Tradução deste blog

sexta-feira, 17 de junho de 2011

VIOLENCIA CONTRA A MULHER - MINIMIZANDO O PROBLEMA

Hoje pela manhã tomando o meu café na padaria do bairro, (tomar café olhando o mundo pela janela da padaria, me faz muito bem, eu aproveito para olhar também para dentro de mim), a televisão estava ligada no jornal e a matéria mostrava várias mulheres com rostos inchados e hematomas pelo corpo, vítimas de seus companheiros.
Estou cá, pensando nessa questão e nem me pergunto, se isso terá fim. A minha vida pastoral, me permitiu acompanhar muitos problemas de casais, os motivos para divergências, são extensos e sei que para tudo tem uma saída. Particularmente, posso dizer que mesmo com sanção de pena de morte, essas agressões não terão fim, pois o individuo violento não costuma avaliar as consequências para os seus atos. Desta forma, posso entender que a própria mulher pode minimizar o problema se fizer uma boa avaliação. Dentro das igrejas, quando o assunto é namoro, noivado e casamento, acho as mulheres, não todas, óbvio, muito ingênuas na hora de escolher com quem pretende viver; o normal é se apaixonar antes para descobrir depois ou achar que pode transformar o homem da sua vida!!! Sempre disse e volto a afirmar, que há casos em que nem Deus muda o caráter do homem. Deus não invade casa com porta fechada. A grande maioria das mulheres vítimas de violência doméstica, não ignoravam a personalidade do companheiro no período do namoro, ninguém se torna violento do dia para a noite, salvo em condições muito adversas. Há homens que são verdadeiros artistas, conseguem pintar a fachada da casa e esconder o verdadeiro conteúdo. Sempre que uma jovem me pedia conselhos para casamento e me perguntava se devia orar para que Deus desse uma orientação para sua escolha eu recomendava: orar e ao mesmo tempo buscar o histórico familiar pois quem xinga a mãe, maltrata o pai e chuta o cachorro do vizinho, fatalmente fará isso mesmo com sua companheira. Quando o Patriarca Abraão(*) mandou Eliezer em Padã Arã buscar uma noiva para seu filho Isaque, os sinais incluíam, além da direção divina, a questão do comportamento, do caráter e foi exatamente isto que Eliezer viu em Rebeca, na fonte e junto a sua família. Creio profundamente no milagre da transformação de vidas mas isso, não elimina a possibilidade do homem retornar a sua velha natureza. Uma boa escolha, na direção de Deus, pode em muito contribuir para felicidade do casal e a constituição de um lar abençoado.

(*) Texto Bíblico citado:  Gênesis 24.

Nenhum comentário:

Postar um comentário