Tradução deste blog

domingo, 22 de abril de 2012

O DISCERNIMENTO ACABOU?


O DISCERNIMENTO ACABOU?
Abr 2012.

Ec. 8:5 Quem guardar o mandamento não experimentará nenhum mal; e o coração do sábio, discernirá o tempo e o modo.

Hb.5:14 Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal.

ICo 2:14 Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.


Há muitos conceitos  sobre discernimento, entre eles, é a capacidade interpretar,  de reconhecer e separar; o bom do ruim, o falso do verdadeiro, o joio do trigo. Há porém, dois tipos de discernimento:
DISCERNIMENTO COMO FRUTO DA INTELIGÊNCIA E DO CONHECIMENTO PARA AS COISAS NATURAIS – Inteligência sem conhecimento, não capacita para discernir. Em qualquer tipo de relacionamento no mundo, faz-se necessário que o individuo aprenda a discernir, perceber, as diferenças, sob a pena de pagar alto preço pelo descuido. A experiência também fortalece essa capacidade, o que faz com que toda ameaça seja identificada, antes mesmo de ser concluída. Atitudes, gestos, palavras  ou maneiras, são elementos disponíveis para avaliação.
DISCERNIMENTO LIGADO A ÁREA DO ESPIRITO E DAS COISAS ESPIRITUAIS – Se divide em duas partes:
DISCERNIMENTO PELO CONHECIMENTO DA PALAVRA.
No mundo atual, não dá para o Cristão se descuidar da capacidade de discernir e essa capacidade é inicialmente, produzida pelo conhecimento pleno da Palavra de Deus, como pedra de toque, referencial, o norte, com a qual, podemos compreender o que é certo ou errado, o que é de Deus e o que não lhe pertence.
A Igreja de Éfeso, (Ap.2:2) disse o Senhor:  “puseste a prova os que dizem ser apóstolos e o não são...”  Ora, só pode avaliar, comparar o certo e o errado, o falso e o verdadeiro, se tiver uma cana de medir, Cânon, o conhecimento bíblico suficiente para estabelecer limites entre o que é aceitável e o que não é.
Neste caso, o exame é natural a despeito de muitos dizerem que “não podemos julgar”.  IJo 4:13 “Provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”.

DISCERNIMENTO PELO DOM DO ESPÍRITO SANTO.
ICo 12:7-11, lista os dons espirituais em número de nove e entre estes o dom de discernir os espíritos. Essa capacitação é mais profunda porque, enquanto o conhecimento da palavra mede as atitudes para um julgamento correto, o segundo, vai além do véu, isto é, da carne, permite enxergar o que há por trás da fachada. No interior do homem, uma eventual atuação do espírito maligno, que muitas vezes, invadem os arraiais evangélicos para perturbar os caminhos do Senhor.
Exemplo bíblico disto?
Atos 8:9-18 Simão parecia bem intencionado ao pedir a Pedro o poder que este exercitava em Samaria e pediu a Pedro com oferta de pagamento. “Vejo que estás em fel de amargura” .
Atos 12:8-12 Elimas o encantador, Tratar como Paulo tratou, chamando-o de “filho do diabo” só enxergando por dentro.
Atos 16:16 A mulher com espírito de adivinhação, falava coisas bonitas acerca de Paulo que não perdeu tempo, expulsou logo o espírito que operava na mulher.

Finalmente, temos toda ordem natureza maligna, esfriando a fé de muitos,  invadindo nossas igrejas e somente pelo conhecimento da palavra de Deus e pelo dom do Espírito Santo podemos repreendê-los.

A pergunta que não quer calar é sobre as condições da igreja atual que se vê envolvida em tantas movimentações estranhas e muitos crentes, já não se perturbam mais com nada, sentem-se confortáveis em qualquer ambiente sob a alegação de que Deus está em todo lugar, aproximam-se muito do panteísmo.

3 comentários:

  1. Estive a ver algumas coisas em seu blog. Desejo deixar um convite, tenho um blog com o nome de Peregrino e Servo. Meu nome é Antonio Batalha sou portugues. Se desejar fazer parte, eu ficaria radiante em que fizesse parte dos meus amigos virtuais, isto é, não quero que se sinta coagido a faze-lo mas apenas se deseja. Se achar que não merece a pena fico-lhe grato na mesma. Decerto irei retribuir seguindo o seu blog também. Um obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Merece a pena sim, meu irmão Antonio. O que precisa é você adicionar-se ao meu blog porque já tem o caminho e eu entro para ele para adicionar-me ao seu com o maior prazer.

      Excluir
  2. Já observou também, pr. Genivaldo, que o DOM ESPIRITUAL de discernimento de espíritos (1 Co 12:10) está se tornando raríssimo entre nós? Primeiro porque o "possuidor" deste dom se torna um estraga-prazeres; aonde ele chega, descirne entre o que realmente vem de Deus e as demais coisas, que vêm da carne ou do diabo. Com isso, desmascara falsos profetas, desmoraliza falsas profecias, desmancha falsos ensinos e faz parar falsos "moveres do espírito"... Traduzindo: É UM FAZEDOR DE INIMIGOS... Quem quer este dom? Ahh, como eu queria!! Por mais inimigos que eu fizesse, me tornaria mais e mais amigo de Deus! Excelente artigo, como sempre! Deus o abençoe!

    ResponderExcluir