Tradução deste blog

sábado, 28 de maio de 2011

O BRASIL ANÁRQUICO QUE ALGUNS GAYS QUEREM

Descobri que um cliente meu de muitos anos, amigo, vive uma união homo-afetiva. Nada mudou no respeito que temos um pelo outro após essa descoberta. Ele foi fundamental para que a minha esposa fizesse a sua mastectomia(1) na melhor referência de hospital de tratamento contra o câncer. Ele é uma figura simpática, um bom sujeito e não  "dá bandeira" como alguns usam falar. O que quero dizer com isto é que temos um profundo respeito pelo ser humano, qualquer que seja sua origem, credo,  preferência sexual, cor ou posição social. Nunca permitiria que um filho meu maltratasse qualquer pessoa, por conta dessas e outras questões afetas. Eu não preciso de leis específicas para respeitar o cidadão e se alguém foge dessa regra, tem cadeia para os tais. Tenho como princípio, não maltratar, não achincalhar e não tratar com desprezo por pura demonstração de preconceito. Com tudo isto, percebi que tem dois grupos de pessoas,  a quem defino como homo-afetivas e homossexuais.  Homo-afetivas, que também praticam atos homossexuais, são aqueles ou aquelas que são e não precisam dizer para o mundo inteiro que são, Não precisam andar pelas ruas com ares provocativos, tem suas preferências, vivem-nas e não transgridem as mais elementares regras da boa convivência com todos. Por algum motivo na sua estória de vida, abriram mão das relações hetero-sexuais. O outro grupo, os homossexuais,  que de afetivo não tem nada, é  bem menor e tem no meio deles, a figura depravada do PEDERASTA(2), para estes, a sociedade fica no  quanto pior melhor. Estes, fazem apologia porque querem engrossar suas fileiras, são os que querem empurrar o kit gay(2)  a custa do dinheiro do povo em cima dos nossos filhos e netos , são estes que usam o amparo do governo, recursos financeiros dos impostos, para promover as marchas gays porque os  evangélicos, quando querem fazer marcha, as fazem  com seus próprios recursos. Dia desses, a imprensa noticiava que o Deputado Federal  Jean Wyllys, disse de público,  conhecer outros deputados gays que estão dentro do armário e que estes, precisavam sair do armário. Vejam só! Porque uma pessoa tem que se expor publicamente por conta da sua preferência. Forçar isto também não é homofóbico contra pessoas que não se sentem seguras ao divulgar sua condição de preferência? ou o governo deve criar duas leis anti-homofóbicas; uma para os gays manifestos e outra para proteger os que não tem interesse nem obrigação de revelar suas preferências? Não é difícil perceber que querem implantar uma ditadura gay pela anarquia e neste sentido, minha simpatia pela Presidente Dilma Roussef, aumentou quando disse que não apoiaria essa "PROPAGANDA" gay nas escolas, ufa! Faltam algumas coisas e oro a Deus por ela, que tenha a mesma coragem com que enfrentou a ditadura militar no golpe de 64, tapar a sangria da corrupção no país, não protegendo ninguém seja do PT ou de outro partido e de uma vez por todas, pedir as suas bases que tirem da mesa de discussões essas sem-vergonhices como o PL 122,  pois, o Brasil tem muito que legislar,  diante do mundo globalizado e atacar com mais veemência o abuso do turismo sexual pois, parece-me que as coisas continuam do mesmo jeito. Uma felação custa R$ 3,00 para comprar um prato de comida.  Vamos mudar a cara do nosso Brasil. Em Deus confiamos.





1) Cirurgia de remoção da mama.
2) PEDERASTA - Apesar da boa definição e historicidade da pederastia, no wikipedia, sempre tive como o sujeito viciado, ativo ou passivo, não tendo o mesmo sentimento que o gay em relação a pessoas do mesmo sexo.
E.T. O Governo ou o Ministério Público precisa investigar quem está no Ministério da Educação, ocupando tempo e material para promover o que não interessa a sociedade como um todo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário