Tradução deste blog

sábado, 14 de maio de 2011

STF, SENADO E A FAMÍLIA. (PL 122)

Já falamos muito sobre o assunto em outras ocasiões e felizmente ou Graças da Deus,  a absurda  proposta  em que se pretende criminalizar a homofobia e conceder privilégios aos gays como troca de afetividade em locais públicos, foi vencida no Senado. Por outro lado, o Supremo tribunal Federal aprovou a união entre homoafetivos.  Até entendo a posição do Supremo Tribunal Federal, quanto a relação de convivência entre duas pessoas, quaisquer que sejam elas; o  que fiquei sem entender foi quando um dos ministros, em defesa dos interesses do movimento gay, disse que eles também tinham o direito de constituir família. Constituir família é pelo principio da criação, um ato de amor entre duas pessoas criadas por Deus, MACHO e  FÊMEA  um homem e uma mulher, isto não foi uma propositura filosófica mas, de Deus, declarado  no livro de Gn 2:18-25. 
O movimento gay ganhou outros direitos em tribunais de menor instância, alguns compreensiveis pois, se duas pessoas vivem sob um mesmo teto e não estamos falando de sexo, essas duas pessoas produzem riquezas em comum e isto envolve; o compartilhamento de bens imóveis adquiridos em conjunto, entre outras riquezas.  O que se pretende com o PL122 é muito mais que isto, querem liberdade total em qualquer ambiente, para troca de carícias delicadamente chamada de manifestação afetiva, lembram que a mídia mostrou dois homens se beijando na boca pela vitória no supremo? isto ainda é pouco. Se já achamos inconveniente e atentatório principalmente em relação as crianças, mulher sentar no colo do  namorado trocando carícias em público,  o que falar do que se vê na televisão? Luta-se tanto para evitar que as crianças caiam nas garras de pedófilos e o Brasil está criando um clima que atrairá as crianças indefesas e que ficarão perdidas na escolha da sua sexualidade. Com a aprovação do PL122, não poderíamos dizer para estas indefesas crianças que esse comportamento é errado e nocivo, seríamos presos, antes de terminar o aconselhamento por crime de homofobia. Querem de toda maneira proteger o grupo gay de qualquer crítica e essa escolha do Supremo Tribunal para buscar seus direitos, foi um golpe de mestre. Se os parlamentares se descuidarem, o Supremo Tribunal exercerá o poder legislativo pois muitas decisões de tribunais, acabam virando doutrina para que instâncias menores se apoiem nas suas decisões mesmo que ferindo a carta magna do país, a nossa constituição. Os advogados que o digam. Mesmo sem uma lei ordinária, as pessoas que se sentirem ofendidas, entrarão via tribunal com reparação de "danos morais" sob o largo pretexto da homofobia. Isto é muito grave e o país caminha para essa via de mão única.

3 comentários:

  1. Olá, Pr. Genivaldo.

    Após ler este texto, tomei a liberdade de copiá-lo e publicá-lo no União de Blogueiros Evangélicos, com o título no A família brasileira entre o STF e o Senado Federal.

    A percepção da nossa atual situação neste assunto está claríssima através dessa leitura.

    Deus o abençoe.

    E.A.G.

    ResponderExcluir
  2. Caro Eliseu.
    Peço fazer releitura do texto, pois há um pensamento importante na sua finalização. Atualizado neste domingo 15/05 em Fortaleza às 07:50.

    ResponderExcluir
  3. Caro Eliseu.
    Pode publicar a matéria na UBE, apenas, por gentileza, cite a fonte. Prazer enorme em servi-los.

    ResponderExcluir