Tradução deste blog

domingo, 20 de maio de 2012

EBD 9 LAODICÉIA, UMA IGREJA MORNA.


LIÇÃO 09 – LAODICÉIA, UMA IGREJA MORNA.
Para o dia 27/05/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A IDENTIFICAÇÃO DE JESUS.
II – A SITUAÇÃO ESPIRITUAL DA IG DE LAODICÉIA.
III – COMO REAVIVAR UMA IGREJA MORNA.

  
Em tempo: Temos diante de nós, uma lição que precisa ser vista com muita cautela para não nos precipitarmos em julgamentos preconceituosos e clichês para igrejas cuja membresia desfruta de uma ótima posição social pela condição financeira, todavia, há algo que não nos furtaremos de comentar nesta lição e esperamos que ela produza efeito positivo para todas as igrejas neste imenso país com profundas diferenças regionais e sociais.
 No caso de Laodicéia, a sua prosperidade comercial pela localização e importante rota comercial, a fez dispensar a verba votada pelo Senado Romano com vistas a sua reconstrução, após um terremoto ocorrido no ano 60 d.c. A riqueza tem um papel importante para o desenvolvimento da igreja, mas, precisa de cuidados para não substituir os atos de fé.

Esta é a última carta e tem uma palavra que deve ser levada em alta conta para introduzir o capítulo 4 que já inicia com uma expressão profética sobre o arrebatamento e prova que a igreja não passará pela grande tribulação.
Ap. 3:20 “Eis que estou a porta e bato...” e 4:1 “Sobe aqui e mostrar-te-ei as coisas que depois destas, devem acontecer”.  A Bíblia nos fornece: Figuras, símbolos, tipos e referências. Estes dois pontos, são uma grande referência à vinda do Senhor e o arrebatamento da igreja.

I – A IDENTIFICAÇÃO DE JESUS.
O autor leva em conta a forma como o Senhor se apresenta ao afirmar: “Com irrecorríveis credenciais...”  mostrando a igreja que ele era indiscutivelmente, de quem a igreja mais precisava naquele  momento para sair da situação em que estava metida pelo poder econômico.

1.1        A testemunha fiel e verdadeira.
O autor considera que a igreja tem a obrigação  de sustentar a verdade evangélica neste século maligno e mentiroso.
Para que a igreja exerça o papel moralizador da sociedade faz-se necessário se firmar na verdade; vejamos:
2Jo 2:4 “Muito me alegro por achar que ALGUNS dos teus filhos andam na verdade...” (grifo meu).
1)   Não se espera que uma população evangélica de mais de 40 milhões de fiéis, absolutamente todos, andem na verdade.
2)   Fica difícil falar  em verdade quando a igreja não pode contar com políticos cristãos por estarem envolvidos em corrupção tais como:  mensalão, escândalo das ambulâncias, ongs e outros meios ilícitos da vida pública.
3)   Cristãos que compram produtos pirateados, usam o crediário quando tem certeza que não vai pagar.
4)   Entregam-se nas mãos de agiotas na tentativa de resolver problemas financeiros.
5)   Compartilham dos prazeres da bebida alcoólica para satisfazer amigos e parentes.
A lista de ações malignas é por demais longas, paramos aqui.


1.2        O principio da criação de Deus.
Como principio da criação de Deus, Jesus mostra que tudo pertence a ele pois tudo foi criado por ele, portanto, o autor considera que Igreja rica é aquela que se deixa admoestar e reconhecer o seu senhorio.
É possível conciliar riqueza com espiritualidade? E com humildade? Tive uma experiência assim: Era jovem e recém-convertido, trabalhava no cento de São Paulo e em um momento de absoluta necessidade, entrei em uma igreja reconhecidamente rica, tradicional, no centro de São Paulo, em uma importante praça. Não estava bem vestido, certamente parecia um jovem qualquer daquela praça. Estavam orando e eu queria orar, estavam em grupos, sentados orando. Entrei fiquei algum momento ali, ninguém se aproximou de mim e sai decepcionado.

II – A SITUAÇÃO ESPIRITUAL DA IGREJA DE LAODICÉIA.
Creio que a afirmação do autor de que a igreja de Laodiceia vivia de aparências e mentiras seja um pouco mais forte que o texto bíblico esteja sugerindo: O problema da igreja não era o uso da falsidade ideológica e sim, profunda indiferença a uma vida espiritual que a notabilizasse, a sua vida era um puro nominalismo. Se isso é uma mentira em si mesmo, faz algum sentido.

2.1 Mornidão espiritual.
Para alguns mais apressados, poderiam julgar o próprio Senhor, dizendo: Ser morno, não é melhor que frio, pois está mais próximo do quente? Ser morno pode ser uma forma de manter a aparência de igreja viva. O Senhor é onisciente e portanto, sabia o que estava no coração do povo de Laodicéia como sabe o que se passa em todas as igrejas nos nossos dias. Infelizmente, sabemos que existe muita igreja que só é conhecida pelo prédio que ocupa.

2.2 Arrogância espiritual.
O autor cita Isaias 14:13-14
-Eu subirei ao céu e acima das estrelas de Deus.
-Exaltarei o meu trono.
-No monte da congregação me assentarei.
-Subirei das mais altas nuvens.
-Serei semelhante ao altíssimo.
Essa mesma arrogância espiritual, temos visto em muitos pregadores e em muitas igrejas.
Quero lembrar agora que quando jovem, via a forma exaltada como nosso grupo se considerava em relação às igrejas co-irmãs, pela qualidade musical do Coral, por exemplo.
O espírito dominante em Laodicéia era: Não tenho falta de nada. Isso incluía Deus, ainda que não confessassem explicitamente e nem precisava, pois estava evidente o orgulho.

