Tradução deste blog

sábado, 11 de junho de 2011

UMA PÁ DE CAL NO PL 122

O movimento que envolveu diversos seguimentos religiosos em Brasilia no dia 01 de junho de 2011, certamente deixou claro à nação brasileira que, em se tratando de proteger direitos constitucionais, sabemos fazer história  e que as diferenças teológicas ou até filosóficas, não atrapalham quando o interesse é o bem comum da nação brasileira.  O que nós evangélicos queremos é que nos respeitem como povo grande que somos, pois aprendemos desde o berço, a respeitar e não desprezar as pessoas, qualquer que seja sua filosofia de vida. Perceba-se que quando os diversos grupos existentes lutam para ter liberdade e cito aqui o movimento gay e o mais novo movimento denominado "A marcha das vadias" dentre outros, o que se pretende na verdade, não é garantir o direito constitucional de ir e vir. A minha liberdade não pode cercear a liberdade de outros, porém, não podemos confundir liberdade com libertinagem. Uma mulher para dizer que é livre não precisa sair pelas ruas semi-nua, de maneira provocativa e ainda exigir respeito, não é saudável que um ser humano faça coisas bizarras e ache que toda sociedade precisa aplaudir ou abrir espaço para que se procriem outras bizarrices.
Quando se fala em parecer prostituta, eu lamento que elas sejam usadas como referência para coisas feias, pois eu tenho o maior respeito por elas, muitas entram na vida de prostituição por culpa da própria sociedade que se comporta de maneira hipócrita e egocêntrica, sejam democratas ou comunistas; são todos iguais. Sabe-se secularmente que a prostituta se veste para atrair pessoas interessadas nos seus serviços, basta andar pela zona do meretrício. Uma mulher que queira respeito, sabe diferenciar tudo isto. O que se pode falar de uma mulher que se permite fotografar sem calcinhas, com aquela cruzada de perna ou uma levantada proposital. Somos loucos? Idiotas? daí, compreendemos que esses grupos, não buscam liberdade para uma vida de paz e sim de provocação as milhares de pessoas que não concordam com essas posturas. O tom dado na mídia e não faltam aplausos porque  aumenta o ibope, é que tudo é normal portanto, se uma criança está na sala vendo TV e de repente, vê dois machos se beijando e se agarrando, vai achar isso normal e fatalmente, se não houver uma assistência, vai em busca dessa experiência. Dizer-lhes que o comportamento homossexual não é correto, não se trata de homofobia sujeita a criminalização.   Apenas para finalizar, a medicina vez ou outra se manifesta contra o sexo anal, dizendo ser perigoso à saude dos praticantes. Deus fez tudo direito e cada órgão com sua função específica. Respeitemos pois o que Deus criou e respeitemos as famílias e acabem com essas homofobias contra os héteros-sexuais. Sei que esse movimento não tem o apoio de todos os homossexuais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário