Tradução deste blog

quarta-feira, 27 de junho de 2012

VENCENDO AS AFLIÇÕES DA VIDA

Por que tantos questionamentos? Porque temos uma sociedade empírica, quando se trata do auto conhecimento. A sociedade evoluiu em todas as direções, deixando o homem perdido dentro do elo social, fazendo com que este, trave lutas homéricas para encontrar o ponto ideal da sua existência no conjunto.
VENCENDO AS AFLIÇÕES DA VIDA é um conjunto de lições bíblicas, produzidas pela CPAD para o 3º trimestre de 2012. que trata de uma série de questionamentos como: Enfermidade, morte, traumas da violência social, as aflições da viuvez, angustias das dívidas e outras querelas.
Com certeza, mesmo não sendo um aluno de EBD qualquer pessoa, crente ou não, pode passar em qualquer igreja das Assembleias de Deus, procurado o coordenador da Escola Bíblica Dominical ou mesmo o pastor e pedir uma revista que pode ser lida facilmente, nos ônibus ou nos intervalos do trabalho e ainda mas minuciosamente em casa tendo ao lado um versão da Bíblia Sagrada.

Com a leitura dessas lições, encerraremos o estudo delas, compreendendo principalmente os efeitos nocivos da "Doutrina da Prosperidade" que é bíblica porém sem a conotação que ilustres pregadores principalmente na televisão queira aplicar.

Outra questão não menos importante e que foi alvo de um comentário meu no facebook é sobre a aplicação de jargões, usados de forma isolada para dar sentido diverso a algumas situações pelas quais passamos no dia a dia.

Recentemente, li no face esta frase: "Se você é cristão, não aceite o deserto" óbvio que entendi o que a autora quis dizer; que não devemos aceitar como um fato normal, determinados momentos da nossa vida. Ocorre que uma frase pode ter multiplicado o seu sentido e aplicação e o mais comum é: Não aceito o deserto e determino a vitória, pois os tele-evangelistas tentam fazer entender que temos que estar sempre por cima das situações por mais adversas que sejam, temos que pisar o Diabo, temos que determinar para Deus que cumpra suas promessas de abençoar, principalmente quando por trás, existe uma proposta de colaboração em dinheiro.

A maioria das lutas enfrentadas, estão ligadas aos conflitos no plano econômico, familiar e conjugal e a maioria dessas lutas, tem como raiz questões de ordem econômica, pois quando a crise financeira invade uma casa, geralmente pega  os seus moradores psicologicamente despreparados para enfrenta-los, pois a escola midiática, oferece: luxo, conforto e entretenimentos. Quando falta qualquer dessas coisas, em geral, rompemos com a nossa serenidade e passamos a fiscalizar uns aos outros, questionando os gastos de energia elétrica, água, pasta de dentes, papel higiênico e tudo vira motivo para guerras. 

A desestruturação emocional, abrem portas para enfermidades das mais diversas ordens, pois, fragilizam as defesas e o relacionamento inter-pessoal.

Quando se tem noção do lado real da vida e a que situações estamos sujeitos, deixamos de alvejar quem está do nosso lado, para ir de encontro as soluções.

A Palavra de Deus, nos proporciona serenidade, pois, Deus pela sua palavra, nos propicia uma condição de vida, não acomodadas, como alguns querem impingir, mas, conscientemente aceitável, pois o mundo limita o homem pelo sistema político e econômico e não dá para sair por aí guerreando como o personagem de Miguel de Cervantes, o Dom Quixote de La Mancha.


3 comentários:

  1. Caro pastor Genivaldo, seu texto é esclarecedor. Vive-se num mundo de problemas e de aflições; por isso, as pessoas recorrem aos expedientes mais diversos, sem dar atenção àquilo que pode saciar-lhes a sede. Jesus disse: "Vinde a Mim todos os cansados e oprimidos". Tudo bem. Mas, ir a ele para quê? As pessoas não entendem o restante do versículo, que diz: "Eu vos aliviarei". Só Cristo alivia as tensões humanas; só Cristo dá vida e vida em abundância, a qual se prolonga desse momento material até à Eternidade. Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Boa Noite, amado irmão, as lagramas caem do meus olhos e meu coração lamenta profundamente, por ter deixado de fazer as atividade do primeiro amor pra cristo, foram tantas tribulações e sofrimentos que só agora eu me dei conta que isso faz parte da trajetoria de nossas vidas, ah! como eu lamento...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo, todos nós temos algo a lamentar. É a maneira como exercitamos o nosso entendimento em Cristo. Deus o abençoe, sempre é tempo. Chorar e lamentar fazem muito bem a alma. Eu muitas vezes não consigo chorar mas consigo lamentar. Deus o abençoe em tudo.

      Excluir