2.3 Falta de percepção do próprio eu.
Considere o comentário do autor que elabora a diferença de postura entre Adão, vendo a sua nudez e o pastor da igreja que se sentia muito confortável. O que ele pensava não era o que Deus pensava dele e da sua igreja. Não é apenas o coração que é enganoso e perverso, as vezes somos traídos pela notoriedade que produzimos, pelos elogios e aplausos que recebemos, capazes de embarafustar (tornar confuso,  desordenar) o nosso pensamento acerca da verdade.

III – COMO REAVIVAR UMA IGREJA MORNA.
No caso de Laodicéia, seguir os conselhos do Senhor, pois ele, não apenas aponta o pecado, ele aponta a solução e dá a receita que se seguida, poria a igreja de Laodicéia e outras, de volta ao curso original, vejamos a receita do Senhor:

3.1  Ouro refinado pelo fogo.
Ouro a igreja tinha, refinado pelo fogo da Palavra do Senhor, ninguém tem. Ouro fala da verdadeira sabedoria e riqueza espiritual, como estava a igreja de Esmirna, pobre materialmente porém, o Senhor a declarou rica; exatamente o oposto de Laodicéia que era rica e o Senhor a chamou de pobre e miserável.
Como adquirir ouro provado pelo fogo? Com busca sincera.

3.2 Vestiduras brancas.
O fato de o Senhor ter recomendado a igreja que comprasse vestidura branca, significa que ela já não andava com o Senhor e nem se dava conta disso. Vestidura branca, fala de justiça, pureza e comunhão com Deus. Vestes brancas é a maneira como o Senhor quer encontrar os crentes neste final de tempo.

3.3 Colírio.
Transcrevo o que leio no Manual Bíblico escrito por Henry H. Halley:
Pág. 619 “Laodiceia era um centro bancário, orgulhosa de sua riqueza. Embelezada de templos e teatros resplendentes. Notável pela manufatura de ricas vestes de lã preta e lustrosa; sede de uma escola de medicina que fazia um pó para tratamento de doenças de olhos. Isto pode ter sugerido o ouro, as vestiduras e o colírio, oferecidos pelo Senhor”.
“Que de mim, compres colírio para que vejas...”

Vamos a alguns fatos:
Não podemos afirmar que a riqueza cega uma igreja, o orgulho sim.
É Comum, ouvir-se críticas dos crentes com relação às chamadas igrejas, sedes, centrais, geralmente com uma população de membros mais abastados. Existe alguma coisa de verdade nisso, infelizmente. As vezes as matrizes exigem rigor das congregações e seus filiados, por vezes não as obedecem ou fazem de conta que obedecem e a razão é simples. Filhos de pais abastados gostam de vestir-se bem e usar penduricalhos que nas congregações, as moças são proibidas de usar. Pessoas abastadas têm possibilidades de com frequência, deixar a igreja para viagens e finais de semana prolongados e o padrão de vida os aproxima de uma vida deleitosa, incomum nas congregações, onde, via de regra as pessoas são mais compenetradas das responsabilidades, não obstante, isso tem mudado muito nestes últimos anos. Essas mudanças tão visíveis em todas as igrejas, quer centrais ou não, mostra nossa fragilidade e limitações, impedindo-nos de exercer qualquer juízo de valor sobre qualquer igreja, mesmo as neo pentecostais.

6 comentários:

  1. Pastor Genivaldo.

    Gostei da abordagem. Ela é abrangente, vai além do que o comentarista da revista EBD nos dá. É uma análise interessante e honesta do tempo em que vive a igreja.

    Tenho visto na Blogosfera Evangélica muitos blogs que apenas reproduzem o conteúdo encontrado na revista de escola dominical, que sempre é bastante polido e não toca claramente em feridas.

    Também escrevo no Belverede matérias relacionadas às lições, e desde que comecei a fazer isso me esforcei para ser original, estar dentro do assunto, mas sem fazer repetição.

    Abraço.

    E.A.G.
    http://belverede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu link está sempre a disposição na minha página.

      Excluir
  2. Amado.

    Acompanho este blog desde que tomei conhecimento da existêmcia dele. Acho-o relevante na Blogosfera Cristã. E como faço com todos que considero assim, o coloquei na lista de blogs que eu indico aos intrnautas que seguem o Belverede ou o visitam esporadicamente.

    A apresentação do link, além do óbvio, mostrar o endereço, é uma maneira de emdossar o conteúdo lido. Ao fazer isso, os "motores" do Google costumam criar elos entre os dois blogs.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho um imenso respeito por você, até por te-lo conhecido como também sua esposa, ainda bastante jovens. Sua opinião, como um blogueiro maduro, causa-me um imenso prazer.

      Excluir
  3. e muito rico seu comentario estou sempre pesquisando deus abençoe vc e seu ministerio na palavra de deus, MEU EMAI-L GUERREIRO.JOSELITO@HOTMAIL.COM............. ABRAÇOS.......... JOSELITO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Joselito, Josa.
      Deus o abençoe. Para mim, é um prazer compartilhar esses comentários que faço, como se tivesse diante de uma classe como sempre tive toda minha vida.

      Excluir