Tradução deste blog

sexta-feira, 10 de junho de 2011

EU SOU PROFESSOR

Identificar os limites entre a vaidade pessoal e a "simplicidade" pelo uso do pronome "EU" nas realizações, sempre foi um tormento pois qualquer coisa que fizéssemos com essa afirmação, já era um grande motivo para críticas e aparente pretensão. Com o passar do tempo, aprendemos a usar o "EU", a meia voz, com cautela. No tocante ao ensino bíblico nas nossas escolas dominicais, evitávamos dizer; sou professor, pois parecia ser uma usurpação, já que tudo que tínhamos, nem sequer dependia do ensino secular, tudo era do Senhor e graças a Deus, que entendemos que tudo é mesmo do Senhor, dele, por ele e para ele. Com o avanço das escolas teológicas, ampliamos o nosso entendimento no sentido de compreender que conhecer a Deus e a sua palavra, não restringe os nossos passos como alguns que enfiam a "cara" dentro da bíblia e esquecem que  todos nós, cristãos, vivemos no mundo, dele participamos e concorremos sim, as boas posições tanto no campo da ciência quanto no campo da vida social. Sou professor sim, pela graça de Deus e sempre usei a Escola Bíblica Dominical, para construir vidas. Quando entreguei minha vida para Jesus e falei ao meu primeiro pastor que pretendia voltar aos estudos, tomei uma baita bronca, todavia, como pastor, sempre procurei estimular a nossa juventude a conquista da universidade pois somente assim, podemos encarar de frente os mais intrigados problemas sociais. Na última igreja em que trabalhei, institui o premio de entrega de uma placa de prata, aos formandos em nível superior. Na escola dominical, ensinávamos o respeito que os alunos deveriam ter com seus professores seculares, a sociedade e as autoridades. Não se via um jovem cristão maltratando o seu professor, fazendo bagunça na classe pois se isto ocorresse, imediatamente chamávamos o jovem a responsabilidade e o receio de ser disciplinado o fazia repensar sua posição. Com o enorme crescimento da igreja, isto hoje parece estar fora do alcance. Assim, sempre fui professor, sempre ensinei e se há algo que amo, é ensinar, tenho um profundo respeito pelo magistério, pelos que ensinam, razão pela qual conclamo, cuidemos melhor dos nossos professores. Aos mestres com carinho, dedico o meu pensamento e a minha oração para que continuem sendo vistos como quem exercita o sacerdócio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário