Tradução deste blog

sábado, 22 de outubro de 2011

REDES SOCIAIS E OS NOSSOS FILHOS

A lição bíblica  de 23/10/2011 "COMO ENFRENTAR A OPOSIÇÃO A OBRA DE DEUS" comentada pelo articulista ELINALDO RENOVATO, fez-me lembrar desta questão que envolve diretamento os filhos, afetando as famílias.
As redes sociais, nada mais são que uma grande sala de estar em que entram convidados e não convidados. Considerando que esses convidados, não sendo conhecidos, continuarão desconhecidos, falarão o que der na "telha", muitas vezes palavras torpes, produzidas por mentes doentias, pois lá, pode-se encontrar de forma enrustida,  o pedófilo o pederasta ativo/passivo - a figura do pederasta, anda muito esquecida - como também os falsos profetas. 
Recentemente, por leve pressão dos meus colegas de trabalho, abri uma página no facebook. Surpreende, como é fácil avaliar pessoas que conhecemos e até pessoas que não conhecemos, por conta das suas notas publicadas no dia a dia. Há muita superficialidade e futilidades nas postagens, como algumas,  levemente sutil em assuntos que mexem com o imaginário dos leitores ou tentam impor costumes que rejeitamos, a luz da Bíblia Sagrada. É preciso estar muito atento. Percebo também que diante de uma publicação um tanto fora da moral cristã, as pessoas se eximem de qualquer comentário e também, a rede social exige um certo cuidado até para comentar pois caso contrário, o usuário poderá ser deixado de canto, como em qualquer relacionamento real.
Não tenho filhos em idade de acompanhamento porém, os pais que tem filhos nessa idade, devem andar junto com eles e compartilhando da rede, é a melhor forma de saber por onde andam sem ser invasivos. Não significa que toda rede está assim, tão aberta para ser acompanhada pelos pais que pretendem proteger seus filhos das agressões veiculadas nessas meios, mas, os pais não ficam  tão por fora, de algo que está irreversivelmente no domínio público e já envolvendo crianças acima de 4 anos. 
No tocante a televisão, sabemos que uma pessoa que tem ocupação sadia, dividida entre trabalho e leituras, sua natureza não permite ficar sentado na frente da televisão para assistir os diversos programas e filmes veiculados, notadamente os programas de auditório. Considero sim que todo esforço nessa área, torna-se útil no acompanhamento e formação dos filhos. Em outras palavras, convém esquecer um pouco que somos pais e que somos adultos, para invadir o reino deles, sem estresses ou agressões quer sejam físicas ou verbais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário