Tradução deste blog

segunda-feira, 5 de março de 2012

EBD11 - COMO ALCANÇAR A VERDADEIRA PROSPERIDADE


LIÇÃO 11 CPAD 11/03/2012.
COMO ALCANÇAR A VERDADEIRA PROSPERIDADE.
PONTOS A ESTUDAR:
I – CONFIANÇA NA SUFICÊNCIA DE DEUS.
II – DEDICANDO-SE AO TRABALHO.
III – USANDO O DINHEIRO CONSCIENTEMENTE.

Em tempo: Esta lição aborda com maestria e singularidade, a fórmula nada mágica para se alcançar a verdadeira prosperidade. Em toda minha vida, somente conheci como base para prosperidade o seguinte tripé: Trabalho  2) economia consciente 3) investimentos.
O primeiro e o terceiro dispensam comentários, porém, o segundo que chamo de economia consciente é aquela que nos leva a administrar para sobras, desde que, a família não venha a passar fome ou ter uma alimentação demasiadamente pobre, trazendo consequências dramáticas para saúde da família.
DEVEMOS PEDIR GRAÇA A DEUS PARA NÃO NOS TORNARMOS PESSOAS AVARENTAS. OBA! NÃO NOS ESQUEÇAMOS TAMBÉM DE PEDIR SABEDORIA PARA NÃO ATRAIR OS ILÍCITOS.
ILÍCITOS = Mexer na balança, no salário dos operários, negócios escusos.

I – CONFIANÇA NA SUFICÊNCIA DE DEUS.
1.1        Confiando nas promessas de Deus.
Considere o comentário da lição neste ponto que indica o que realmente deve nos limitar de maneira saudável na busca desenfreada para o enriquecimento material que nem sempre representa o crescer diante de Deus, pelo contrário, pode até nos afastar. Considere com seus alunos, além dos textos citados, Pv. 30:7-9.

1.2        Confiando na fidelidade de Deus.
Muito interessante à exposição de motivos pelos quais devemos confiar na fidelidade de Deus.
Ninguém melhor que Abraão, para nos mostrar o quanto é importante confiar e esperar no Senhor.
Ninguém melhor que Jó, para nos mostrar que o desespero diante das circunstâncias adversas pode roubar o final feliz, reservados por Deus para nós.
Ninguém melhor que Jacó, depois de apanhar muito, aprender a lição, que, somente o Senhor pode prover algo melhor para nós, por mais que sejamos esforçados.

II – DEDICANDO-SE AO TRABALHO.
2.1 A necessidade do trabalho.
Um amigo e irmão deixou a nossa igreja e foi para uma conhecidíssima em dar embalo de prosperidade. As razões ainda são um segredo dentro do coração dele, mas, hoje (após uns 10 anos) tem três possantes caminhões de transporte como conseguiu? Já era caminhoneiro, com muito esforço comprou o primeiro, depois o segundo e depois o terceiro. Ele tem 3 filhos apaixonados pela estrada, foi só colocar um na mão de cada filho. Moral de História: Tinha os elementos chave disponíveis (filhos), persistência e financiamento bancário. Nada cai do céu, salvo quando Deus quer surpreender um dos seus filhos, não há quem detenha sua ação, a isso, chamamos de milagres.

2.2 Os benefícios do trabalho.
Além dos valores do trabalho espelhados na lição, esta é a única forma de produção de riquezas, das outras, queremos distância. Bom lembrar seus alunos do ótimo conselho do Apóstolo Paulo:  2Ts 3:10 Quem não quiser trabalhar também não coma e de JESUS, o exemplo: Jo 5:17 Meu pai trabalha até agora e eu trabalho também.

III – USANDO O DINHEIRO CONSCIENTEMENTE.
3.1 Rejeitando o consumismo.
Considere atentamente o comentário do autor. Perfeito.
Quero tão somente chamar a atenção para um fato: Consumismo não é apenas a compra de supérfluos, cai como luva no fato de se comprar, mesmo sendo necessário, o que pode ser evitado, aquilo que não faz falta ao nosso bem estar, se continuar na prateleira do Supermercado, lembrando, não seja mesquinho por natureza. Não precisa roubar dos filhos o prazer de comer alguma coisa diferente se puder comprar.

3.2 Contribuindo para a Obra de Deus.
Ter o coração aberto para contribuir para a obra do Senhor é o maior desafio do crente; Desafia a nossa fé, desafia a nossa liberalidade em contribuir e prova se somos ou não, sovinas, pão duro, mão de vaca e outros adjetivos que não podem nem devem fazer parte do nosso cardápio. Somos filhos de Deus.

3.3 Contribuição voluntária e regular.
O autor fala sobre contribuições e dízimos. Recentemente, tratei sobre essa matéria quase exaustivamente no meu blog, em virtude  da enorme confusão feita sobre ele e até de livros publicados, um deles, “desmistificando o dízimo”. O dízimo não tem nada para desmitificar, é um ato de amor, de antes, durante e depois da lei. Se uma pessoa não tem fé para contribuir, não arranje pretextos para não fazê-lo.

Conclui a lição falando que Deus nos capacita para tudo que se fizer necessário. Pensando rigorosamente sobre o assunto e olhando, “numa boa” tudo o que temos é uma concessão do céu, portanto, não reclamemos. Um dia, devolveremos tudo para receber tudo novo e de melhor qualidade se houver perseverança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário