Tradução deste blog

terça-feira, 15 de novembro de 2011

EBD/CPAD LÇ8 4ºT2011 - O COMPROMISSO COM A PALAVRA DE DEUS.

PONTOS A ESTUDAR:
1 – OBEDECENDO A PALAVRA DE DEUS.
2 – UM POVO  SEPARADO
3 – O CUIDADO COM O EMPLO DO SENHOR.

A questão do jugo desigual, sempre refletiu um peso na administração pastoral das vidas e das famílias. Quantos pastores, conduzidos pelo zelo e bem estar da igreja ingerem-se neste assunto, acabam pagando um alto preço. Sabem aquela máxima: “Em rio que tem piranha, o macaco bebe água de canudinho”? Pois é. Sempre fui muito cuidadoso nisso. É como tomar chá, combina muito com prudência. Nas mega igrejas, não existem essas preocupações; regra geral, nem se conhece quem entra e quem sai. Deve o pastor ou líder de mocidade se envolver nessas questões? Logo abaixo a resposta, lembrando também que a igreja de Cristo, não é o Israel de Deus. Não por conta do tempo que os separam, mas, porque a pureza de Israel tinha outras implicações. Não façam julgamento precipitado sem ler o resto.


1 – OBEDECENDO A PALAVRA DE DEUS.
1.2 Fizeram o concerto e escreveram para si próprios e a posteridade.
Dt.32:47 Porque esta palavra não vos é vã, antes é a vossa vida; e por esta mesma palavra prolongareis os dias na terra a qual, passando o Jordão, ides a possuir.
1.2 Os líderes como exemplo (Ne.10:28-29).
Está havendo uma fuga dos princípios abraçados pela nossa igreja em que os líderes deveriam ser zelosos com os negócios e principalmente com o seu matrimônio. Não é o que parece em nossos dias. Os divórcios vão tomando corpo no altar. (Recomendo aos professores que não permitam polêmicas nesta questão, pois só servirão para acirrar contendas e prejudicar a aula, porém, não dá para passar por cima).
1.3 A instrução das escrituras.
Pouco se vê cultos com instrução da palavra de Deus. Pregações mirabolantes têm tomado o lugar dos ensinamentos regulares e que por muitos anos, construíram igrejas fortes e contribuíram para o bem estar das famílias. (Algum aluno poderá lembrar-se das disputas sobre costumes. Não dá para grudar os olhos somente nessas questões. Particularmente, a minha criação espiritual foi muito boa porque havia consistência naqueles que presidiram sobre a minha vida. Não deixe ninguém atrapalhar sua aula com essas questiúnculas, não permita que tomem a sua honra de ser professor da EBD).


2 – UM POVO SEPARADO
2.1 A União reprovada por Deus.
Por qual motivo Deus exigia cuidados do seu povo para que não houvesse misturas? A razão não é tão complexa como alguns deixam transparecer. A terra de Canaã foi entregue ao povo por promessa feita a Abraão. Deus queria uma nação pura, sob o ponto de vista da identidade nacional, do compromisso com Deus e da herança messiânica. O grande erro de Israel foi não ter cumprido rigorosamente o mandado do Senhor.
2.2 A Dolorosa separação.
Considere o comentário da lição e eu procuro contribuir com você dizendo que conheci muitos casos de pessoas separadas tendo filhos com a legítima e mantendo união estável com outra, também com filhos. Após a conversão, a pergunta que não calava em sua consciência: “E agora pastor o que é que eu faço?” O que você diria para esse homem aflito que conheceu Jesus e carregando esse drama. (Vou deixar a resposta para vocês discutirem com os alunos em classe. Sejam cuidadosos no julgamento).
2.3 O jugo desigual.
Em que podemos comparar Israel com a Igreja do Senhor no tocante ao jugo desigual. O zelo de Deus é o mesmo, ontem e hoje. Deus nunca mudou sua mensagem e isto basta para nós. Paulo fala aos Coríntios sobre “jugo desigual”, “2Co 6:14 -  Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?”
Antigamente considerávamos jugo desigual casamento do crente assembleiano com crentes de outras denominações. Isto já é passado e em parte, até achamos que foi bom, relaxar nesta parte por motivos que o espaço não permite arrazoar, porém, uma pessoa cristã desposar alguém que não fale a mesma língua, não troca uma lambada por um culto é por demais, temeroso.
O MEU PENSAMENTO PESSOAL SOBRE O ASSUNTO E NÃO FUJO DAS ESCRITURAS.
(No tocante a isto, a Bíblia não fala que o casamento do crente com o descrente seja pecado. Ela fala que é jugo desigual, portanto, o pecado poderá vir como consequência e aqui está a diferença entre nós e Israel. Conheci inúmeros casos em que o cônjuge não crente, aceitou Jesus como seu salvador pessoal e passou a dar banho de fé no(a) cônjuge crente, porém, não seria bom pagar para ver se vai dar certo. Já vi muitos pastores, desses falastrões que costumavam berrar no púlpito: “Quem casa com um filho do Diabo vai viver com o sogro – referindo-se  a não crentes”. Deixo aqui a pergunta, você daria sua filha em casamento a certos crentes que conosco convivem? Infelizmente há pessoas que não tem religiosidade mas tem caráter e caráter não é propriedade de crentes. Este pensamento, não se aplica a pessoas que professam fé sob religiões totalmente contrárias aos ensinamentos bíblicos, a que chamamos de seita. (Você não precisa nem deve fazer considerações a respeito, se pensar de forma rigorosamente ortodoxa). O pastor não deve delegar a responsbilidade de corrigir o rebanho salvo se houver total impossibilidade.

3 – O CUIDADO COM O TEMPLO DO SENHOR.
3.1 O templo.
Não vejo necessidade de acrescentar minhas considerações a respeito a não ser corroborar com o autor quando afirma que muitos já não têm alegria de repetir as palavras do salmista: “Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor?” Também, acho estranho que os crentes não pratiquem o que está em Hb. 10:25 citado no texto.
3.2 O dia de adoração.
O dia e os motivos pelos quais o cristão vai a igreja. Neemias não aceitou a prática do comércio no dia de culto (Ne 10:31) e combatemos aqueles ou aquelas que vão a igreja para vender produtos de beleza, terreno, ou aproveitar a intimidade para envolver a igreja como alguns fizeram no passado, aderindo a campanha da chamada “Amway”, constrangendo crentes a participarem ou fecharem negócios escusos com políticos para obtenção de vantagens, usando os  membros da igreja para esse fim.
3.3 A manutenção da casa do Senhor.
A manutenção da casa do Senhor deve ser compreendida e praticada por todos os membros da igreja. Há líderes que deixam a casa do Senhor em total abandono com: vazamentos, portas caindo, banheiros imundos, pinturas descascadas e quando inquiridos sobre isto, fazem a miserável alegação que o povo é pobre. Um líder pobre de ideias escraviza o povo na miséria espiritual.

As coisas que exponho aqui são frutos de muita inquietação por tudo o que acontece com a igreja do Senhor, considerando os momentos finais pelos quais passamos neste mundo. Diante da igreja e investido da responsabilidade com o bem estar do povo, sempre soube manter uma ortodoxia, porém, afastado do sectarismo e da intolerância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário