Tradução deste blog

terça-feira, 24 de maio de 2011

O ENGANO DO PREMIO DE BALAÃO

Hoje, terça, pela manhã, compartilhava uma leitura bíblica com meus colegas de trabalho, na epístola de Judas. Diversos pensamentos acerca de lideranças vieram a minha mente como um turbilhão. Riqueza e fama sempre foi um grande atrativo para o ser humano sem Deus. Todas as noites, quando vejo na televisão o "cem" número de pessoas presas e soltas por causa da corrupção, riquezas acumuladas de ministros, deputados, vereadores e tantos outros e o pior de tudo é ver líderes evangélicos brigando e provocando brigas, tudo pelo maldito jogo de interesses, nada mais que isso. Judas os trata com os seguintes adjetivos:
Manchas em nossas festas de caridade, ondas impetuosas, nuvens sem água (só aparência) levadas pelos ventos, árvores infrutíferas, duas vezes mortas e desarraigadas.
Mesmo que não queira gastar meus neurônios, ouvi no último sábado, o Pastor Silas Malafaia, conclamando os irmãos do Pará e de onde mais queira, não participar da festa programada pela CGADB em Belém e informando que o Pastor de Belém do Pará, dispunha do apoio financeiro do presidente da Convenção de Madureira para sua grande obra naquela cidade. Perguntei para mim mesmo:  O que virá depois disso?   Ainda bem que nunca achei que os crentes de Madureira, fossem menos assembleianos que eu só porque os  líderes encontraram nas intermináveis brigas, a maneira de manter o poder. Ainda bem que nós pobres mortais, não bebemos da mesma fonte que eles, evitamos brigas, perdoamos e ensinamos a perdoar. Apenas lamento que esses líderes ficam cegos e não percebem o mal que estão causando ao Reino de Deus e que certamente os cobrará no devido tempo se não se arrependerem.  A bíblia nos declara que nem sempre os julgamentos ocorrem aqui, em vida. Outros serão julgados na eternidade. Jesus disse que nem todos que o chamam de Senhor entrarão no seu Reino.

Convoco todos os crentes que deixem de olhar para esses líderes e olhem somente para Jesus, o autor e consumador da nossa fé para que, de alguma forma, evitem o naufrágio na fé.

3 comentários:

  1. Tambem acho que esta briga não nos pertence mais a CGABD fazer uma festa em Belem do Para antes da festa que ja estava programada e procurar briga com a igreja mãe do Belem do Pará

    ResponderExcluir
  2. Caro Anônimo.
    Concordo com você. Se Belém utilizasse o programa de televisão para convidar a CGADB para participar das suas festividades, teríamos
    nisso a maior demonstração de interesse pela paz e a CGADB obviamente, teria que se posicionar. A paz deve ser iniciada por alguém. Há pouco tempo, o
    Pastor Câmara em seu programa, falou da igreja do Belenzinho, fez
    Referência ao Pastor Cícero, falecido Há mais de 30 anos e nenhuma
    Palavra sobre o atual pastor, mesmo falando da sua igreja. Entendo
    Que quem quer paz deve busca-la e nós, devemos orar nessa direção
    Pois quem perde são os pequenos, os daqui de baixo. O que é lamentável,
    é o Pastor Malafaia de forma arrogante, querer incendiar mais ainda
    essa questão.

    ResponderExcluir
  3. Peço desculpas. Meu comentário de 25/05 04:31 saiu como anônimo por dificuldade de postar. Pr Genivaldo

    ResponderExcluir