Tradução deste blog

domingo, 1 de abril de 2012

EBD nº 2 - A VISÃO DO CRISTO GLORIFICADO.


LIÇÃO 02 – A VISÃO DO CRISTO GLORIFICADO.
Para o dia 08/04/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – O CRISTO ENCARNADO.
II – O CRISTO HUMILHADO.
III – O CRISTO GLORIFICADO.

Em tempo: Sempre que tinha que falar sobre JESUS, sua eternidade, sua vida terrena e glorificação, o meu texto predileto é o de Hb. 1:1-9, mas, posso somar este, Jo.1:1 e Jo.17:5, sem pretender formar um tratado de teologia, algo que já existe nos milhares de livros.  O autor começa a falar com a convicção de quem foi transportado aos céus para ver tudo o que houvera visto e com poucas palavras, nos dá importantes indícios da existência da trindade, antes mesmo que essa manifestação iniciasse a obra da criação. A revelação é tão profunda, porém, que, quem tentar avançar os limites impostos nos escritos, certamente estará buscando a loucura, pela simples razão, porque tudo hoje é em partes, até que venha o Senhor e aí teremos a visão total da eternidade passada e teremos toda eternidade para adorar o CRIADOR, por ter sido tão bondoso para conosco. Glorifique, pois, a Deus junto com os alunos da nossa querida EBD.

I – O CRISTO ENCARNADO.
1.1        A encarnação.
Considere o que diz o autor da lição, quando fala que JESUS não esvaziou-se da sua divindade. Muita gente faz confusão e acabam ensinando errado.
JESUS, nunca deixou de ser Deus por ter assumido a forma humana e como um, igual a nós, ser tentado, superar seus próprios limites humanos, em algum momento da vida, perceber a dificuldade dessa superação, quando pede ao Pai: “Pai, se possível, passa de mim este cálice”.
Nunca abrimos mão deste texto, por onde a discussão possa se encaminhar:
Paulo escreve aos Colossenses (2:9) que nele habita CORPORALMENTE TODA a PLENITUDE da DIVINDADE (gripo meu).  Particularmente, não abro mão para aceitar qualquer outra discussão que intente dizer que JESUS sendo 100% homem, não era DEUS 100% DEUS. Por profunda obediência ao pai, ele abriu mão dessa glória e só a revelava quando pressionado pelos judeus, ainda que Jesus não agia sob pressão de ninguém, mas, para mostrar a sua glória e o seu poder sobre tudo e todos.

1.2        O objetivo da encarnação.
O autor considera 3 pontos para definir os objetivos: 1) Consumar o plano da salvação. 2) Manifestar o Emanuel e 3) Revelar no calvário a expressão maior do amor de Deus.
Este tópico dispensa outros esclarecimentos, todavia, é bom lembrar aos alunos, que Moisés apresentou ao povo de Israel, um Deus implacável e agora o nosso segundo Moisés, apresenta um Deus que tem pelo homem, amor e piedade, equilibrando-o em Cristo. Jesus tomou o vaso quebrado, transformou-o em vaso novo, eliminando todas as falhas decorrentes do pecado. Escondidos nele, somos mais que vencedores.

II – O CRISTO HUMILHADO E FERIDO DE DEUS.
Único - Muitos perdem a oportunidade de salvação porque, não conseguem entender a plenitude do evangelho, que culminou com a morte de Cristo na cruz, estabelecendo novas regras de vidas, fundada no amor, na entrega total. Perceba-se que o evangelho ganhou novos parceiros para sua divulgação, as mídias, porém as mídias, são frias e não conseguem implementar no coração do homem, esse sentimento que só pode entender quem renuncia a tudo quanto tem e o aceita unicamente pela pregação da fé. Sem qualquer outro interesse.

III – O CRISTO GLORIFICADO.
3.1 Ressureição.
Qualquer religião que ignora a ressureição de Cristo, já nasce morta com o seu fundador. Nem precisamos discutir sobre as tais, neste precioso momento. Paulo disse que se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa fé. ICo 15:14. Fico imaginando se em Jerusalém, houvesse uma sepultura de Jesus, com o seu corpo. Com certeza, milhares iriam fazer turismo só para toca-lo.
O anjo disse as mulheres “Não está mais aqui, ele ressuscitou”.  Mt.28:6.

Todo crente deve gloriar-se na cruz de Cristo pelo sua morte e ressureição.

3.2 Ascensão aos céus.
Lindo este tópico, para considerar com os alunos.
Hoje existem muitas doutrinas que são pura heresia, no tocante a vida de Jesus pós ressureição e sua chegada aos céus, do qual não temos qualquer outra revelação bíblica, pois tudo se encerra com as palavras dos anjos ditas aos galileus em Atos 1:11 “Por que estais olhando para os céus? Esse Jesus que entre vós foi recebido nos céus, ele voltará assim como para o céu o vistes ir.
Deste momento em diante, Jesus se manifesta em sua igreja pelo seu Espírito. Ninguém precisa dedicar um trono ao Espírito Santo, pois ele, já tem lugar apropriado dentro do coração daqueles que aceita a sua palavra. Não precisa também, dar bom dia ou boa tarde como se humano fosse. Ninguém precisa criar uma aura de mistério em torno dele, pois, sua missão é nos guiar em toda verdade, contida na Bíblia Sagrada. Também, o mesmo Espírito, não cria doutrinas sobre a nossa vida, pois todos os que escreveram, foram inspirados por ele.

3.3 A segunda vinda.
Falar sobre este assunto, certamente exige mais espaço e o autor fechou-o dentro dos limites. Sabemos da segunda vinda do Senhor em dois momentos: Para arrebatar a sua igreja e tira-la do turbilhão de problemas, guerras, prostituição, conflitos em todas as áreas da vida e principalmente perseguição sobre aqueles que não tiverem a felicidade de subir no arrebatamento. E a sua vinda em glória com toda a igreja. Todos o verão, nesta segunda parte.

Ora vem Senhor Jesus.



Nenhum comentário:

Postar um comentário