Tradução deste blog

domingo, 24 de julho de 2011

PICO DO JARAGUA - RIQUEZA IGNORADA

Domingo pela manhã resolvi com alguns amigos caminhar até o topo do Pico do Jaraguá, 1.135 metros de altitude (Wikipédia)  pelo acesso de veículos; uma boa subida de 4,5 km e lá em cima, resolvemos subir os 241 degraus. Foi ótimo. Para retornar, convenceram-me a descer pela Trilha do Pai Zé, 1,45 km de extensão. Fiquei muito impressionado com a vegetação; parte rasteira e parte de vegetação alta com árvores de grande porte; o canto dos pássaros e o grito dos saguis alegram o ambiente. Apesar de morar perto do Pico, a quase 10 anos, nunca havia explorado como fiz desta vez; fiquei impressionado e feliz por aproveitar a bela manhã fria,  além do ótimo exercício.
Já no final da Trilha, uma grande placa de madeira esculpida, informava sobre a extensão da Serra do Mar, a sua riqueza e a quase total destruição, provocada pelo bicho homem.
Acredito que a maioria dos moradores da zona norte e oeste, desconhecem essa riqueza. Ainda é possível reunir grandes grupos e fazer um belo churrasco.
Passei o resto do dia pensando, porque será que o homem destrói a natureza que o alimenta e protege.  Porque será que não temos campanhas educativas para proteger os mananciais e florestas. E a nossa Amazônia?  Quando se descobre um ponto desmatado,  diz-se que é equivalente a 10 ou 15 estádios de futebol. Se as autoridades quisessem de fato proibir essa devastação, teria realmente condições? Será que é tão difícil investigar e chegar nas industrias que se aproveitam das madeiras, sem reposição? Permitiremos a destruição do planeta sem mover um dedo para defende-lo? E as gerações futuras, como viverão e em que mundo?
Peçamos aos nossos governantes que sejam mas severos com essa forma de crime ambiental e nada de anistiar os que já contribuiram pela sua devastação. Nem eles sobreviverão da maneira como as coisas caminham. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário