Tradução deste blog

terça-feira, 21 de junho de 2011

PAI, COMO SABER QUANDO É GAY?

Essa pergunta foi feita pelo filho de 7 anos do meu amigo, fulano de tal. O pai lhe perguntou qual o motivo da pergunta e ele disse que tinha visto um garoto beijando outro no queixo. Estatuto da criança e do adolescente, órgãos de proteção da infância e da juventude e tantos outros títulos, fico me perguntando para que serve?
Obviamente na cabeça de um gay declarado, o caminho seria explicar para o filho que não ignore esse fato, nem ache estranho, pois tudo isso é normal. normal? É isto que "Insensato Coração",  novela da Globo, está propondo? Outra questão preocupante, será o problema de adoção por casais homo-afetivos. Uma família amiga, evangélicos, foram até Recife com outras duas famílias, para adotar algumas crianças que estavam sofrendo seriamente na companhia de um pai drogado e uma mãe alcoólatra, as mais velhas, possivelmente já tinham sofrido alguma bolinação. Foram trazidas pelas famílias e vivem próximas umas das outras; deu pena ver o estado delas, quando chegaram. Tenho contato apenas com uma família e a criança adotada, está linda, bem tratada e esbanja com sua inteligência. A maratona foi difícil, exigiu paciência e recursos para concluir o processo que passa por investigação sobre a capacidade da família, física, mental e financeira para efetivar a adoção. Se dois homens, resolvem adotar uma criança, principalmente se for do sexo feminino, fico a me perguntar, como essas duas pessoas irão educar, que tipo de referência projetarão sobre ela e quanto  a proximidade natural de uma mãe com sua menina? nada disso importa? Se for menino, certamente irão dizer para ele que todo mundo tem um gay enrustido, que pode soltar a franga sem medo, pode? Assumir um desvio de conduta pode até ser compreensivel aos nossos olhos, pois quem pode impedir uma criatura de ser o que quiser ser e dar o que quiser dar? Tudo isso parece por demais simples aos olhos de alguns legisladores e alguns juizes togados, porém, o mundo está forçando a barra para enfiar a sociedade num tuneo escuro, cujas consequências  são previsíveis e imagináveis. É uma perfeita negação a Deus e a obra prima da sua criação.

Lv. 18:22 Com varão te não deitarás, como se fosse mulher: abominação é;
           23 nem te deitarás com um animal, para te contaminares com ele; nem a mulher se porá perante 
                um animal para ajuntar-se  com ele: confusão é. 

Nesse sentido, homofóbico ou não, Deus não deixará impune os que praticam tais coisas. Não somos profetas do fim do mundo todavia, tudo isto terá um fim com a vinda de Jesus e depois do milênio, o juízo do trono branco descrito no livro do Apocalipse de João Batista 20:11-15.

Nenhum comentário:

Postar um comentário