Tradução deste blog

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

ADMIRÁVEL ANO VELHO 2011.

PARA MIM.
Penso que dos últimos anos, 2011 foi o melhor em tudo. Foi um ano de muitas e sérias decisões, felizmente e graças a Deus, todas acertadas no alvo. Não falo como usando um clichê viciado, mas, porque foi isso que representou para mim. Porém:

A ECONOMIA
A economia do país contribuiu muito para os bons resultados e agora, já no final e diante da crise mundial, percebemos que não dá para descuidar um minuto sequer, pois, nem tudo depende somente dos resultados do nosso PIB que alcançou a soma de 1,05 trilhões, sendo esta a soma de tudo quanto se produz na economia; na agropecuária, nas indústrias de transformação, no comércio e serviços. A economia pujante representa emprego ao trabalhador daí, os investimentos do governo e a busca pelo crescimento.

BALANÇA COMERCIAL.
Representa tudo que o Brasil vende e compra do exterior. A nossa Balança Comercial, se mostra superavitária pela quantidade de minérios, petróleo e café exportados. Bom seria se fosse por conta de produtos fabricados aqui, por nossas industrias. Se o superávit fosse por conta de produtos acabados, seria ótimo, mas, certamente perdemos feio por conta da entrada de produtos chineses no mercado, o que compromete o emprego nessa área.


CONFIAR OU NÃO CONFIAR NAS INFORMAÇÕES DO GOVERNO.
Mediante investimentos nesta ou naquela área, o governo consegue manter o equilíbrio do pleno emprego e ainda abrir novas oportunidades, porém, precisamos tomar cuidado, pois, isto é puro jogo econômico. Não podemos esquecer o pesadelo do povo americano. Morar em trailers, não é um bom negócio.

MOEDA EM USO CORRENTE.
Quem não lembra as grandes manobras do governo para controlar o balanço interno para combater a inflação. Muito dinheiro no mercado, tira e se o mercado se retrai, abrem linhas de crédito.


CRÉDITO.
Cartão de crédito, cheque especial e outros artifícios, enchem os olhos, mas, uma derrapada pode ser fatal para quem faz mau uso deles.

FÉ.
Nunca se discutiu tanto sobre fé, a discussão é tão ampla que se chega a duvidar da existência dela, pois associam a fé aos grandes feitos. A falta de grandes realizações para muitos pregadores da prosperidade são sinônimos de pouca fé. Eles precisam que você demonstre fé para encher o bolso deles. Para muitos, o amor de Cristo não parece ser o suficiente, precisam de casas, dinheiro, outros bens, caso contrário, não se sentirão felizes.
 Considere o que disse o profeta Habacuque em 3:17-18.  Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado, todavia eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no DEUS da minha salvação.

CONFIAR EM DEUS.
Há muitos textos bíblicos que tratam da nossa relação com Deus, mas, eu tenho a impressão que Deus precisa confiar em nós, precisamos ter atitudes que levem o criador a entender que não ficamos somente na vontade, lutamos para alcançar nossas metas, sendo assim, ele estende a sua mão e dá força ao cansado, ao que não tem nenhum vigor, Is 40:29.

VIDA EM FAMÍLIA.
É uma alegria para os pais, ver seus filhos se projetando de maneira digna na vida, estudando, trabalhando e com suas atenções voltadas ao Criador, sem pressão de quem quer que seja.

VIDA CONJUGAL.
Nunca houve um tempo tão difícil e tanto um quanto o outro, não pode se descuidar. Estamos no principio do fim e precisamos nos manter juntos, é sempre um sacrifício para ambos.

PROMESSAS PARA O ANO VINDOURO.
Quem vive dizendo que no próximo ano fará, nunca fará mesmo. Quem faz, pode aumentar a sua cota de contribuição para o Reino de Deus.

NAMORO, NOIVADO, CASAMENTO.
A ilusão é inimiga da felicidade.
No namoro, pesquisam-se as vidas para avaliação.
No noivado, já com mais certeza, investe-se para celebração do casamento e nesta fase, a capacidade de julgar se a avaliação foi correta, é enorme, porque um ou outro pode cometer o deslize de que já é proprietário do corpo e da vida do pretendente.

CUIDADOS COM O CORPO.
Manter uma boa saúde projeta a vida para mais alguns anos. O melhor é combinar alimentação saudável com algum exercício regular. Somos uma sociedade sedentária.

AMIZADES.
Escolher amizade não é uma opção, é convivência mesmo.

IGREJA.
Há pessoas que abrem a guarda, perdem a privacidade e depois reclamam. Por vezes precisamos delicadamente, dizer não. Causa algum aborrecimento, mas, prolonga a amizade. Pio dizer sempre sim e depois lamentar a perda do amigo e contabilizar os prejuízos.
Nunca esqueça que na igreja, todos são merecedores de confiança, porém, tenha sempre o SENHOR como seu maior confidente.






Nenhum comentário:

Postar um comentário