Tradução deste blog

sexta-feira, 8 de junho de 2012

EBD 11 O EVANGELHO DO REINO NO IMPÉRIO DO MAL


LIÇÃO 11 – O EVANGELHO DO REINO NO IMPÉRIO DO MAL.
Para o dia 10/06/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A PALAVRA DE DEUS APÓS O ARREBATAMENTO.
II – A PROCLAMAÇÃO DOS MÁRTIRES.
III – A PROCLAMAÇÃO DOS 144 MIL.
IV – A PROCLAMAÇÃO DAS DUAS TESTEMUNHAS.


Em tempo: Fecha-se o cerco, de todos os lados, a ameaça contra a igreja é muito grande, principalmente as perseguições ideológicas, contrárias ao posicionamento da igreja em relação ao movimento gay, aborto e drogas. Há ainda o problema da quebra de moralidade no âmbito da política e da religião, quando ambas deixam o princípio da contribuição em serviços para se tornarem rentáveis por meio da corrupção.
Nesta hora, vale lembrar que a arca de Noé, era toda fechada e betumada, para não entrar água, porém, havia uma janela no alto, para o céu; essa janela representa o escape da igreja, antes que a iniquidade tome o poder em sua totalidade.

I – A PALAVRA DE DEUS APÓS O ARREBATAMENTO.
Na introdução deste tópico, o autor fala que muita gente supõe que a Bíblia Sagrada perderá sua inspiração pela crença em teologias e narrativas extravagantes. Particularmente, penso que essa discussão é totalmente descabida, pois a Bíblia foi produzida por inspiração e não precisa de inspiração para o entendimento, salvo, a atuação do Espírito do Senhor nos corações e mentes, permitindo-se maior compreensão do texto sagrado ou revelando a vontade do Senhor na vida dos homens; sabendo que há pontos difíceis de entender, IIPd 3:16
Todos sabemos de duas coisas:
a)   Que muitos crentes irão ficar. Dentro da probabilidade bíblica, um será tomado e outro será deixado. Corresponde a 50%, todavia, não usamos isso como doutrina e a citação feita pelo Senhor, cf. Lc. 17:34 certamente não tem o propósito de mensurar o número de arrebatados, isto é puramente conceitual e nosso. Ap. 7:1 fala de uma grande multidão a qual ninguém podia contar.

b)   Que muitos desses que ficarão, lutarão para alcançar a segunda parte da primeira ressurreição, (Bem aventurado e santo o que tem parte na primeira ressureição Ap.20:6) recusando-se a patrocinar o Anticristo, certamente usando a Palavra de Deus para admoestar a outros. São os rabiscos da vindima Ap.20:4 e Ap. 7:13,14 que não participarão das Bodas do Cordeiro, porém, reinarão com Cristo no Milênio.


2.1 A Palavra de Deus é eterna.
Quanto a perenidade da Palavra de Deus e o seu cumprimento até o final, é questão fechada.

2.2 A Palavra de Deus é o fundamento do Juízo Final.
O homem será julgado pelas coisas escritas no livro Lc.21:22. O que está na Bíblia e mais os livros abertos no tribunal de Deus, darão sentença aos homens, portanto, não há o que se falar em perda de inspiração.

2.3 O Espírito Santo após o arrebatamento da igreja.
O que se convencionou chamar de Ministério do Espírito Santo, ao período que vai do sopro divino sobre os discípulos (Jo.20:22) e o pentecostes (Atos 2:2) até o arrebatamento da igreja, como promessa de Jesus em não nos deixar órfãos, com o arrebatamento da igreja, termina a missão consoladora.


II – A PROCLAMAÇÃO DOS MÁRTIRES.
Sempre houve tribulação para todos os cristãos, notadamente no terreno onde domina o Islamismo. A grande tribulação terá como epicentro, o povo de Israel, com extensão a todas as nações sobre os que se não aceitarem a marca da besta ou o número correspondente ao seu nome Ap13:17.

2.1 A identidade dos mártires.
Impressiona quando a Bíblia fala de multidões em relação os santos da grande tribulação, isso prova mais ainda o grande amor de Deus, Ap. 7:9.

2.2 A fé sob o martírio.
A nossa postura hoje deve ser firme como a deles. O martírio que sofremos hoje é a degradação de valores, dentro das igrejas.

III – A PROCLAMAÇÃO DOS 144 MIL.
Ainda hoje, perguntei a uma Testemunha de Jeová, como viam os 144 mil e a posição deles, continua a mesma, declarando que 144 são pessoas de todos os povos e que estes sim, pisarão o solo da nova terra. Claro está que é uma visão distorcida, equivocada.

3.1 A identidade dos 144 mil.
Israelitas que esperam a redenção de Israel.

3.2 A elevada posição dos 144 mil.
Os 144 mil, representarão a nação de Israel, como ministros de Cristo no seu governo milenial. Se um aluno perguntar o que acontecerá com os outros israelitas que morrem antes e na graça, diga-lhes que eles serão um só povo com a igreja. Eles sem nós, não serão aperfeiçoados, Hb.11:40.

IV – A PROCLAMAÇÃO DAS DUAS TESTEMUNHAS.
O peso dos dois grandes profetas que se levantarão em Israel para combater o Anticristo e alertar o povo de Deus para o engano a que estão sendo submetidos.

4.1. A identidade das duas testemunhas.
Considere o texto do autor, nada temos a acrescentar apenas que, se a Bíblia não dá os nomes deles quanto a origem, também não temos que divulga-lo com precisão. O que sabemos deles é que  virão no espírito de Moisés e Elias, com poder para chacoalhar o reino do Anticristo, como Moisés se impôs diante de Faraó e Elias diante de Acabe e Jezabel.

4.2-3 A morte e ressurreição das duas testemunhas.
O mundo festejará a morte desses dois profetas, mas, no terceiro dia, Deus os tornará à vida a vista dos olhos de toda humanidade, a cidade será abalada pelo primeiro terremoto e daí pra frente, os ais.

V – A PROCLAMAÇÃO DO ANJO.
Nesta parte final, dispensa repetir o comentário do autor que está bem esclarecido sobre:

5.1 O papel do anjo, proclamando o evangelho eterno em busca de alcançar o povo, mais uma grande oportunidade em que Deus mostra o seu amor e veja que a essa altura, o mundo já esgotou o seu vocabulário de zombaria contra Deus e os movimentos gays, certamente terão uma participação ativa nisso, porquanto, hoje é praticamente o único movimento que se utiliza de símbolos religiosos a pretexto de manifestar outra forma de cultura, como dizem, na verdade, escarnecem de Deus como a escolha que fizerem de um gay tipificado para representar Jesus em suas manifestações públicas, além de outros santos e símbolos religiosos utilizados.

O Subsídio Teológico da lição ainda oferece ótimos detalhes sobre a figura desses dois profetas ou duas oliveiras. Para que se perceba que o Espírito Santo não desaparece do cenário, estes farão as obras, cheios do Espírito de Deus.

2 comentários:

  1. Ola Pastor. que a paz do Senhor esteja convosco.Qual é a sua opinião sobre o que o comentarista da lição mencionou a respeito do espirito santo continuar na terra após o arrebatamento da igreja continuando a convecer as pessoas do pecado.

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com o devido respeito ao autor, muitas vezes é preciso rever o que publicamos. Há dois pressupostos: 1) O Espírito do Senhor nunca se ausentará da terra pois esta é o estrado dos seus pés 2) O Espírito Santo como CONSOLADOR, tem no AT a figura de Eliezer (tipo do E.S.) servo de Abraão que deixou Padã Arã com Rebeca (tipo da igreja) para encontrar-se com Isaac (tipo de Cristo, assim concluo que o Consolador conduzirá a igreja ao encontro do noivo, encerrando o tempo da sua consolação na terra. Os que ficarem após o arrebatamento não perderão o contato com a Palavra de Deus nem a consciência daquilo que deixaram passar.

      Excluir