de Deus para ensinar outro evangelho, a margem das verdades bíblicas.

3.2 A inspiração dos profetas.
Todas as mensagens dos profetas encontram eco na própria escritura, daí a garantia, o selo da inspiração divina.

3.3 A autoridade dos Profetas Menores.
Da mesma forma que nos submetemos à autoridade dos verdadeiros apóstolos do Senhor, devemos dar a mesma atenção e credibilidade aos escritos dos Profetas Menores.
Não somos contra a tudo que se escreve acerca do Evangelho e da Palavra de Deus, mas, algo está errado, quando as pessoas passam a dar mais credito a um livro apenas por que o autor é cristão, sem se dar conta que existe muita falsificação com aparência de piedade, em sabedoria e devoção.
Com certeza, teremos muito que aprender neste trimestre.



Nenhum comentário:

Postar um comentário